Impeachment e o seu bolso: algo a Temer?

Veja se há motivos para preocupação no caso de uma troca de governo e siga estes 7 passos para proteger seu patrimônio

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
Impeachment e o seu bolso: algo a Temer?

O que aconteceria com seus investimentos no caso de um impeachment?

Não sabemos qual será o desfecho da atual crise política brasileira, mas podemos ficar atentos a oportunidades de ganhos.

Aos investidores que vêm acompanhando nossas recomendações para investir em títulos do Tesouro Nacional (Selic, IPCA+ e Prefixado), não há motivo para preocupação na eventualidade de um impeachment.

O Tesouro Direto é um programa de Estado, e não de governo. Isso quer dizer que os riscos não mudam com este ou aquele governo.

Portanto, com Dilma, com Temer ou com quem quer que seja, seu dinheiro será remunerado conforme o combinado. O Tesouro Nacional continua com reservas suficientes para honrar seus compromissos. Nesse sentido, portanto, com o perdão do trocadilho, nada a Temer.

No conteúdo exclusivo para assinantes, mais abaixo, você vai saber qual o melhor título do Tesouro Direto para 2016.

Aos investidores que buscam oportunidades financeiras para o caso de a presidente Dilma deixar o governo, sugiro este texto do Felipe Miranda, que está entre os mais lidos da Empiricus:

Do Impeachment ao recomeço do Brasil”.



O segundo pilar: “rotina financeira”

Na semana passada falamos sobre o primeiro pilar para uma vida financeira saudável: disciplina financeira. Conversamos sobre como identificar as armadilhas que nos impedem de ter nossas finanças sob controle e vimos o quanto é importante ter domínio sobre nossas atitudes.

Hoje vamos ao segundo pilar para ter uma vida financeira saudável: construir uma boa rotina financeira. Ao adotar bons hábitos no seu dia a dia, você consegue proteger seu patrimônio de eventuais crises, como uma piora do cenário político-econômico brasileiro. Para construir esse segundo pilar, veja os 7 passos abaixo.

1) Primeiro passo: Mapeamento

O primeiro passo não é segredo. Mas é tão óbvio quanto necessário: montar uma planilha financeira. Baixe nossa planilha e faça adaptações para a sua realidade.

Preste atenção os seguintes pontos:

– Inclua suas receitas líquidas de impostos e descontos. Ou seja, é errado colocar o seu salário bruto.

– Coloque uma linha de investimentos entre as despesas. Isso é importante para que você fique habituado a investir um pouco para seu futuro todos os meses.

– Tenha um espaço para os gastos no cartão, mas saiba que isso é para seu controle. Não some as compras duplamente – na linha do tipo do item de despesa e na linha do cartão.

– Veja o quanto você gasta com cada categoria de despesa. Exemplo: entretenimento / transporte / despesas de casa, etc.

– Se o item “entretenimento” está gerando um gasto desproporcional, por exemplo, estabeleça uma meta para reduzi-lo nos próximos mês.

– Algumas despesas são essenciais, como água, luz, alimentação. Mas outras podem ser reduzidas, como plano de TV a cabo. Pense em outras vantagens dessa medida. Hoje em dia não nos sobra tempo para leitura, para conversar com os familiares. Talvez ao cortar a TV a cabo você tenha outros benefícios além do financeiro.

– Gaste menos do que você ganha. E guarde um pouco todos os meses.

2) Segundo passo: Persista

Ter disciplina financeira é como ter força de vontade para fazer exercícios. Difícil ter sempre disposição para ir à academia ou sair para correr. Mas depois de feito os esforços, vemos os músculos fortalecidos e reconhecemos que valeu a pena.

Lembre-se:

– Vale pena investir bem e colocar seu dinheiro para trabalhar por você. Você terá certeza disso quando puder se aposentar mais cedo. Por isso, leia sobre investimentos. Acompanhe os analistas da Empiricus. Tenha o costume de navegar na página do Tesouro Direto, acompanhe nossas newsletters. É para isso que estamos aqui.

