M5M_O bode segue na sala

Viramos a folha do calendário, mas juros nos Estados Unidos seguem como o bode no meio da sala do mundo.

M5M_O bode segue na sala

00:12 - Yellen e o bode

Viramos a folha do calendário, mas juros nos Estados Unidos seguem como o bode no meio da sala do mundo — e eu não aguento mais falar nisso.

O foco de atenção está nos dados de emprego que serão divulgados amanhã: se fortes, podem dar fôlego adicional à tese de que juros podem vir tão rápido quanto neste mês. Apostando nesse cenário, investidores reduzem exposição a ativos de risco e ações recuam moderadamente por lá.

 

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

01:25 - Que continue assim

Na Ásia o destaque é China, que reportou dados de produção industrial acima do esperado, incentivando a leitura de que o governo local está tendo sucesso na manutenção do ritmo da atividade econômica.

A boa notícia vinda do oriente tem reflexo positivo nos preços de metais (não é o caso de minério de ferro, ressalto) que, por sua vez, impulsionam ações de mineradoras nas bolsas europeias — influenciadas também pelo fato de, a despeito de todo o alarme por conta do Brexit, a produção industrial no Reino Unido ir muito bem, obrigado.

Que continue assim: seria péssimo que preocupações externas ofuscassem nosso momento por aqui.

02:00 - O não-dito ficou pelo dito

Por aqui, destaque ficou para a ata do Copom, mas pelo que o documento não trouxe: os membros do comitê sumiram com o trecho que constava no mês passado e descartava cortes de juros no curto prazo.

Palavras apenas? Não: há, sim, espaço para queda de Selic mais à frente.

O principal requisito é disciplina do lado fiscal. E é precisamente isso que vimos no orçamento para 2017, apresentado ontem: o governo propõe uma redução de despesas da ordem de meio ponto de PIB, revertendo assim a trajetória de expansão da gastança que vivemos desde 2011.

03:16 - Prepare-se para o segundo sol

Com o segundo sol chegando para realinhar as órbitas das políticas monetária e fiscal — coisa que não víamos há muito tempo por aqui —, despontam no horizonte as condições para queda de juros de longo prazo sobre as quais já falamos há algum tempo.

Falamos de um movimento estrutural, não de um outro cometa como o visto da última vez em que o Brasil ficou pop.

Se ainda não o fez, olhe para os prefixados de vencimento mais longo. Gostamos da LTN (Tesouro Pré) com vencimento em 2023.

04:07 - Você decide

Na Empiricus, cada analista tem a liberdade de imprimir seu estilo pessoal aos produtos que capitaneiam. Isso nos permite não somente abordar diferentes classes de ativos e estratégias de investimento, mas também atendermos melhor clientes com diferentes perfis.

Com o Premium Pass você tem a chance de conhecer melhor nossos diferentes produtos e estilos. Ele garante acesso a todos os nossos produtos essenciais por um mês, sem compromisso. Ao final desse período, oferecemos um ano de assinatura da sua série favorita, sem custo adicional.

Links Recomendados

.: O que ninguém vai falar a você sobre CEF e Miami

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: Para ficar de olho
.: Só agora, S&P?
.: Muito choro por nada

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado