Chegou a hora de contar uns segredos

Com o eventual fim do Governo Dilma, o risco de mexerem nas reservas internacionais aumentou.

Chegou a hora de contar uns segredos

“A presidenta Dilma Rousseff e o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, durante cerimônia de assinatura de atos, no Palácio do Planalto (Marcelo Camargo/Agência Brasil)”

00:08 - Big short

Divulgadas ontem à noite, exportações da China vieram trágicas, queda de -25% em fevereiro.

Ô Rodolfo, Governo Dilma caindo e você vem falar de exportações da China?

Ok, eu sei que China fica em segundo plano com toda essa história de impeachment.

Mas não consigo escolher os problemas pelos quais me apaixono.

Reservas internacionais “oficiais” da China = USD 3,2 trilhões.

Reservas internacionais líquidas da China = algo próximo de USD 2 trilhões.

Algo próximo – pois a exata composição das reservas chinesas é um segredo de Estado.

Também tenho meu segredo: yuan é o próximo big short.

01:13 - Preferências reveladas

Os melhores segredos tornam-se públicos ao sabor da conveniência.

PT está louco para usar as reservas internacionais brasileiras, nosso último bastião de civilidade econômica.

Só que esses dólares não pertencem ao Partido, tampouco ao Governo.

Pertencem ao País.

Estado, Governo e Partido são coisas distintas – sobretudo agora.

Com o eventual fim do Governo Dilma, aumenta o risco de deixarem a despensa zerada para os próximos hóspedes.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

02:23 - Volume máximo

O que nos leva, naturalmente, à pergunta: quem serão os próximos hóspedes?

Nomes hoje tidos como óbvios podem se tornar inviáveis.

Por que estou dizendo isso?

Veja você as delações-bomba que nos esperam: Feira, Dona Xepa, Léo Pinheiro e Odebrechts.

Podem essas delações encharcarem a situação sem que respinguem na oposição?

Vol de mercado vai aumentar como um todo; isso também está considerado em nosso Cenário de Rali.

03:21 - Em liquidação

Voltemos, então, aos trabalhos de rotina.

Previsão é de que a comissão do impeachment comece a atuar em abril.

O julgamento do processo ocorreria em maio.

Até lá, tudo para.

Será?

Já dizia Victor Hugo: nada é mais poderoso do que uma ideia cujo tempo é chegado.

Março, abril, maio…

Não se compra o tempo aqui; compra-se a ideia.

04:26 - Assim deve ser

Não tenho dúvida alguma.

Você precisa estar comprado em Bolsa neste momento.

Porém, a maior parte do seu patrimônio continua em Renda Fixa, e assim deve ser.

Como então aproveitar o impeachment também através de títulos públicos e privados?

No Empiricus Renda Fixa de hoje, a Marília avaliou todas as novas possibilidades da curva de juros e apontou os melhores papéis para você surfar esta quebra de paradigma.

Que mamata.

Links Recomendados

.: Lugar de mulher é na diretoria!
.: 10 oportunidades raras para lucrar com ações em 2016
.: Espresso Financista: Após seis altas, mercado pode sofrer ajuste com cautela externa

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: Juros em USD custa caro (exclusivo PRO)
.: Hedge com SUZB (exclusivo PRO)
.: O risco Caixa (exclusivo PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado