O email do leitor Lauro C.

A fantástica máquina de imprimir dinheiro e o calote que vem com ela.

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
O email do leitor Lauro C.

00:09 - Formulando a pergunta

Oi Rodolfo,

Sou fã e acompanho todo o trabalho dos senhores. Minha admiração e respeito!

Não sei se é possível me atender numa dúvida. Se ok, agradeço de antemão.

Ouvi ontem no noticiário da Rádio Bandeirantes, sem chance de anotar nomes, que um economista disse ser errado entender que haja ”calote” pelo Brasil em razão de que os nossos títulos públicos são emitidos com lastro em nossa moeda e não em dólar, com aconteceu com Grécia e alguns outros países.

Tem algum sentido nesta afirmação?

Muito obrigado,
Lauro C.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

01:21 - Esclarecendo a confusão

Oi Lauro,

Esse é um erro de entendimento bastante comum. Como se pode perceber, comum mesmo entre economistas.

Na prática, TODA emissão de dívida carrega consigo um risco de calote, que pode ser alto ou baixo.

Senão, não seria chamada de dívida.

No caso da dívida pública denominada em moeda local, é claro que o Governo sempre poderá imprimir mais dinheiro para pagá-la.

Mas essa é uma solução falsa.

Pense em como cheira mal. A vida não é tão fácil assim, certo? Máquina de imprimir dinheiro?

A emissão de moeda gera um efeito colateral perigossíssimo, o qual aposto que você, Lauro, conhece bem.

02:22 - Isto é superinflação

Hoje pela manhã, o IBGE divulgou mais uma leitura tenebrosa de inflação, no IPCA-15.

O índice – estimado em +0,94% duas semanas atrás – ficou em +1,42% nos 30 dias mensurados até meio de fevereiro.

Ou seja, mais de 50% acima do projetado.

Dentro dessa superinflação, tudo piorou: alimentação, industriais, preços administrados…

Até a conta de serviços, que deveria refugar devido ao desemprego, subiu +1,26%.

Pombini colocou todas as fichas no recuo de serviços, mas não estamos vendo NENHUM indício de arrefecimento.

03:25 - Ou seja, isso é calote

Das várias causas documentadas para a superinflação, uma não deixa dúvidas.

Desequilíbrio fiscal, arquitetado no Brasil pelo Governo Dilma.

Com 1,42% de inflação ao mês, a população perde poder de compra e os investidores em títulos públicos perdem seu poder de remuneração líquida.

Isso se chama CALOTE – conforme esmiuçado em nossa tese.

Não adianta fingir que não é. Seu bolso não é tonto.

Veja só o que Gustavo Franco escreveu brilhantemente sobre o assunto, no livro “As Leis Secretas da Economia”:

m5m-230216-01

04:28 - Novo livro de cabeceira

As Leis Secretas do Franco era meu livro de cabeceira, mas acabei no fim de semana.

Sabe aquela tristeza que dá quando a gente termina um livro legal?

Já passou.

Por sorte, iniciamos a pré-venda do novo livro do Felipe, exclusiva aos leitores da Empiricus – posteriormente, estará nas principais livrarias.

Como assinante da série Palavra do Estrategista, você pode ficar tranquilo: tem acesso ao livro na íntegra, em sua versão digital, sem qualquer custo.

Aqueles que ainda NÃO assinam o Palavra podem conhecer melhor o livro clicando aqui.

m5m-230216-02

Links Recomendados

.: Espresso Financista: Petróleo em queda e prisão de marqueteiro do PT roubam a cena
.: Criando negócios com pouca grana
.: O calote: algumas verdades (ainda) não reveladas sobre a economia brasileira

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: Zona de compras (exclusivo PRO)
.: Zona neutra (exclusivo PRO)
.: Zona mista (exclusivo PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo recomendado