Varejo não é só localização

Entenda como funciona as relação entre varejo e localização

Varejo não é só localização

Caro Leitor,

Há sete anos me mudei para um apartamento em São Paulo, com o objetivo de ficar mais perto do trabalho. Ainda tentando conhecer o lugar, passeando para cá e para lá, me deparei com este imóvel que me chamou a atenção. Na verdade, não era tanto atenção, mas sim estranheza, porque este Centro de Conveniência e Serviços (CCS) parecia estar de costas para os clientes que chegavam de carro. É possível observar na foto abaixo:

Captura de Tela 2015-08-12 às 17.45.11

 

Veja que esta primeira impressão não é muita boa. Quem chega só vê uma parede com ar condicionados pendurados. Não é possível saber quais são as lojas que estão neste CCS. Na minha opinião era um erro de arquitetura que prejudicava bastante a atração dos clientes.

Alguns anos se passaram, me mudei novamente e também me deparei com outro CCS e, diferente do primeiro, a frente das lojas está posicionada para que seja a primeira coisa que o motorista vai ver ao se aproximar. Assim, o cliente tem condições de saber o que está sendo oferecido (apesar de a foto não favorecer muito, porque foi tirada ainda durante as etapas finais da construção).

Captura de Tela 2015-08-12 às 17.45.24

 

 

Porém, a dura realidade é que, apesar da minha opinião contrária, o primeiro CCS vive cheio e o segundo vive vazio. Em grande parte, a localização explica o sucesso de um e o fracasso de outro, pois o primeiro está numa avenida de enorme circulação, enquanto o segundo está numa avenida secundária.

Mas a localização não explica tudo. Um ponto extremamente importante – e do qual só depois de vários anos eu me dei conta, pois chega a ser quase contra intuitivo – é que a primeira visão de um imóvel nem sempre é o aspecto mais importante para determinar a posição das lojas.

O primeiro CCS deu mais importância para a criação de um lugar que convide e envolva as pessoas a participarem de tudo que acontece naquele espaço, enquanto o segundo imóvel praticamente expulsa os consumidores para a periferia do empreendimento, um lugar que parece um castigo.

Ainda quando eu estava na faculdade os professores de marketing deixavam claro: “retail is detail” (varejo é detalhe). E a simples mudança da posição da frente de uma loja pode passar uma mensagem diferente para o consumidor e contribuir decisivamente para o sucesso ou fracasso de um empreendimento.

Captura de Tela 2015-08-12 às 17.47.04

Comparando os múltiplos de imóveis e negócios —> (somente para assinantes)

Porque você deveria tomar cuidado com o financiamento que seu corretor sugere —-> (somente para assinantes PRO)

Links Recomendados

Até semana que vem.

Grande abraço.
Marcio Fenelon

 

Conteúdo relacionado