Criando Pobreza

Faça o jogo "Criando Pobreza”, melhore sua vida financeira e ganhe mais dinheiro

Criando Pobreza

Caro leitor,

Nenhum de nós pode deixar de pagar impostos, mas alguns “ladrões de riqueza” ou “criadores de pobreza” são perfeitamente evitáveis.

É possível, por exemplo, evitar multas, planejar compras e tirar o dinheiro da poupança e colocá-lo em uma aplicação mais rentável.

Esse é o assunto principal da newsletter de hoje. No conteúdo PRO, o nosso consultor financeiro Renato Breia vai dar duas recomendações específicas para seu dinheiro render melhor, mais rápido e com segurança.

Pra começar: vamos ao jogo! O objetivo é identificar seus “momentos de criação de pobreza”. Para cada item abaixo que a carapuça servir, some 1 ponto:

– No restaurante, já escolhi a porção grande só porque a a diferença de preço em relação à meia porção era muito pequena.

– Tomei multas de trânsito nos últimos 24 meses.

– Nos últimos 12 meses, paguei multa por atraso no pagamento de contas, como condomínio, IPTU, IPVA, fatura do cartão de crédito.

– Fiquei com preguiça de ir ao supermercado ou pesquisar preços e paguei mais caro pelos produtos comprando em uma loja/padaria careira.

– Comprei roupas, sapatos ou outros itens de vestuário que nem cheguei a usar.

– Nos últimos 12 meses, comprei livros que não cheguei a ler.

– Paguei academia e não frequentei.

– Tenho dinheiro aplicado na poupança.

– Paguei seguro do cartão de crédito (ou outro serviço extra desnecessário cobrado pelo banco) por preguiça de ligar para reclamar da cobrança indevida.

– Tenho em casa roupas boas que não uso.

– Deixei de usar cupons de descontos em lojas e restaurantes por vergonha.

– Minhas dívidas superam 30% da minha disponibilidade de crédito, ou seja, tenho uma “taxa de utilização” maior que 30%.

Peço agora mais dois minutos do seu tempo para que você pense um pouquinho e liste outros “momentos criando pobreza” nos seus últimos 12 meses. Preferivelmente por escrito, mas mentalmente também funciona.

Para cada novo deslize, some mais 1 ponto.

RESULTADO:

0 a 3 pontos: Se você somou até 3 pontos, parabéns. Você comete alguns deslizes, mas já consegue evitar outros. Vá direto para o conteúdo PRO 1, com recomendação de um bom investimento para fazer seu dinheiro render mais no atual momento da economia.

4 a 10 pontos: Se você somou entre 4 e 10 pontos, vá direto para a parte“Reavalie suas atividades”, mais abaixo. Depois, leia os conteúdos PRO 2 e 3, em que damos orientações sobre como deixar de “criar pobreza”.

Mais de 10 pontos: Se você somou mais de 10 pontos, leia com muita atenção os dois trechos abaixo: “Mas não deu tempo…”; “Reavalie suas atividades”. Depois vá para os conteúdos PRO 2 e 3, em que falamos sobre como deixar de perder dinheiro com cartão de crédito, evitar vendas casadas no cartão, troca de dívida, nível saudável de endividamento e como deixar de “criar pobreza” na hora de fazer compras.

Mas não deu tempo…

Trabalho, família, casa, consultório, escritório e tantos outros universos de compromissos. As velhas desculpas “minha vida é muito corrida” , “estava trabalhando, não deu tempo”, “sou leigo em investimentos”.

Sinto informar que essas desculpas de nada valem por aqui, por 4 razões:

– Não teremos uma aposentadoria do governo minimamente satisfatória.

– A vida não vai te presentear com um bilhete premiado na Mega-Sena.

– Um bilionário não vai doar dinheiro a você por ter simpatizado com seu sorriso.

– E você não vai começar a fazer na segunda-feira o que não fez até agora. É preciso tomar uma atitude hoje.

Também não adianta parar de ler esse texto agora. Tarde demais.

Agora você já tem consciência de seus momentos “criando pobreza” e ignorar tudo isso só vai aumentar a sensação incômoda que você já vem carregando pelo descaso com a sua vida financeira.Vamos combater tudo isso.

Para seguir adiante, deixe o que passou para trás.

Elimine todo e qualquer sentimento de culpa.

É muito difícil lidar com decisões financeiras sem ter tido a oportunidade de pensar sobre elas. Não à toa, dois prêmios Nobel de economia foram dados a não-economistas, que eram autores de trabalhos justamente sobre racionalidade das decisões humanas. Em 2002, o ganhador for Daniel Kahneman, um dos papas da economia comportamental, de quem aprendemos as lições sobre o sistema 1 e o sistema 2. Veja os links recomendados no final dessa newsletter.

Portanto, o que passou, passou. A mudança começa agora.

