M5M_Se For Cair, Não Compre!

O que é um bom investimento?

M5M_Se For Cair, Não Compre!

“Estou preocupado com esse novo roteiro do TSE. Se absolver Temer e Dilma, a casa cai”. – Tasso Jereissati

“A iminente exclusão das provas de caixa 2 da Odebrecht no financiamento da campanha presidencial da chapa vitoriosa em 2014 prenuncia a absolvição de Dilma Rousseff e Michel Temer e talvez se torne a mais impopular decisão judicial da história recente do país.

É alta a chance do Judiciário enveredar pela mesma espiral de descrédito que afeta os poderes Legislativo e Executivo desde o início do noticiário sobre corrupção produzido pela Lava Jato” – Valor Econômico

Trilha do dia
The Who – Quadrophenia

Agora você pode ouvir a trilha do M5M no Spotify – confira aqui!

00:05 - Compre Barato, Venda Caro.

O que é um bom investimento?

Um Value Investor vai dizer que é aquele feito após muito estudo e diligência. Comprar uma boa empresa a um preço baixo e com triggers de destravamento de valor no médio prazo – encontrar valor a baixo preço.

Para o trader grafista, o bom investimento é quando a média móvel de 15 dias cruzou pra cima a média móvel de 30 dias.

Tem gente que opera fluxo, tem gente que opera o “papinho” do mercado.

A verdade é que um bom investimento é aquele que você ganha dinheiro – nunca vou esquecer o “manual de instruções” colado nas mesas dos traders de equity do Credit Suisse.

“Se for subir, compre. Se for cair, venda.

Não compre se for cair. Não venda se for subir”.

Brilhante, simples e pragmático.

O cara que comprou Bitcoins a 6 centavos de dólar em 2010 está dando risada à toa. Pouco importa se a criptomoeda cumpre os requisitos necessários para ser, de fato, uma moeda.

Quem investiu mil dólares tem hoje a bagatela de 46 milhões de dólares na conta (assumindo que resistiu à tentação de vender no meio do caminho – o que duvido muito!).

Em alguns anos, valorização de mais de 4,5 milhões por cento – 46 mil vezes o capital investido!

Convexidade na veia, amigo – tudo que o cara poderia ter perdido era o que ele investiu (ou seja, 100 por cento).

Fontes: Empiricus Research e Bloomberg.

Agora, me fale se alguém descontou fluxo de caixa, preencheu tabela SWOT, analisou moat ou visitou a “fábrica” de bitcoins.

Não! O cara comprou, a jaca subiu e o resto é história.

Pode fazer muito mais sentido comprar meia dúzia de novidades promissoras do que tentar “adivinhar” o EBITDA da Vale em 2018.

Tudo que o engomadinho da Faria Lima mais odeia é ver aquele cara que ganhou dinheiro comprando e vendendo frutas no CEASA mas não tem a mínima ideia do que é um Business Plan.

Talvez por isso a mesma galera que babou um baita ovo pras empresas “X” ainda torça o nariz pra Magazine Luiza.

02:13 - B(b)olsa é o melhor investimento

Falando em investimentos alternativos, olha só o que surgiu no Facebook:

Não é de hoje que artigos de luxo são bons investimentos – bolsas Chanel e Hermès não fogem à regra. Na verdade, comprar uma boa bolsa tem dado resultados melhores que investir na Bolsa.

Reza a lenda que, em 1983, a atriz Jane Birkin, ao cruzar com o chefão da Hermès em um voo, reclamou que não encontrava em lugar nenhum uma boa bolsa de couro para os fins de semana…

Nasceu, então, a Birkin – talvez a bolsa mais icônica da história da moda. O preço da lendária bolsa da Hermès subiu cerca de 14 por cento ao ano desde sua criação até 2015 – no mesmo período, o retorno anual do S&P 500 foi de 11,5 por cento.

Mais impressionante ainda, segundo o site BagHunter (sim, existe uma Bolsa de bolsas), nesse período de 35 anos, em nenhum ano o modelo da Hermès apresentou retorno negativo – a tal da Birkin só sobe!

Mas, por que isso?

As bolsas são feitas em número limitado e não são anunciadas, ou seja, há um quê de exclusividade nas danadas – a lista de espera para comprar uma no “mercado primário” pode ser de até seis anos! No secundário, uma inocente bolsinha pode custar de 60 mil a 200 mil dólares.

Não à toa, tem muita esposa de político que tem coleções enormes de bolsas em seus armários – é uma ótima forma de investir a propina sem que os recursos transitem pelo mercado financeiro.

Certamente, as intenções de nossos assinantes são muito mais lícitas e, chegando perto do dia dos namorados, é uma boa pra investir e ainda fazer aquela surpresa bacana pra esposa.

Pronto, Laura, já pode encaminhar pro maridão!

03:00 - Regra de Ouro

Se comprar uma bolsa de couro pode te render muito dinheiro, escolher a ação certa pode render muito mais – desde os anos 2000, as ações das Lojas Americanas (LAME4) renderam mais de 24 por cento ao ano, em dólares!

Mas, escolher As Melhores Ações da Bolsa exige método e o nosso Value Investor, Bruce, vai te falar o segredo de Warren Buffet – A Regra de Ouro do Oráculo de Omaha!

Curtiu? Dá uma olhada aqui!

 

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

03:55 - O Voo Tucano

Lá fora, mercados continuam esperando o desfecho do depoimento de Comey no Senado Americano e das eleições no Reino Unido. Draghi, em seu discurso após reunião do Banco Central Europeu, adotou um tom cauteloso, falando que os riscos globais estão balanceados mas que o crescimento econômico ainda precisa se traduzir em “dinâmicas inflacionárias mais fortes”.

Ou seja, está chegando a hora de aliviar os estímulos e aumentar juros, mas, ainda nem começaram as discussões.

Há pouco apetite para risco e as Bolsas mundiais se comportam de acordo: tudo meio de lado.

Por aqui, ganha força a ideia de que, mesmo se for absolvido no TSE, Temer vai perder o apoio do PSDB – o episódio do jatinho da JBS teria sido a gota d’água para o tucanato no Senado. Bolsa cai, dólar e juros sobem – mercado tinha, mesmo, comprado a ideia de Temer ficar e aprovar as reformas desidratadas.

Será vergonhoso se a chapa Dilma-Temer não for cassada: o volume de provas, evidências, depoimentos e etc é estarrecedor – não restam dúvidas de que dinheiro sujo financiou a campanha dos unidos pelo hífen.

Mas, em se tratando de Brasil, tudo pode acontecer e, ao que parece, pelo TSE é que Temer não cai.

Conteúdo relacionado