M5M_Romaria

Disseram aos governadores que fossem a Brasília pra pedir, de romaria e prece, paz nos desaventos… e assim eles fizeram.

M5M_Romaria

00:07 - Sonho e pó

O dia é de mercados em alta mundo afora, impulsionado principalmente por commodities.

Seguem fortes as expectativas de um acordo na OPEP para reduzir a produção do óleo negro. Renovam-se também as apostas nos metais, repercutindo as altas de minério de ferro e aço na China, com destaque para o cobre em Londres.

No front europeu, ecoa otimismo com sinais de extensão dos estímulos monetários pelo Banco Central Europeu — o mesmo de sempre.

Nenhum destes, diga-se de passagem, qualquer tema que me inspire confiança.

Não se perca na vida à custa de aventuras.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

01:18 - Paz nos desaventos

Disseram aos governadores que fossem a Brasília pra pedir, de romaria e prece, paz nos desaventos… e assim eles fizeram.

A postura de Meirelles, no entanto, é outra: vendam ativos, privatizem empresas, emitam dívida… enfim, arquem com a responsabilidade sobre o problema em que se enfiaram ao assentir com o crescimento desenfreado dos gastos obrigatórios promovido nos últimos anos.

Justo, não? Ou é assim, ou o governo federal virou fiador dos governos estaduais. Talvez caiba ao governo federal mediar uma solução, mas certamente não lhe compete resolver o problema sozinho.

A crise dos Estados ainda dará pano para manga.

02:07 - De volta à mesa

Passado o susto-Trump e consolidada a percepção de que o mundo não acabará, o mercado — que havia chegado a cogitar Selic estável no próximo Copom — voltou a colocar na mesa a possibilidade de uma aceleração no corte para 50 pontos-base.

Os leitores deste M5M bem sabem que este escriba insistiu que as condições para isso estavam dadas e que o BC, se efetivamente guiado pelos dados econômicos — e não por análises esotéricas da imprensa especializada que tudo erra —, poderia, sim, considerar esse cenário.

Se a tese ganhar força, curva de juros deve seguir fechando bem. Foco nos prés.

03:20 - Não tem mais desculpa

Por falar nisso, volta-e-meia me escrevem reclamando que os conceitos de renda fixa são difíceis de entender.

Como um cara que trabalhou a carreira inteira com equities, eu ainda acrescento: é chato pra caramba.

Ainda bem que a Marília tem o dom de fazer o difícil parecer fácil e o chato parecer… menos chato.

Como se não bastasse o material habitualmente maravilhoso (sou fã mesmo, admito!) do Empiricus Renda Fixa, ela decidiu dar uma forcinha extra mastigando tudo (ainda mais) em uma série de vídeos semanais, curtos e diretos. Olha a chamada que ela fez no finalzinho da semana passada:

E ela cumpriu a palavra: o primeiro vídeo já está disponível para os assinantes.

Acho que agora não tem mais desculpa para não entender que renda fixa não é fixa, né?

04:03 - Entenda como quiser

Expectativas em torno do futuro governo Trump seguem ditando mercado americano.

Quatro dos principais índices americanos — o S&P500, o Dow Jones, o Nasdaq e o Russell 2000 — atingiram, simultaneamente, suas máximas históricas ontem.

É a primeira vez que isso acontece desde a bolha das ponto-com, em 31/12/1999.

Links Recomendados

.: S01E04 – Negócio Arriscado
.: O Trade do Faraó. O investimento que você deve fazer HOJE para garantir o seu futuro e o das próximas gerações

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: SUZB: Subindo a régua (PRO)
.: Siderurgia: Até quando vai a brincadeira? (PRO)
.: Obrigado, Donald (PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado