M5M_Música para nossos ouvidos

Bons sinais, no mesmo dia, para política monetária e fiscal, é música para nossos ouvidos.

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
M5M_Música para nossos ouvidos

00:03 - Desculpa perfeita

Leio na tela: “investidores estão mais cautelosos hoje com relação à eficácia das medidas de estímulo dos bancos centrais, em meio a dados mistos de atividade econômica”. Blá, blá, blá.

O dado de destaque é o PMI da Zona do Euro, no pior nível em 20 meses.

Desculpa perfeita para realizar ganhos após um dia de euforia ontem. Ou vão querer me convencer de que a situação ruim da Europa ainda é novidade para alguém?

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

01:10 - Rindo à toa

O cachorro abana o rabo, e não o contrário. Seguimos aqui a tendência de fora, com destaque negativo para petróleo — o barril volta a cair lá fora, em meio às preocupações de sempre — e positivo para celulose, que explico logo abaixo.

Mas isso é o de menos. O noticiário local é muito mais interessante.

O governo fazendo força pela PEC que estabelece a autonomia do Banco Central. Enquanto isso, governadores se posicionam favoravelmente à contenção dos gastos públicos, assentindo inclusive com a restrição a reajustes de folhas de pagamento — principal desembolso dos Estados.

Bons sinais, no mesmo dia, para política monetária e fiscal, é música para nossos ouvidos. O país agradece, e a Marília está rindo à toa: tudo conspira a favor da Oportunidade da Década na Renda Fixa.

02:18 - O joio e o trigo

Bati os olhos, ontem, em um “extrato de fundos de investimento” de um bancão. Fiquei impressionado com a capacidade deles em, ao longo de três páginas, dizer tão pouco.

Sinceramente: qual informação ali é efetivamente útil?

Não é para menos: se trouxessem algo de significativo, evidenciariam que a grande maioria dos produtos é simplesmente uma porcaria.

Ainda bem que temos a Luciana para separar o joio do trigo, lá no Melhores Fundos de Investimento.

03:01 - Celulose: Quanto riso, ó, quanta alegria

Quanta alegria entre as empresas de celulose hoje, não é mesmo?

O motivo é a opinião, de uma importante consultoria especializada, de que há espaço no mercado para um novo reajuste de preço da commodity. A ver.

Cuidado com a euforia: aos preços, dolarizados, se opõe a taxa de câmbio. Ficar direcional em dólar não nos anima.

Com um pouco mais de segurança, em função da maior exposição ao mercado doméstico (e consequente potencial de upside com melhora da atividade local), gostamos de Klabin (KLBN11), recomendação da Carteira Empiricus.

04:14 - Isso é tão 2001

O Airbnb acaba de levantar pouco mais de 550 milhões de dólares. Dentre os investidores, Google. Subscrevendo novas ações a 105 dólares, jogam o valuation implícito do negócio para 30 bilhões.

Pouco mais do que o valor de mercado da Vale.

Eu sei todo o jargão: nova economia, compartilhamento et caterva. Ainda assim, não posso deixar de pensar que há algo de errado aí.

Dos 550 milhões, cerca de 200 foram para o bolso de funcionários, que reduziram suas participações.

Links Recomendados

.: Banco ou corretora independente: como escolher?
.: Seja o próximo a ganhar +431 por cento em 21 dias com o Ponto de Fusão

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: RUMO: Renovação da Malha Paulista no caminho certo (PRO)
.: VALE vs BRAP: Uma atualização (PRO)
.: CSNA: Dívida ou equity? (PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo recomendado