M5M_Qual a medida do seu ego?

Kahneman deu uma baita aula no evento de ontem. Belíssimo aprendizado sobre os erros mais comuns do investidor.

M5M_Qual a medida do seu ego?

00:02 - Teste de sobrevivência

Kahneman deu uma baita aula no evento de ontem.

Belíssimo aprendizado sobre os erros mais comuns do investidor.

O principal desses erros decorre da combinação entre “overconfidence” e “optimism”.

Portanto, sempre questione suas decisões de investimento antes de colocá-las em prática.

Faça um teste de sobrevivência com elas.

Comece pequeno, e vá aumentando posições gradativamente, de modo que a confiança seja construída por merecimento.

01:18 - É só o começo

Overconfidence tem muito a ver com a medida do seu ego.

Quanto ao otimismo, passa – naturalmente – pela influência conjuntural.

No momento, não temos muitas razões para sermos otimistas.

Mas isso pode mudar, rapidamente.

A falta de produtos nas prateleiras dos mercados diminuiu, segundo levantamento da Neogrid.

E a abertura de vagas de emprego teve o primeiro aumento mensal e interanual desde junho de 2014, conforme o Índice Catho-Fipe.

As ondas de otimismo sempre começam tímidas, quase imperceptíveis.

02:13 - Quarto tri

Este otimismo ainda tímido é obrigado a conviver com um noticiário ainda incômodo.

IGP-M de julho apontou inflação acima do esperado (+1,69%, versus expectativa de +1,50%).

Por outro lado, gosto de lembrar que a recente valorização do real vs. dólar vai ajudar no controle inflacionário.

Temos também um presidente de BC falcãozinho.

Tudo isso nos trará enormes benefícios, especialmente a partir do quarto trimestre.

03:05 - 2018 vem aí

Por ora, dói segurar a Selic em 14,25%.

Mas vale a pena.

O esforço de Ilan redundará em um afrouxamento monetário mais sério.

Ou seja, mais consistente e com menor risco.

Pensando nisso, Temer já manifesta vontade de abaixar a meta de inflação de 4,5% para 4,0% em 2018.

O que me leva a pensar em quem será o (felizardo) próximo presidente do Brasil.

04:02 - Por mais dividendos

Esse processo consistente e mais pavimentado da política monetária é algo que me agrada muito.

E que pode ter consequências importantes para o preço dos ativos domésticos, aumentando, por exemplo, a atratividade das ações pagadoras de dividendos.

Aqui você encontra um material interessante que montamos sobre elas.

Quanto mais barata a Bolsa estiver, mais ações de boas empresas você vai comprar… e mais dividendos irá receber.

Links Recomendados

.: Por que os bancos escondem linhas do BNDES?
.: O código secreto da multiplicação de capital
.: Mercado chinês avança com autoridades buscando acalmar temores sobre Reino Unido

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: Papel atrativo (exclusivo PRO)
.: Navegando contra a maré (exclusivo PRO)
.: SER contra-ataca (exclusivo PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado