Dia das Crianças: a carteirinha ideal

O futuro de quem você ama garantido

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
Dia das Crianças: a carteirinha ideal

Caro leitor,

Há algumas semanas uma leitora me escreveu dizendo que estava se divertindo no universo da economia.

Fiquei feliz de ler as palavras “divertindo” e “universo da economia” na mesma frase. E não como idéias contrárias.

Também me marcou por uma palavra que ela usou: “enigmático”.

“E não é que eu estou ate me divertindo com as experiências novas nesse universo que eu achava tão enigmático… Achava que isso era só para quem estava no inicio de suas vidas profissionais, que para mim não dava mais tempo.”

Essa foi a mensagem da Claudia M. que chegou na minha caixa de entrada há algumas semanas.

Entendo perfeitamente que a maioria das pessoas tenha aversão a esse assunto.

Mas a transformação do enfadonho para o divertido, no caso da economia, depende de alguns detalhes. E de algumas conexões.

O grande problema da economia, na minha opinião, são os termos chatos usados para abreviar e resumir vários conceitos e as ideias.

Veja só: IPCA, um exemplo simples de uma sigla árida. Quantas vezes você ouviu falar de IPCA?

Aqui mesmo, no Criando Riqueza, sempre falamos do Tesouro IPCA+.

Ontem era destaque nos jornais o IPCA de 7,64% de janeiro a setembro. Imagino que essa frase que acabei de escrever já tenha causado algum desconforto na maioria das pessoas. Nas preciosas horas de descanso, preferimos assuntos mais leves.

Mas é importante saber o que IPCA quer dizer. Por uma razão simples, mas com desdobramentos impactantes: para que você possa dizer ao seu gerente do banco que prefere aplicar em um Tesouro IPCA+ para o futuro do filho a investir em um plano de previdência ruim, com alta taxa de administração e baixo retorno.

Ignorar conceitos simples de economia pode custar R$ 48 mil para a poupança de seu filho, por exemplo, em um prazo de 20 anos. Veja aqui do que estou falando.

E IPCA, convenhamos, não é nenhum bicho de sete cabeças. Assim como LCI, LCA, PGBL, VGBL, CDB, Selic, CDI, come-cotas e tantos outros termos que semanalmente você lê na nossa newsletter. IPCA nada mais é do que o resultado da pesquisa de preços de diversos produtos. A equipe do IBGE fica coletando os preços de produtos e serviços e vendo o quanto tudo ficou mais caro (ou mais barato) de um mês para outro.

A frase dos jornais que citei acima, na verdade, quer dizer que hoje nos custaria 7,64% mais do que no fim do ano passado para comprar as mesmas coisas e contratar os mesmos serviços. Não é todo mundo que conseguiu um aumento salarial na mesma proporção.

Ao investir em um título Tesouro IPCA+ ou em qualquer outra aplicação indexada à inflação você tem a garantia de que seu dinheiro vai render pelo menos o equivalente ao IPCA. Ontem, o Tesouro Nacional oferecia um adicional de 7,26% ao ano. Ou seja, IPCA + 7,26%.

Suponha que até o fim do ano os preços subam mais um pouco. E que 2015 termine com uma inflação oficial (leia-se: um IPCA) de 9,5%. Isso quer dizer que quem comprou um título Tesouro IPCA+ terá um rendimento anual de 9,5% + 7,26% = 17,45% ao ano (1,095 x 1,0726).

Esse é o total sem considerar o pagamento dos impostos, ou seja, é o rendimento bruto. O rendimento líquido, após o desconto de 15% de imposto de renda (essa é alíquota cobrada de quem deixa a aplicação por mais de dois anos) é de 14,25% ao ano, resultado de 17,45% x (100%-15%).

Agora, imagine se você tivesse aprendido isso na escola. E assimilado isso com clareza… Talvez você já tivesse pensado em procurar uma aplicação para seu dinheiro que possa garantir que você não perderá seu poder de compra. Ou seja, que você vai superar a inflação.

É possível que você tivesse buscado um investimento em Tesouro IPCA+ ou em qualquer outro produto financeiro indexado à inflação por vontade própria.

O meu ponto é o seguinte: por que não facilitar a vida de seu filho, sua filha, seu afilhado (a), sobrinho (a), neto (a)?

Mais do que aprender alguns conceitos de economia para repassar aos filhos, é importante transmitir hábitos financeiros saudáveis.

Quem viveu no Brasil nas décadas de 80 e 90 se lembra de receber o salário e ir direto para o supermercado. Quem é mais jovem já ouviu histórias.

Esses momentos deixaram uma cicatriz. Por força das circunstâncias, o hábito de consumo rápido, impulsivo e sem pensar se sobrepôs ao hábito de poupar, planejar e investir para o longo prazo.

Isso provocou um atraso no desenvolvimento da cultura de poupança e investimento no nosso país. E sentimos isso até hoje.

Deixo para reflexão um trecho de um texto que recebi há duas semanas:

 

Manual

Em clima de Dia das Crianças, me propus a fazer algo diferente. Juntei os esforços de alguns membros de nossa equipe para preparar um material que pode acelerar a evolução da educação financeira no país.

É um guia para pais, avós, padrinhos, tios ou qualquer pessoa que tenha interesse no assunto. Esse material está dividido em duas partes. A primeira é um relatório que explica como investir para a “poupança” do filho.

Digo quais as aplicações que sugerimos aqui no Criando Riqueza e na Empiricus e também como começar a aplicar. Damos o caminho para investir no Tesouro Direto para uma criança, por exemplo. Para quem se interessar, também incluí uma “carteirinha de ações”, feita pelo analista Max Bohm, da Empiricus.

A segunda parte é um relatório sobre como ensinar economia para os filhos. Com a ajuda da Camila e da Bruna e entrevistas com consultores pedagógicos especialistas na área, montei um guia prático de educação financeira que os adultos podem aplicar no dia a dia. Dizemos quais conceitos de economia podem ser ensinados a cada idade. E como fazer isso.

Como complemento, você terá o ensaio “Ensine bem suas crianças: como criar filhos bem-sucedidos”, do nosso guru e parceiro americano Mark Ford, que tem uma opinião bastante particular sobre esse assunto.

O primeiro relatório estará disponível na página de assinantes na segunda-feira, dia 12, e o segundo na segunda-feira seguinte, dia 19. O do Mark Ford já está lá.

 

Clube 

O Mark Ford, aliás, esteve no Brasil na semana passada para participar do evento do WBC Brasil.

Como não apresentei anteriormente, explico agora que o WBC é um clube fechado de pessoas que recebem o programa de construção de riqueza do Mark.

O material do WBC é composto por textos e livros com recomendações para quem pretende ter fontes de renda extras e mudar radicalmente seus hábitos financeiros.

Não vou me alongar com este assunto, pois as vagas estão fechadas neste momento. Mas avisarei os leitores do Criando Riqueza de forma prioritária. Se tiver interesse, coloque seu nome aqui nesta lista.

Voltando ao assunto do início da newsletter, o Felipe Miranda participou do evento e, em sua palestra, tratou de diversos conceitos e teorias de economia de forma prática, inteligente e ao mesmo tempo simples. Para finalizar a newsletter de hoje, deixo a aula para vocês aqui neste link.

 

Conteúdo recomendado