Reavalie suas atividades

1 – Comece a treinar, “racionalizar suas atitudes” sempre que elas envolverem dinheiro.

É preciso praticar um pouco, até que esse hábito se torne mais natural. Veja mais orientações sobre isso no conteúdo PRO 3, mais abaixo.

2 – Prepare-se para gastar mais tempo do que você vinha gastando com o tema “finanças pessoais”, “finanças familiares”.

Comece a distribuir melhor o seu tempo. Para isso, tente lembrar quanto tempo você costuma destinar a diversas atividades diversas no seu dia a dia.

Quanto tempo você passa no facebook? – Ok, eu entendo que é importante para se atualizar e manter contatos com os amigos, mas veja se o tempo não está desproporcional.

Quanto tempo você passa jogando joguinhos no celular? – Ok, também sei que esses jogos são bons para a memória, para evitar doenças como Alzheimer. Mas seja honesto consigo mesmo: de que adianta não ter Alzheimer se você ficar pobre no futuro e tiver uma aposentadoria miserável?

Quanto tempo você passa vendo seriados, filmes ruins ou programas televisão recheados de marketing? – Não consigo encontrar boas desculpas neste caso, a não ser que você classifique esse passatempo como um lazer semanal e substitua outro tipo de lazer.

Agora retire algumas horas dessas atividades e prepare-se para dedicar esse tempo para organizar suas finanças pessoais. Faça disso um hábito rotineiro, como tomar banho ou escovar os dentes.

3 – Tente envolver sua família, ou seu acompanhante, para que todos participem.

Separe um horário para isso.

Por exemplo: bloqueie sua agenda durante duas horas por semana. Pode ser todas as segundas-feiras, no período da noite. Ou pode ser um pouquinho por dia.

4 – Leia um pouco mais sobre economia. Use esse tempo reservado em sua agenda para se informar sobre economia e investimentos.

Há alguns cursos gratuitos no site Coursera: https://www.coursera.org/  (a maior parte está em inglês, mas alguns são disponíveis em português).

Navegue em sites que lidam com economia e investimentos em linguagem mais simples, como O Financista.

Dedique um tempo para os materiais do Criando Riqueza que você ainda não teve tempo de ler.

5 – Separe alguns minutos para pensar.

Não use todo o horário que você dedicar para suas finanças pessoais apenas para ler.

Anote as decisões financeiras que você terá que tomar nos próximos dias e meses. Use a razão para definir qual será a sua estratégia.

Observe que a tendência é agirmos por nossas emoções e impulsos, de forma automática. Porém, sempre que envolver seu bolso, pare e pense como pode encontrar uma lógica mais interessante para sua decisão.

Cinco minutos de análise da situação podem ajudá-lo a poupar dezenas ou centenas de reais que, se bem aplicados, podem se multiplicar para milhares de reais no futuro.

Por exemplo: Se precisa fazer a compra de um móvel, o caminho mais simples seria ir até uma loja famosa e resolver logo o assunto, pagando no cartão de crédito e parcelando a compra, como uma presa fácil das enganosas promoções estilo “De/Por”.

6 – Pesquise. O ideal é sentar e pesquisar os preços do produto (como um novo móvel para casa, por exemplo) na internet.

Informe-se sobre o produto. Tenha mais argumentos que o vendedor.

7 – Verifique se você pode levantar algum dinheiro vendendo algo que hoje ocupa o lugar desse mesmo produto em sua casa.

Você pode vender um quadro que não gosta mais, uma mesa antiga, ou mesmo um sofá no site da OLX (há diversos outros sites que fazem isso e abordaremos esse assunto em uma das próximas newsletters).

Em geral, tendemos a gostar das coisas que fazemos bem. Comece a cuidar melhor de seu dinheiro e começará a ter mais prazer em lidar com esse assunto. É um circulo vicioso que só exige um pouco de energia no começo.

Se você se interessou pelo tema da newsletter de hoje, nos diga. Acompanhe nossa página do Facebook e fique à vontade para contar por lá os seus “momentos criandopobreza”. Você pode ajudar outros leitores a identificarem momentos semelhantes, o que pode ajudar a evitar novos erros.

Veja no conteúdo PRO para assinantes:

1 – Uma boa recomendação de investimento para até 2 anos e outra para o longo prazo.

2- Como deixar de criar pobreza no cartão de crédito

3- Como deixar de criar pobreza nas compras 

 

Captura de Tela 2015-08-12 às 17.47.04

Links relacionados:

– Quer comprar dólares? Veja nosso vídeo explicativo no Youtube

– Quer começar a investir em ações? Conheça as pechinchas da bolsa de valores.

– Quer um resumo diário rápido dos principais acontecimentos da economia. Conheça o Mercado em 5 Minutos.

Conteúdo relacionado