M5M_May the Fourth Be With You

“You can’t win, Darth. Strike me down, and I will become more powerful than you could possibly imagine.” Obi Wan Kenobi

M5M_May the Fourth Be With You

Hoje é Dia de Star Wars, bebê e, enquanto Ricardo coloca alguns outros assuntos em ordem, assumi a bagunça por aqui.

“You can’t win, Darth. Strike me down, and I will become more powerful than you could possibly imagine.” Obi Wan Kenobi

Trilha do dia

00:07 - A Ameaça Chinesa

Mercado brasileiro não reagiu bem ao discurso do Fed (que deixou caminho aberto para aumento de juros já na próxima reunião) e ao vento que sopra da China.

Mesmo com avanço da reforma da Previdência, Bolsa cai e juros e dólar sobem. Os nomes mais ligados às commodities sofrem bastante.

Lá fora, mercado se comporta bem, com a Bolsa americana de lado e as europeias atuando majoritariamente no verde.

01:13 - Em uma China muito, muito distante

A coisa ficou feia na China – mercados panicaram depois que o crédito secou e os dados de atividade e expectativa de crescimento decepcionaram (PMI passou a indicar contração na indústria de aço).

Com estoques em altas históricas (mais de 130 milhões de toneladas de minério nos portos chineses), aumento de oferta (só o Brasil deve colocar mais 100 milhões de toneladas no mercado ano que vem) e indícios de queda de demanda, o resultado só poderia ser um: minério caiu forte, chegando a disparar circuit breaker. Encerrou o dia com queda de mais de 6 por cento.

Além do minério, commodities sofrem de maneira generalizada.

Há tempos alertamos sobre o perigo chinês – impossível saber se será apenas um soluço ou se a correção será mais longa, mas fica difícil fazer investimentos de longo prazo que dependam da caixa preta chinesa.

O que fazer agora?

02:08 - Uma Nova Esperança

Nada de pânico! Se na China as coisas vão mal, o negócio é focar no que vai bem.

E, por mais que seja difícil de acreditar, as coisas no Brasil começam a caminhar – além dos bons balanços corporativos no primeiro trimestre, as reformas andam, mesmo a contragosto de quem não quer perder a boquinha.

Comissão aprovou o texto da Previdência com 3/5 dos votos, reforma trabalhista anda no Senado (mesmo que Renan faça de tudo para atrapalhar) e a Lava Jato esteve nas ruas, prendendo mais gente que roubou propina da Petrobras.

Nosso conselho é continuar com foco em nomes locais para capturar a retomada do varejo e queda de juros.

Pode ser difícil de acreditar, mas as reformas passarão e o país vai voltar a crescer – os balanços das empresas neste primeiro tri já apontam nessa direção.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

03:12 - O Império Contra-Ataca

A quem interessa frear a Lava Jato?

Especula-se que a delação do italiano entregaria muita gente graúda, como grandes bancos e a “nata” do empresariado brasileiro.

Darth Lula avisou: “Se fizer delação e contar tudo que ele sabe, pode prejudicar muita gente, menos eu”.

Além de ser uma confissão de culpa (como o nine fingers sabe o que Palocci pode entregar?), foi claramente um recado para que se trabalhasse em prol da soltura do Italiano – Dirceu teria sido só o primeiro passo.

Em resposta, Fachin levou o pedido do Habeas Corpus do Dr. Palocci para plenário no STF.

Assumindo que não haja muitas surpresas (o que é pedir muito, em se tratando de STF), estamos nas mãos de Luiz Fux, Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso.

Se dois deles penderem para o lado negro, Palocci vai para casa e sua delação fica seriamente ameaçada.

E por que isso importa?

Importa porque sua delação tem, supostamente, o poder de encerrar qualquer narrativa para as eleições de 2018 e os vermelhos já sinalizaram uma guinada mais forte à esquerda. Eu, sinceramente, não quero morar na Venezuela.

04:03 - O Retorno do Milhão

Assim como todo padawan precisa de treinamento e orientação para se tornar um Jedi, para juntar seu primeiro milhão, não é diferente. O Waltinho desenvolveu um método que te ensina a conquistar sua independência financeira.

Já pensou a tranquilidade de ter um milhão na conta?

Não vai ter medo, pânico, prejuízo ou sofrimento nunca mais!

Mas tem que correr porque são as últimas vagas e últimas horas antes de acabar!

Acesse aqui!

Três regras para reduzir riscos na hora de investir.

1) Não invista em algo que não entende. Essa é a regra mais importante e a mais fácil de ignorar. O desafio é que às vezes nos convencemos de que entendemos algo que, na verdade, não entendemos. Quando eu digo que você deve entender um negócio, quero dizer que deve conhecê-lo de cabo a rabo: saber como ele gera dinheiro, quais produtos são os mais lucrativos, que problemas ele enfrenta, de que tipo de financiamento precisa, etc.

2) Nunca invista muito dinheiro em um único ativo. Quando se trata de ações, é o que se chama de position sizing. Você pode dizer, por exemplo, que não gastará mais de 5 por cento do dinheiro que destinou a ações em um papel específico ou que não investirá mais de 1 por cento de seu patrimônio em uma ação específica.

3) Para reduzir ainda mais os riscos, sempre diversifique seus investimentos em várias classes de ativos. O nome disso é alocação de ativos, e alguns estudos sugerem que este é o fator mais importante na construção de riqueza no longo prazo.

Cadastre-se aqui para receber uma novidade em breve.

Ao sucesso,
Mark

Links Recomendados

Tesouro Direto ou previdência: é preciso escolher?
O voto de Fux
Você tem IMÓVEL? Sabia que ele é a coisa mais cara que você comprará ou venderá na vida?

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: Prestando Contas
.: A propósito…

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado