M5M_O Campo Salva a Pátria

E tudo indica que agronegócio seguirá puxando nossa economia.

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
M5M_O Campo Salva a Pátria

“Em função do cenário básico e do atual balanço de riscos, o Copom entende que uma redução moderada do ritmo de flexibilização monetária em relação ao ritmo adotado hoje deve se mostrar adequada em sua próxima reunião” – comunicado do Copom.

“O Brasil saiu da pior recessão do século” – Henrique Meirelles.

Trilha do dia
Metallica – Metallica (Black Album)

Agora você pode ouvir a trilha do M5M no Spotify – confira aqui!

00:05 - O Fim da Crise?

PIB brasileiro cresceu 1 por cento no 1T17 – primeira alta em 8 trimestres, ou 24 meses, ou dois anos.

Na comparação anual, o PIB ainda apresentou queda de -0,4 por cento, ou seja, ainda estamos abaixo do primeiro tri do ano passado – Dilmãe foi a primeira presidenta a criar uma máquina do tempo: PIB brasileiro voltou ao que era lá no fim de 2010.


Fonte: Empiricus Research e IBGE

De qualquer forma, oficialmente, a recessão acabou, a questão é saber se esse crescimento vai se repetir nos próximos trimestres ou se a crise política vai enfraquecer o processo de retomada.

Olhando um pouco mais no detalhe, o que puxou mesmo o número foi o setor agrícola (alta de 13,4 por cento no trimestre) – refletido nas exportações. Tudo indica que agro seguirá puxando a economia – governo tem estimulado o setor e o clima contribui para a safra recorde.

Mesmo que não tenha “brilhado”, consumo já dá sinais de estabilização e a grande decepção fica ainda com os investimentos – recuo de -1,6 por cento. Dada a incerteza que sopra de Brasília, difícil esperar que haja grande avanço no próximo tri.

Mesmo que o alívio tenha vindo do campo, é bom ver números positivos depois de tanto tempo – gol de canela vale tanto quanto gol de placa.


Fonte: Empiricus Research e IBGE

Uma boa surpresa foi a revisão do número do 4T16 – queda tinha vindo -0,9 por cento e foi atualizada para -0,5 por cento.

Qualquer ajuda é bem-vinda.

O mercado agradece e, com a ajuda externa (mais à frente), a Bolsa sobe depois do tombo de ontem. A curva de juros responde ao comunicado do Banco Central (abaixo) e juros abrem um pouco. Dólar segue absolutamente comportado e vai de lado próximo dos 3,25 reais.

01:10 - Bunda na Parede

Copom reduziu a Selic em 100 bps e sinalizou que os próximos cortes podem ser mais moderados (entenda-se 75 bps na próxima reunião).

Há quase uma revolta entre os economistas: “pra que sinalizar redução do corte em uma economia que já está totalmente amassada?”.

Minha opinião, e confesso que estou praticamente sozinho nessa, é que a cautela de Ilan é justificada.

Ninguém sabe se e como Temer vai se manter, a situação fiscal ainda é um grande problema e o câmbio pode estressar a qualquer momento – se eu não estou disposto a pagar antecipado, por que o Bacen deveria?

Há quem diga que Temer já aceitou um recuo no fim do imposto sindical – o que mais ele vai entregar para ficar no cargo?

Vale lembrar que o foco do Banco Central é o controle da inflação via política monetária.

Tudo e só isso.

Como o processo de afrouxamento monetário é endógeno e path dependent (o resultado depende do caminho), acelerar os cortes pode resultar em uma Selic final maior.

É melhor ir cortando aos poucos e ajustar conforme os eventos em Brasília vão se desenrolando.

De qualquer forma, estamos próximos de uma Selic de um dígito – claro que é preciso endereçar o problema fiscal para que isso se mantenha.

Pode-se falar o que quiser do governo Temer (e há bastantes críticas a serem feitas), mas, em um ano, ele fez mais pela redução dos juros e pelo fim da vida mansa dos rentistas e banqueiros do que os cinco anos do governo anterior.

02:13 - O Mapa da Marília

Se você quiser saber mais sobre Selic, taxas de juros e como isso afeta seus investimentos e sua futura aposentadoria, a Marília  criou o Mapa do Tesouro , um curso para leigos totalmente focado no Tesouro Direto.

São seis aulas ao vivo, que explicam desde o comecinho (como abrir sua conta) e vai até instruções para fazer a gestão ativa de sua carteira.

No ano passado, quem seguiu as recomendações da Marília, lucrou 49 por cento. Já esse ano, a estratégia está rendendo 169 por cento do CDI.

Dê uma conferida aqui!

03:25 - Ainda o Brexit?

Se aqui o tom é de cautela, os dados de emprego nos EUA surpreenderam pra cima – foram criadas quase 250 mil vagas de emprego em maio e, na esteira dos bons dados e da recuperação do preço de algumas commodities, Bolsas americanas operam em alta.

A grande dúvida do momento (como o mercado adora uma narrativa, não?!) é se as eleições no Reino Unido vão azedar – as pesquisas mais recentes indicam que Theresa May viu sua vantagem, que era de 20 pontos, cair para perto de 3 pontos percentuais.

E o que isso importa?

Bem, se a Primeira Ministra perder força no Parlamento, as negociações sobre o Brexit podem tomar caminhos inesperados.

Quem vai mal é o minério – nova queda de quase 2 por cento, já opera próximo dos 55 dólares por tonelada – amanhã falaremos um pouco mais sobre isso e a tal “Rota da Seda” chinesa.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

Conteúdo recomendado