Miga, sua loka! Cadê você?

Investimento foi feito tanto para homem quanto para mulher. Por que você ainda depende tanto dele para cuidar do SEU dinheiro?

Miga, sua loka! Cadê você?

Eu tenho uma birra com o Dia das Mulheres. Pronto, falei.

Longe de mim não reconhecer a relevância da data original, da necessidade de luta contínua pelos mesmos direitos e tratamento que os homens têm. Infelizmente, estamos a anos luz de distância do mundo ideal e engrosso o coro das pessoas (não só mulheres) que acham fundamental debater as questões de gênero.

Isso posto, minha birra está na forma como a imprensa trata essa data todo santo ano.

É sempre a mesma coisa. Mostramos as mesmas mulheres ícones do mundo empresarial (aposto que Chieko Aoki e Luiza Trajano estarão na lista de 2017), alguma histórias de sucesso em meio a tantos desafios e as empresárias promissoras do momento.

Claro que é fundamental termos exemplos para nos inspirarmos. Não há dúvida nisso! Mas gostaria de falar mais da vida real, de mim e de você, leitora. Quem dita a regra de suas finanças? Quem decide onde você vai aplicar o seu dinheiro ou o de sua família? Você já investiu no mercado financeiro alguma vez na vida?

Explico.

O Tesouro Direto, um dos programas mais populares de investimento no Brasil, tem atraído milhares de pessoas todos os anos. Para ser exata, 167.854 pessoas passaram a investir em títulos públicos por meio do programa em 2016. O número cresceu quase 72 por cento em relação a 2015.

Mas as mulheres continuam à margem dessa expansão.

Como você pode ver, do total de 401,8 mil investidores ativos no programa, só 26 por cento são mulheres.

Na Bolsa, o quadro não é muito diferente.

Como você pode notar, as mulheres respondem por apenas cerca de 23 por cento das contas ativas, número que, inclusive, vem caindo desde 2013.

*Dados até fevereiro
OBS.: O levantamento considera investidores com ações ou outros ativos na Bolsa. O total considera o número de CPFs cadastrados em cada agente de custódia. Investidores com conta em mais de uma corretora podem aparecer mais de uma vez.

Não entendo. Onde vocês colocam seu dinheiro, mulheres do meu Brasil?

Será que a maior parte está mal aplicada nos bancos, está parado na poupança ou até mesmo na conta corrente?

Veja, o universo dos investimentos não é fácil para ninguém, já falei isso aqui.

Mas não muda NADA ser homem ou mulher. Pelo contrário, há quem diga que as mulheres investem melhor do que os homens por conta do excesso de confiança deles. Por operarmos menos, com pouco giro em nossas carteiras, ficamos menos expostas aos riscos, além de estarmos mais de olho no longo prazo.

Há até um famoso livro que faz menção ao sucesso do megainvestidor Warren Buffett nos negócios, intitulado Warren Buffett Investe como as Mulheres: Descubra como o Maior Investidor do Mundo usa o Instinto Feminino na Hora de Decidir (Warren Buffett Invests Like a Girl: And Why You Should, Too, no título original).

Está gostando desse artigo?Insira seu e-mail e comece já a receber nossos conteúdos gratuitos

O fato é que o discurso pode ser fantástico, mas, na prática, ainda somos poucas. Muito poucas.

Por isso, o convite de hoje é para você, mulher, acordar para o mercado. Para os seus planos, para o seu dinheiro, e para o seu futuro. Chega de delegar o destino do seu tão suado salário para seus pais, maridos ou filhos aplicarem.

Eu tenho uma mãe 100 por cento decidida para me inspirar. Mas, e você, não está na hora de buscar referências para sua autonomia financeira?

Detesto sites de finanças pessoais que utilizam como chamariz para leitoras artigos recomendando formas de resistir à tentação de comprar durante liquidações, maneiras de juntar dinheiro para o casamento dos sonhos ou pensando nos filhos.

Homem também quer comprar, pode querer casar e ter filhos. Mas os rótulos só atrapalham um lado: o nosso.

Por isso, mulheres, não vou fazer tipo aqui. Todos os nossos produtos são para você. Quer investir em opções? Recorra ao Bruce. Gosta de análise técnica? O Trader Pro está aqui para ajudar. Seu foco está inteiramente no curto prazo? Que tal conhecer as análises do Sérgio Oba?

Tem investimentos para tudo quanto é gosto. E o fato de ser homem ou mulher não muda nada. N-A-D-A!

Eu, a Luciana e a Marília estamos aqui para provar isso. Não escrevemos nossos relatórios e não damos nossas recomendações de uma “maneira feminina”. O racional é o interesse do investidor, pura e simplesmente.

Então chega de enrolar. Invista!

E me escreva contando suas experiências e indagações. Adoro ver meu público feminino aumentando!

PS: Além de querer ouvir a opinião feminina, estamos em busca de relatos de leitores sobre experiências (boas e ruins) com seus gerentes de bancos. Como tem sido a oferta de produtos feita por esses profissionais? Me escreva contando!

Um abraço!
Beatriz

Conteúdo relacionado