Proibido dizer a verdade

00:07 - Esqueça o trimestre

O CEO do JPMorgan, Jamie Dimon, foi acusado por ter dito a verdade, somente a verdade, nada mais do que a verdade.

Qual foi seu crime, aos olhos de Wall Street?

Dimon afirmou, com todas as letras, que os CEOs e CFOs não deveriam sequer cogitar a publicação de guidances trimestrais ou anuais de lucratividade.

Como não dá para prever o futuro imediato, a única tarefa honrosa que sobra aos executivos é a de focar em performance de longo prazo.

A maior parte do mercado interpretou como desculpa por algumas linhas fracas nos resultados recentes do JPMorgan.

Eu boto fé no recado do Jamie:

“Don’t make earnings forecasts. You don’t know what’s going to happen every quarter. I don’t even care about quarterly earnings.”

 

01:17 - Vendidos, me mordam

Focados em performance de longo prazo, os analistas do JPMorgan constatam que as posições vendidas em Bolsa americana continuam em níveis perigosos.

A proporção entre papéis efetivamente alugados e papéis disponíveis para alugar roda hoje a 7%, na máxima dos últimos três anos.

Não poderia ser diferente às vésperas (?) de uma icônica contração monetária…

Mas será que esses níveis são mesmo perigosos?

Vejo duas interpretações:

(i) Perigo sim, pois a teimosia dos vendidos demonstra a convicção de suas apostas.

(ii) Na verdade, oportunidade, pois se esses vendidos tiverem que cobrir suas posições, o S&P dará mais um salto.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

02:22 - 2017 está logo ali

Voltando à vaca fria nacional, juros futuros descartam qualquer possibilidade de aumento da Selic nesta quarta-feira.

Com retração do PIB projetada em -3% para 2015, fica difícil dar sequência à contração monetária (isso para não falar em dominância fiscal).

Em tese, o Banco Central deveria adequar seu discurso, reconhecendo que o IPCA só convergirá para o centro da meta em 2017. O problema é que, se fizer isso, Tombini pode comprometer inclusive a convergência de 2017.

Ao Bacen, é proibido dizer a verdade. Ao pronunciá-la, ela se tornaria mentira.

Sem credibilidade, temos que mirar agora para acertar depois.

03:20 - Gelo sintético

Dilma disse hoje, lá da Finlândia:

“É garantido que vamos superar essa crise”.

Concordo 100% com Dilma; embora não ache que vamos superar a crise por causa da presidente, mas sim apesar dela.

Alguém realmente imagina que seguiremos mergulhados numa crise por cinco ou dez anos?

Os exemplos próximos disso – Argentina, Venezuela – são muita exceção e pouca norma.

Dilma também revelou que teve uma recepção bastante calorosa em Helsinque.

Nesta terça, os termômetros de lá marcam mínima de 6ºC e máxima de 7ºC.

04:26 - Jardim de Epicuro

Tecnisa (TCSA3) vendeu 17,5% de sua participação no Jardim das Perdizes para os texanos da Hines, por R$ 180 milhões.

PDG também vendeu R$ 160 milhões do Jardim para a Hines.

Ignorando aqui as implicações sobre Tecnisa e PDG (que já foram tratadas no Daily Pro, pela manhã), atentamo-nos para uma verdadeira obviedade: só há vendedor quando acompanhado de um comprador do outro lado do balcão.

Por que a Hines gostou tanto do Jardim?

As dificuldades vividas pelo mercado imobiliário inspiram oportunidades a quem está preparado.

Save the date: amanhã lançaremos conteúdo especial àqueles que ambicionam preparo para a gestão ativa de imóveis.

Caso você aprecie o tema ou esteja à procura de fontes de renda extra, cadastre-se aqui para receber prioritariamente os detalhes a respeito.

Links Recomendados

Está aberta a temporada de caça na bolsa de valores

Conteúdo exclusivo para quem é PRO

.: :. Passividade lucrativa I (Exclusivo para o PRO)
.: :. Passividade lucrativa II (Exclusivo para o PRO)
.: :. Passividade lucrativa III (Exclusivo para o PRO)

Por R$ 12,90 ao mês você tem acesso a todo o conteúdo.

Adquira o conteúdo completo

Conteúdo relacionado