A grama do vizinho

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail

00:06 - Toco y me voy

Mineradoras e siderúrgicas caem, mas o Ibovespa tenta subir mesmo assim, pegando um pouco de carona nas boas novas argentinas.

Mauricio Macri deixa a grama do vizinho bem mais verde.

Macri é amigo da economia de mercado. Quer abolir barreiras protecionistas, combater inflação (a falsa e a verdadeira), flutuar câmbio e fazer o famoso ajuste fiscal.

O comecinho desse novo governo ainda vai enfrentar algum ceticismo. Porém, se as benesses forem comprovadas, ajudarão a dissociar a América Latina de heterodoxias extremamente custosas.

01:15 - Camaleão

Por aqui, ainda leva tempo.

Ministério do Trabalho tentou camuflar o Caged, divulgando dados de desemprego em pleno feriado.

Mas não é que acabou tendo o efeito oposto?

Na falta de outros temas relevantes, os jornais acabaram estampando a estatística na capa.

O Brasil fechou 169 mil postos de trabalho com carteira assinada em outubro, recorde negativo para o mês.

Não à toa, FHC (entre outros) deu entrevista avaliando que o aumento do desemprego pode gerar uma onda de tensão social capaz de liquidar de vez a governabilidade de Dilma.

O PMDB está ciente disso.

Em clima de Virada de Mão, mesmo as más notícias podem assumir contornos positivos.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

02:23 - Rato e gato

O Tribunal de Contas da União segue no teimoso caminho que o levará a ser uma das raras instituições a sairem fortalecidas da crise.

Em dezembro, o TCU deve votar uma proposta que obriga o Banco Central a contabilizar as pedaladas como dívida oficial do Governo federal.

Se a União não regularizar seus repasses aos bancos públicos, a dívida aumentará, gerando sérios transtornos ao equilíbrio fiscal e ao rating soberano.

Skin in the game – aqui se faz, aqui se paga.

Ao menos até que se inventem novas formas de pedalar.

03:22 - Dólar nas alturas

Reabrimos brevemente a possibilidade de recebimento gratuito do bestseller A Grande Queda, escrito pelo estrategista global da Agora Inc, Jim Rickards.

Todos os detalhes estão explicados aqui.

No livro, Rickards chama atenção para os riscos representados pela valorização do dólar num contexto de iminente aumento dos juros americanos.

Gráfico da Bloomberg mostra que o dólar já alcança o maior nível em 12 anos frente a uma cesta de moedas globais usada como referência pelo Fed.

E olha que essa história está apenas nas preliminares…

04:26 - Regurgitação

Trato hoje de uma dúvida do leitor Hugo N, que vive no Porto e acompanha diariamente as newsletters do M5M de Portugal.

Hugo está viciado em monitorar a variação de seus papéis dia a dia. “Bem sei que não deveria, mas não posso aguentar”.

Ele diz se sentir “escravo do mercado”.

Cerca de 90% dos investidores com esse hábito nocivo se apavoram e tomam decisões irracionais, movidos por ruídos diários de alta ou de baixa.

Para os outros 10% estoicos, o acompanhamento é deveras salutar, à medida que nos deixa acostumados com a distinção entre o preço de uma ação e o valor intrínseco da respectiva empresa.

Se você olha as cotações todo dia e não faz nada além do que faria normalmente, é provável que esteja se acostumando contra o enjôo da maré.

Caso contrário, vai acabar vomitando prejuízos.

Links Recomendados

O gatilho capaz de MULTIPLICAR Investimentos em apenas 24 horas!
Espresso Financista: Na volta do feriado, dados dos EUA e política estão no radar

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: Alpargatas é tag-along? (exclusivo PRO)
.: As recompras de ITUB4 (exclusivo PRO)
.: As Letras de Paraná Banco (exclusivo PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo recomendado