O Relógio

00:07 - Depois do almoço

Pena que só tenho estes cinco minutos.

Acordei ansioso para comentar os dados de arrecadação do governo, mas a Receita Federal optou por adiar a publicação para depois do almoço.

Talvez seguindo a máxima de que sexta depois do almoço já é sábado, e ninguém mais vai prestar atenção.

Estou certo, porém, que você continuará atento, 15h30, pois é sua grana que está em jogo.

O mercado espera um recuo da arrecadação para o nível de R$ 95 bilhões em agosto.

O tempo passa. O déficit primário só tende a piorar.

01:19 - Façamos a siesta

Warren Buffett gosta de classificar empresas em duas categorias.

Há aquelas que são beneficiadas pela passagem do tempo, e as que são prejudicadas.

Absolutamente nada escapa ao crivo do tempo, embora o tempo – per se – também não seja culpado de nada.

O tempo é apenas o mensageiro do sucesso ou insucesso de uma empresa, de um governo.

A Antígona de Sófocles bem notava: “ninguém ama o mensageiro que traz notícias ruins”.

But don’t shoot the messenger – avisava Shakespeare.

O maior inimigo do Governo Dilma é o tempo.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

02:18 - Dormindo com o inimigo

Eu e você sabemos que a taxa de juros nada mais é do que o custo do dinheiro através do tempo.

Você prefere receber R$ 10.000 hoje ou R$ 11.500 daqui a um ano?

Quanto você cobra para adiar seu desejo de mudança imediata?

Não sou dos maiores fãs de Tombini (você deve ter notado), mas admiro a aula que ele deu ao Senado nesta semana.

O presidente do Bacen explicou que a Selic roda a 14% ao ano basicamente para financiar os excessos do Tesouro Nacional.

Todos nós estamos pagando juros médios maiores para que o Tesouro possa pagar juros médios menores.

Se, por exemplo, o Copom reduzisse a fórceps a Selic para 7% ao ano, o custo de funding do Tesouro não cairia, mas sim subiria intensamente.

03:24 - Acordando atrasado

Corolário: a taxa básica de juros só cairá quando (e se) a situação fiscal melhorar.

Joaquim Levy e Nelson Barbosa alegaram que não possuem um plano B para o caso de a CPMF ser rejeitada.

Ou seja, o Plano A deles se refere a um cenário com 10% de probabilidade de ocorrer.

Nova tentativa de colocar o Congresso na berlinda? Já sabemos que isso não funciona.

O que está sempre funcionando é o relógio.

Passa, tempo, tic-tac. Tic-tac, passa, hora.

Chega logo, tic-tac. Tic-tac, e vai-te embora.

04:22 - Tempo livre

Fique tranquilo. Não perdi a alegria de fazer meu tic-tac.

Apenas saio de férias nesta sexta-feira. Um velho conhecido seu – Beto Altenhofen – voltará a assinar o M5M nas próximas semanas.

Antes de sair, porém, deixo-lhe um presente intocado pelo tempo, para a vida toda.

Dê uma namorada em nossa condição exclusiva de acesso vitalício à Carteira Empiricus, válida até amanhã.

A Carteira vem performando sistematicamente acima do CDI desde que foi lançada, e também neste ano difícil.

A passagem do tempo só tende a beneficiá-la, engordando por conseguinte o seu bolso.

Links Recomendados

Uma aplicação para toda a vida

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: Ajuda, mas não resolve (exclusivo para o PRO)
.: Endivibras (exclusivo para o PRO)
.: Ele compra, você não (exclusivo para o PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado