M5M_Invista melhor: deixe a barba crescer

Almoçava com um amigo ontem, aqui perto do escritório, quando de repente ele disparou: “É impressão minha ou tem que ter barba pra trabalhar na Empiricus?”

M5M_Invista melhor: deixe a barba crescer

00:07 - Uma empresa de barbudos

Almoçava com um amigo ontem, aqui perto do escritório, quando de repente ele disparou: “É impressão minha ou tem que ter barba pra trabalhar na Empiricus?” Quase engasguei de tanto rir, imaginando a imposição sendo sacramentada em nosso “dress code”. Às meninas, barbas postiças no mesmo estilo que as perucas dos juízes britânicos, e tudo resolvido!
 
A provocação me fez lembrar de um conselho que recebi quando comecei a cultivar a minha: todo barbudo passará por momentos em que a mão vai coçar para pegar um barbeador. Quando isso acontecer, não faça nada de imediato: repense a decisão pelo tempo de uma semana para cada mês que deixou a barba crescer. Essa regra, talvez um tanto boba, me poupou de muitos dissabores em meio a vontades passageiras. A julgar pelos dissabores que sempre passo quando vou ao barbeiro — por mais que eu insista no “apare só um pouco”, sempre tiram demais —, ceder a um desses rompantes teria sido fruto de arrependimento.
 
Por que falo nisso? Porque penso que há grandes vantagens em aplicar a mesma postura a investimentos. Recebo frequentemente e-mails de assinantes relatando uma inquietude permanente com suas posições, mudando-as o tempo todo. Penso imediatamente nas vezes em que me vi em frente ao espelho tentando ajeitar o que só tempo e paciência ajeitariam — com as diferenças de que tesoura não paga corretagem e barba volta a crescer sozinha. Tempo e paciência… às vezes a melhor escolha é ficar quieto — verdade para a barba e para investimentos.
 
Não entendam em minhas palavras uma oposição ao jogo de curto prazo. Não sou contra trading: girar uma parcela pequena do patrimônio para aproveitar oportunidades é uma boa maneira de buscar retornos adicionais — assim trabalha a maioria dos gestores profissionais. Me oponho, isso sim, é a fazer só isso : passar o tempo todo girando o patrimônio inteiro, colocando todas as fichas em uma sucessão de oportunidades de curto prazo, como é do gosto de grande parte dos investidores individuais.
 
Seja ela física ou metafísica, deixe sua barba crescer. Faça, sim, ajustes pontuais; inove aqui e ali, mas se foque mais no permanente do que no passageiro.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

01:13 - Compre estas ações e coloque as barbas de molho

Só pra contrariar minha historinha, o Bruce não tem barba. Mas tudo bem: a falta de paciência dele para a empreitada é compensada pela adesão de espírito aos preceitos que a experiência ensinaria. Alguns já nascem prontos.
 
No Melhores Ações da Bolsa, ele busca identificar empresas cujas ações você deveria comprar e carregar para sempre . Ou seja: negócios com vantagens competitivas perenes e comprovada capacidade de entrega de resultados superiores.

Exatamente o que, penso eu, deveria responder pela maior parte da carteira de ações de qualquer indivíduo que esteja buscando alternativas de investimento para multiplicar o patrimônio no longo prazo.

02:08 - Nada novo sob o sol

“Há alguma coisa de que se possa dizer: vê, isto é novo?
 
Dia de realização. Lá fora, mercados seguem ajustando apostas quanto ao Fed. As declarações de Dudley, que haviam causado comoção, são agora vistas em perspectiva após a divulgação da ata em tom mais moderado. Talvez inadvertidamente, suas declarações alertando para um movimento a curtíssimo prazo acabaram por fortalecer as apostas lá para Dezembro. Na Europa, preocupações com o sistema financeiro (Itália, principalmente) servem de pretexto para questionar as altas dos mercados desde o Brexit. Nihil novi sub sole.
 
Por aqui, realização é ditada por variações sobre o tema fiscal. Temer faz reunião de emergência, hoje à tarde, com ministros da área econômica e lideranças parlamentares para costurar acordos e fazer avançar as pautas de natureza fiscal. Real se valoriza, com o Banco Central reduzindo a intervenção no câmbio.

03:12 - Qual é o negócio, Frota?

Captura de Tela 2016-08-23 às 07.11.59

A terceirização de frotas ainda é um mercado pouco penetrado: quase 90 por cento das empresas ainda carregam seus próprios veículos no balanço, prejudicando a alocação de capital. Em um esforço de racionalização da alocação de capital, grandes empresas, com gestão mais sofisticada, já optam pela frota terceirizada. As economias, por conta de escala, são da ordem de 30 por cento: empresas especializadas captam dinheiro mais barato e têm melhores condições de negociação com as montadoras.

 
O setor cresceu bastante de 2014 para cá, mas continua extremamente fragmentado: há cerca de 7 mil players no Brasil.
 
Como negócio eminentemente de escala, a oportunidade de consolidação é clara. A líder é a Localiza (RENT3), com cerca de 7 por cento de market share.

04:03 - Cavalo errado

A semana foi extremamente difícil para Trump. Hoje, em reação à dança das cadeiras promovida pelo candidato em meio a uma tentativa de ajustar os rumos da campanha, Paul Manafort — homem número 1 da investida republicana à Casa Branca — pegou o chapéu e foi embora, mostrando que sempre dá para piorar um pouco mais.
 
Faltando menos de três meses para as eleições, a sensação entre os republicanos de que escolheram o cavalo errado só cresce. Não se pode dizer, de qualquer forma, que não sabiam dos riscos de alçar uma personalidade como a de Donald a candidato: sempre se soube que a língua dele era grande demais e que, em campanhas eleitorais, isso pode dar muito certo ou muito errado.
 
A vantagem de Clinton já foi maior, mas segue confortável.
 
Captura de Tela 2016-08-23 às 07.12.53

Links Recomendados

.: À caça de uma previdência de verdade

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: O feirão da Vale continua
.: Chineses de olhos abertos
.: Nunca investiu-se tão pouco

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado