M5M_Dos Bandidos, o Maior

Algo não fecha nessa história toda e o futuro está ainda mais opaco do que de costume.

M5M_Dos Bandidos, o Maior

“Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil” – Joesley Batista

“[Joesley é] o bandido notório de maior sucesso na história brasileira” – Michel Temer

“Mas podemos ter as reformas e os ajustes avançando. E é só isso que me interessa sob o ponto de vista do BC” – Ilan Goldfajn

Trilha do dia
Arctic Monkeys – AM

Agora você pode ouvir a trilha do M5M no Spotify – confira aqui!

00:03 - Mais Opaco do que Nunca

Quem nos acompanha há um tempo sabe que um dos principais “pilares” da nossa filosofia é que, como o futuro é incerto, ao invés de fazer previsões, o negócio é estar preparado para qualquer cenário – saia de casa com cachecol, guarda-chuva, boné, sunga e protetor solar.

Além de funcionar, isso te liberta: se o futuro é imprevisível, o único acerto possível é saber que não se sabe – compre seguros, diversifique e não “acredite” muito em suas próprias teses.

Por mais que a gente aceite nossa condição “passiva”, a gente acha que consegue entender minimamente o que se passa com o país. Mas, confesso, faz um mês que a coisa complicou de vez.

Joesley entrega gravações e depois sai por Nova York comprando “brinquedos” e, agora, essa reportagem no fim de semana.

Algo não fecha nessa história toda e o futuro está ainda mais opaco do que de costume.

Claro que é necessária muita ingenuidade para achar que Temer e Aécio são meros inocentes que caíram em uma arapuca do MPF. Mas também é preciso uma grande dose de boa vontade para aceitar que o “vice decorativo” que assumiu o país há um ano é o “chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil”.

A JBS cresceu muito e por muitos anos com crédito subsidiado do BNDES, durante os governos de Lula e Dilma, e fazia parte dos ungidos “campões nacionais” do lulopetismo. Não me parece fazer muito sentido que Temer seja o chefe supremo do esquema todo.

Reitero: que todos os culpados sejam presos. Sempre achei difícil que os caciques do PMDB não estivessem envolvidos de alguma forma na brincadeira. Mas me parece que o foco mudou pra cima de Temer e, aos poucos, quem governou o país pelos últimos 16 anos vai escapando de fininho…

As coisas parecem que não vão acabar bem e a solução está longe de aparecer (o que não quer dizer que não haja solução) – FHC aos poucos vai lançando sua candidatura: nada faz alguém tão candidato a um cargo como dizer que não o é.

Ok, mas o que isso tem a ver com o seu bolso?

A única parte do governo Temer que ainda funciona é a equipe econômica e, mais do que isso, me parece claro que a única forma para que a turma de Brasília tenha alguma chance nas próximas eleições é colocar a economia em ordem. Sem PIB e emprego, não tem voto, amigo.

Enquanto Meirelles e sua turma se mantiverem como “fiadores” do governo, uma grande ruptura me parece pouco provável, e os dados de inflação e da atividade continuam corroborando o corte de juros (a segunda prévia do IGP-M para junho veio em -0,61 por cento).

Reformas? Algumas talvez venham, mas nada novo deve andar antes da denúncia de Janot contra Temer ser apreciada pelo Congresso.

De qualquer forma, ainda acredito que a agenda segue positiva para a economia, mesmo que esteja um pouco desidratada e mais devagar. Há que se esperar como vêm os dados de maio – qual será o tamanho do “efeito Joesley” na economia real?

Na prática: não saia por aí vendendo tudo, mas continue agarrado aos seus seguros. No longo prazo, a direção da Bolsa deve continuar para cima e dos juros para baixo, mas, no curto prazo, podemos ter muitos solavancos pelo caminho.

Minha maior preocupação parece ser a menor preocupação da maioria: todo comentário de gestor que leio fala que um choque externo é pouco provável.

Quanto mais eu olho para os mercados lá fora, mais me parece que uma correção grande está por vir. VIX nas mínimas, Bolsas na Europa e nos EUA nas máximas e a China, bem, a China continua sendo a China…

Quer saber como se preparar para um eventual “problema” lá fora? Dê uma olhada no que o Felipe “falou” hoje mais cedo aqui.

Por enquanto, continuo errado, e os mercados comemoram a vitória de Macron na França: o cara criou um partido e, em menos de um ano, elegeu 60 por cento do Congresso francês com uma agenda reformista – alguém se habilita a fazer o mesmo por aqui?

Bolsas no mundo todo operam em alta, dólar perde força e, por aqui, Bovespa também vai bem e opera acima dos 62 mil pontos. Se a semana começa bem, pode colocar na conta do franceses.

Merci, mes amis.

PS: É bastante divertido ver os que gritam por eleições diretas no Brasil se opondo veementemente às demandas de Trump por eleições diretas em Cuba. Por mais que eu não goste do Topete, nada mais justo que uma retomada das relações comerciais com Cuba tenha como contrapartida o aumento da liberdade e da democracia na ilha da família Castro.

03:30 - Chance de Ouro

Convém, também, agradecer ao Daniel. Ele já previu a quebra das incorporadoras e passou as últimas semanas inteiramente dedicado a um novo projeto – como investir em imóveis com menos de 10 mil reais?

Pense bem, com investimentos imobiliários, se tudo der errado, você ainda tem o imóvel – dificilmente a coisa vai a zero e, eventualmente, a economia se recupera, os imóveis se valorizam e a receita de aluguel volta a pingar na sua conta.

Um dos grandes problemas de se investir em imóveis é justamente a alta necessidade de capital e a dificuldade em se diversificar os investimentos.

Mas, com a tática do Daniel, você só precisa de 9 mil reais e ainda vai poder investir em 5 empreendimentos diferentes!

Confira aqui mas corra, porque as vagas são limitadas!

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

Conteúdo relacionado