3) Terceiro passo: Proteja-se

Fuja dos ladrões de riqueza no dia a dia. Por exemplo:

-Não pague tarifas desnecessárias no seu banco. Veja qual o plano de tarifas é ideal para as transações que você faz.

– Considere ter uma conta digital, que não tem taxas para DOCs e TEDs.

– Invista por uma corretora de valores, que cobra taxas menores. Você pode pedir estorno do seguro do cartão de crédito que foi cobrado sem o seu consentimento.

– Você pode tentar obter um cartão de crédito Nubank, sem anuidade. Estou testando um neste momento e vou escrever contando a experiência em uma das próximas newsletters.

– Com sua planilha financeira (passo 1) você pode se organizar para pagar as contas nas datas certas e, assim, nunca precisar pagar uma multa.

4) Quarto passo: Negocie

As lojas de varejo estão atravessando um momento muito ruim, com redução de vendas. Elas precisam se desfazer de seus estoques e fazer caixa. Portanto:

– Quando precisar comprar algo, pechinche. Pesquise o produto, negocie com o vendedor. Veja sempre se é possível – e mais barato – comprar online.

– Aproveite promoções, mas não gaste apenas por causa da promoção.

– Companhias de taxi e empresas de cinema têm feito muitas parcerias, fique atento.

5) Quinto passo: Poupe

– Poupe um pouco todos os meses. Muitos de nós fomos educados acostumados a gastar o dinheiro que ganhamos. Quando você era criança e ganhava algum dinheiro, o que acontecia? Seus pais e avós estimulavam você a poupar? Ou incentivam você a ir logo comprar um doce na padaria ou comprar algo que queria? Por causa de uma questão cultural, acabamos condicionados a gastar o que ganhamos. Faça diferente. E incentive suas crianças a poupar.

– Se não pode pagar, não compre. Pense o quão passageiro será aquele prazer de consumo. Questione a real utilidade do item que você está prestes a comprar.

– Tende desvencilhar o “prazer” e a “felicidade” ao ato de consumir. Relacione esses sentimentos ao hábito de poupar para o futuro e planejar gastos conscientes, como viagens e projetos pessoais e familiares.

6) Sexto passo: Pé no chão

– Não conte com um dinheiro que você não tem.

– Não reclame de ganhar pouco. Mais do que o quanto você ganha, o que importa é o quanto você gasta e o quanto sobra no fim do mês.

– Em vez de reclamar do seu trabalho, tente ser um funcionário mais produtivo e eficiente para merecer aumentos.

– Não aumente suas dívidas no cartão de crédito. Pague sempre o valor total da fatura, pois os juros para parcelar ou pagar o mínimo são altíssimos e isso vai atrapalhar seu processo de criação de riqueza.

– Veja no terceiro pilar da vida financeira saudável, na próxima semana, como calcular seu nível de endividamento ideal.

7) Sétimo passo: Tenha metas

Ao traçar metas, você consegue seguir todos os passos acima com mais facilidade.

– Estabeleça metas de curto prazo para objetivos de médio e longo prazos.

– Planeje-se para atingi-las.

– Primeiro identifique seus objetivos de longo prazo: para daqui a cinco anos, por exemplo.

– Determine quanto dinheiro você precisará para realizá-lo. Faça as contas de quanto você precisará a cada ano, a cada mês e a cada semana. Imagine que você queira fazer um curso de um ano no exterior, ou comprar um carro, por exemplo, daqui a cinco anos. Vamos supor que você ai precisar de R$ 30 mil para isso. São R$ 6 mil por ano, R$ 500 por mês e R$ 125 por semana. Observe em sua planilha financeira em qual item você pode poupar R$ 125 semana. Invista esse dinheiro nas aplicações que recomendamos para você aqui no Criando Riqueza, como o Tesouro Direto, para que você tenha um ganho superior à inflação com esse dinheiro.

– Faça o mesmo com outros objetivos.

– Comemore ao atingir seus objetivos.



 

 

Conteúdo recomendado