As levyanas brasileiras

00:06 - Cabeça a prêmio

Em circunstâncias gerais, posso me caracterizar como uma pessoa tranquila.

Porém, me deixam intranquilos os sinais – crescentes – de que a cabeça de Joaquim Levy foi colocada a prêmio.

Ao que tudo indica, a Operação Lava Jato vai se aproximando de seu maior propósito.

E a forma que Lula encontrou para se proteger da Lava Jato é ficando mais radical.

Se vale tudo para angariar apoio da esquerda e evitar o pior, a imolação de Levy é um custo baixo para Lula, embora altíssimo para o País.

01:15 - Pior do que junk

Se trocarmos de ministro da Fazenda, o substituto certamente tenderá ao desenvolvimentismo, abandonando de vez o ajuste fiscal.

O Governo reatará com alguns daqueles que o reelegeram.

Ao mesmo tempo, pederá o apoio do Bradescão e, em termos mais gerais, de praticamente todo o empresariado minimamente sensato.

Seria catastrófico.

Várias vezes pior do que a efetiva perda do grau de investimento, que Levy só não evitou porque era impossível evitar.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

02:23 - A posteriori

Por ora, Levy continua no cargo. Vamos fingir que está tudo ok e tocar os trabalhos de rotina.

A Fazenda prepara a terceira revisão da meta fiscal de 2015, admitindo enfim um provável déficit primário (~ R$ 30 bi).

Haveria ainda tempo hábil para uma quarta revisão?

Para 2016, sugerimos que a Fazenda anuncie a expectativa orçamentária depois de terminado o ano.

Assim a satisfação da meta fiscal fica praticamente garantida.

Por isonomia, o Banco Central pode fazer o mesmo com a meta inflacionária, mitigando ruídos de comunicação.

03:22 - Communication Breakdown

Não está fácil encontrar notícias positivas nesta sexta-feira.

Emprego industrial marca oitava queda seguida.

Economia recua -0,76% em agosto.

Inflação do IGP-10 tem alta de 1,88% em outubro.

Mas, como diria Cazuza, o nosso amor a gente inventa, certo?

Me diga então, por email, qual manchete você gostaria de ver estampada na capa dos jornais.

Quem sabe, numa inversão da Lei de Say, a demanda há de ser capaz de criar sua própria oferta.

 

04:26 - A fita de Mobius

Na ausência de boas notícias, fiquei feliz ao encontrar Mark Mobius – o presidente da Templeton – manifestando apreço por nossa tese de Virada de Mão, que já acumula sucessos importantes.

Mobius está aumentando posição em ações de bancos brasileiros (Itaú e Bradesco), também em linha com nossas sugestões.

Embora alguns outros nichos tenham se recuperado parcialmente, o setor bancário continua bastante descontado em Bolsa.

Como fazer justiça?

Os resultados do 3T15 são especialmente importantes para Itaú e Bradesco mostrarem ao mercado que os ROEs continuam rodando em torno de 20%.

Já vi essa fita antes.

Ela não tem início, nem fim; é uma fita infinita.

E a superfície aparenta ter dois lados, mas na verdade só tem um, que é o de valorização.

 

Links Recomendados

O que você acharia de receber R$ 2.149 da Empiricus anualmente, pelo resto da vida?

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: Novo hábito (exclusivo para o PRO)
.: Vai levar um tempo (exclusivo para o PRO)
.: O Brasil que dá certo (exclusivo para o PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado