Vivi para contar

Passei os últimos anos ouvindo investidores profissionais de ações dizerem que jamais comprariam a estatal. De alguns meses para cá, assisti a uma virada. Vai soar piegas, mas confesso que isso me dá um otimismo com o Brasil (e com meu portfólio).

Compartilhe:
Vivi para contar

Meus pais e tios têm um carinho pela Petrobras. Em geral, quando alguém vem me perguntar da ação (com entusiasmo), tem cabelos brancos e migrou o FGTS para as ações da estatal em 2000 – quando eu tinha 15 anos e, obviamente, nenhuma garantia por tempo de serviço. Passei os últimos anos ouvindo investidores profissionais de ações dizerem que jamais comprariam a estatal. De alguns meses para cá, assisti a uma virada: gestores muito bons defendendo o papel, manchetes positivas no jornal… Vai soar piegas, mas confesso que isso me dá um otimismo com o Brasil (e com meu portfólio).

O número da semana

3,26 bilhões de reais. Volume de ações preferenciais da Petrobras (PN, sem direito a voto) negociado ontem na Bolsa, o segundo maior da história da empresa, atrás apenas do observado no dia 8 de novembro de 2007, um dia depois de ser anunciada a descoberta da mega-reserva de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos.

O que tá rolando?

A notícia. A Petrobras brilhou na Bolsa e nas páginas dos jornais nesta semana. Uma conjunção de fatores externos – como petróleo mais caro e dólar forte – somaram-se a internos, como a credibilidade do presidente Pedro Parente, a redução do endividamento e o foco nas atividades mais lucrativas.

Fico mais pobre ou mais rico? Se você segurou as ações da Petrobras até aqui ou se posicionou nelas recentemente, obviamente que ficou mais rico.

A visão da casa. Quem acompanha o Felipe Miranda, nosso estrategista-chefe, sabe que ele acertou em cheio na sugestão do papel – confesso que quando ele colocou a ideia em pauta na nossa reunião semanal eu ainda tinha um pouco de preconceito com a petroleira. Será que é hora de entrar? Acompanhe a opinião do Felipe sobre o futuro da ação aqui.

What’s going on?

News. Saíram do forno, nos Estados Unidos, dados mais fracos de inflação.

And? O fato de o nível de preços não estar em firme aceleração foi a deixa para acalmar os mercados: o entendimento foi que o banco central americano não terá que elevar os juros que servem de referência para a economia com velocidade. O movimento de alta nos juros causa estresse em todo o mundo. Por quê? Outras economias, em especial emergentes, acostumadas com dinheiro barato no mundo inteiro.

Money, money. A safra de balanços das empresas americanas – como no Brasil, elas divulgam seus resultados financeiros trimestralmente – foi bastante positiva. Das companhias que reportaram seus números, 79% divulgaram ganhos por ação melhores do que o esperado pelo mercado, segundo a Thomson Reuters, bem acima dos 64% de média histórica

O que vem aí?

Nossa semana vai girar em torno da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que vai decidir a meta para a Selic – a taxa que serve de referência para toda a economia brasileira. Saberemos a decisão do colegiado na quarta-feira à noite.

A boa da vez

Se você está tenso sobre o dólar. Meus dedos não são suficientes para contar o número de vezes que avisamos que era para ter uma parte da carteira em dólar – mas sempre é tempo. Explicamos para você aqui o jeito mais fácil de fazer isso.

Se você quer viver de renda. Felipe Miranda, Daniel Malheiros, Sérgio Oba, Bia Cutait e eu nos unimos para estudar e indicar todos os investimentos que vão levar você à meta de ter dinheiro caindo na sua conta sempre aqui.

Amanhã é sábado

Coloque na agenda. A Semana Nacional de Educação Financeira (Semana Enef) começa na próxima segunda e vai até domingo. A programação completa – e gratuita – você encontra aqui.

O mais legal. Nós vamos estar lá, obviamente, com o curso “Brasil Investidor”, porque não perdemos uma oportunidade de fazer você entender mais de investimentos. Veja a programação abaixo (sim, tudo de graça):

14/05, das 15h às 15h50 – Aula 1: Começando a Investir
15/05, das 15h às 15h50 – Aula 2: Renda Fixa
16/05, das 15h às 15h50 – Aula 3: Fundos de Investimento
17/05, das 15h às 15h50 – Aula 4: Fundos Imobiliários
18/05, das 15h às 15h50 – Aula 5: Ações

Se você quiser enviar dúvidas, escreva para: brasilinvestidor@empiricus.com.br.

Sua vez

Este espaço é seu: viu alguma palavra no noticiário de economia e não entendeu bulhufas? Encaminhe para oinvestidorindependente@empiricus.com.br.