O que é realmente vantajoso comprar no free shop

Além de saber o que vale trazer na mala, veja quais são as melhores datas para fazer compras no Brasil

Compartilhe:
Enviar link para o meu e-mail
O que é realmente vantajoso comprar no free shop

Caro leitor,

Um amigo me ligou essa semana falando que ia viajar para Nova Iorque, assim, de repente. Eu fiquei pensando: o que ele vai fazer lá com o dólar nessa altura? Será que não seria melhor esperar um pouco? Viajar pelo Brasil mesmo? Essa viagem vai ficar caríssima.

Enfim, perguntei o motivo da viagem, que é o mais gostoso, né?! Sobre as finanças dele, ele mesmo tem que saber. Embora ao trabalhar no Criando Riqueza eu tenha desenvolvido um hábito de tentar melhorar a vida financeira de todo mundo, desta vez preferi me conter e não falar nada. Amigos, amigos; negócios à parte.

Ele disse animado: “acabei entrando na onda dos meninos e vou junto, tenho uma grana que queria usar para viajar”. Achei justo, descansar do estresse do dia a dia e com os amigos – nada melhor!

Mas quando liguei pra ele na volta da viagem, ele não estava tão excitado como quando alguém volta de viagem. Notei esse sentimento e perguntei o que tinha acontecido. Ele acabou contando que gastou mais do que deveria no free shop e não estava preparado para isso. “Meu cartão de crédito será uma bomba no próximo mês!”, ele me disse bastante preocupado.

Cheguei na segunda-feira e comentei com a Olivia sobre essa história. Ela disse que alguns leitores fizeram a mesma pergunta sobre os impostos, produtos e limites de compras nas lojas duty free shop. Todo mundo se pergunta o que vale a pena levar e o que vale a pena comprar aqui no Brasil mesmo. Por isso essa semana resolvemos falar sobre essas lojas, consideradas o paraíso na Terra por algumas pessoas.

Além disso, o relatório trás 6 dicas de como comprar bem. Qual melhor dia do mês? Como pechinchar de forma inteligente? Respondemos essas questões em 6 dicas simples e úteis para qualquer ocasião.

Os free shops

Uma grande parte compra o máximo que pode. A outra parte passa, pára, “dá uma olhadinha” e compra qualquer coisa, o que for, mas em geral quase todo mundo compra.
Essa fama sedutora sobre os duty free shop ou só “free shop”, como são mais conhecidos, deve-se ao local onde eles estão localizadas e no modo como comercializam seus produtos.

Essas lojas estão no interior das salas de embarque e desembarque de aeroportos e portos.

Essa área é delimitada. Ali entram mercadorias nacionais e internacionais que recebem benefícios fiscais e tarifas alfandegárias isentas ou reduzidas. Ou seja, é uma parte de terra que “não é de ninguém”, nem o país que recebe o turista, nem o país que leva o turista está recebendo impostos dos produtos comercializados no interior dessas lojas.

Essa semana é semana de relatório. Iremos revelar qual o segredo dos duty free shops e como algumas pessoas acabam gastando mais do que podiam ou deveriam nesses “paraísos”. Iremos revelar os segredos de uma compra inteligente e como não se deixar levar pelas armadilhas que nos pregam.

Na tradução literal: duty significa taxa/imposto, free significa livre/grátis e shop significa loja. Ou seja, loja livre de impostos.

Apesar dos impostos … nem tudo compensa! Há produtos que valem a pena e há outros que, se você procurar bem, irá encontrar mais baratos nos seus destinos de viagem ou mesmo aqui no Brasil.

São comercializados diversos tipos de produtos importados, desde eletrônicos, roupas, bebidas alcoólicas, comidas, jóias, perfumes e etc. Entretanto, muitos produtos vendidos no free shop podem ser encontrados – nas lojas dos EUA ou Canadá por exemplo – bem mais baratos.

Mas será que compensa?

Pergunte isso a você mesmo:

Compensa comprar aquela caixa de uísque que você nem sabe quando vai consumir?

Compensa, mesmo, comprar aquele chocolate importado que já é vendido em supermercados locais?

Compensa comprar aqueles perfumes que você nem sabe se são realmente bons e têm boa fixação?

Ao ler o relatório da Empiricus do mês de Julho você irá saber como criar riqueza durante suas viagens.

Conteúdo recomendado