Só me diga o que comprar para ficar rico rápido

A única coisa da qual não podemos duvidar é da dúvida

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
Só me diga o que comprar para ficar rico rápido

Temos dois tipos de assinantes aqui na Empiricus.

O assinante do tipo 1 e o assinante do tipo 2.

O assinante do tipo 1 é prático: só quer saber o que comprar. Reclama do tamanho dos textos, afirma que somos prolixos, protesta quando não damos uma resposta clara e objetiva…

O assinante do tipo 1 não tem tempo para desenvolver seu raciocínio crítico. Ele está muito ocupado com seu trabalho, sua família, seus planos para o fim de semana…

O assinante do tipo 1 é tão ocupado que não lhe sobra tempo para ganhar dinheiro.

E temos o assinante do tipo 2.

VIVENDO E APRENDENDO

O assinante do tipo 2 provavelmente já foi como o assinante do tipo 1.

Conheci muitos com o passar dos anos.

A maioria deles já fez day trade, já comprou as carteiras recomendadas pelas corretoras, já virou a noite tentando aprender a usar ferramentas de trading gráfico.

Já comprou Petrobras e Vale nas máximas, já fez financiamento para reduzir suas perdas e rola até hoje alguns contratos.

O assinante do tipo 2 já perdeu dinheiro.

E perder dinheiro o fez ter muitas dúvidas. E são justamente essas dúvidas que o habilitaram a administrar melhor o seu rico dinheirinho.

MAL ACOSTUMADO, VOCÊ ME DEIXOOOOU…

De vez em quando, me preocupo com nossos assinantes.

Tivemos a sorte de crescer bastante quando os mercados estavam favoráveis — Bolsa para cima, juros para baixo, dólar para baixo.

Como estamos próximos das máximas, tudo o que recomendamos (ok, quase tudo) subiu, e nossos assinantes ganharam (muito) dinheiro.

Parece que ganhar dinheiro no mercado é extremamente fácil.

Provavelmente, temos assinantes sobrealocados em risco e sem o menor preparo para qualquer trovoada.

Leia mais: Outubro rosa, novembro azul?

PENSO, LOGO INVISTO

René Descartes procurava definir o que seria o verdadeiro conhecimento.

Somos mais modestos que Descartes. Tentamos encontrar o verdadeiro conhecimento apenas no mercado financeiro.

Pense bem, ninguém sabe qual estratégia é a melhor no mercado financeiro.

O mercado nos prega peças — os movimentos de curto prazo podem nos encorajar para, logo depois, nos pregar uma peça extremamente custosa.

Até Warren Buffett já sofreu por longos períodos, performando abaixo do mercado.

Foi muito criticado por ficar de fora das “Nifty Fifty” (as empresas “quality” dos anos 1960 e 1970 nos EUA), ficar de fora dos investimentos em tecnologia nos anos 2000 e de muitas outras manias e tendências dos mercados.

DUVIDANDO DA DÚVIDA

A razão humana é poderosíssima.

A razão humana é tão poderosa que consegue colocar em dúvida toda a existência. E Descartes encontrou algo do qual não poderia duvidar: a própria dúvida.

O ceticismo é a ferramenta mais poderosa contra as verdades absolutas e contra nossos próprios vieses.

Ao mesmo tempo, se somos céticos demais, passamos a vida com o temor paralisante de que podemos estar sempre errados.

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

2018: OU VAI OU RACHA

Vemos que as pesquisas eleitorais começam a movimentar os mercados. Os investidores já sabem que 2018 será o ano do “ou vai ou racha”.

Se elegermos um candidato populista ou fiscalmente irresponsável (ou que não consiga passar a reforma da Previdência), caminharemos rapidamente para a catástrofe.

Mas se elegermos alguém comprometido com o futuro do país, poderemos testemunhar um ciclo de valorização gigantesco nos próximos oito anos.

Renda fixa, renda variável, câmbio, fundos, fundos imobiliários, imóveis…

Todos os ativos brasileiros serão bastante impactados. Ninguém estará a salvo.

Na impossibilidade de prever o que acontecerá nas urnas, sua única proteção é se manter constantemente em dúvida.

Somente a dúvida permitirá que você mantenha a flexibilidade necessária para tomar decisões em 2018.

A dúvida é a melhor amiga do investidor.

Conteúdo recomendado