Onde investir o dinheiro do FGTS?

As melhores aplicações para quem perdeu o emprego e tem R$ 20 mil, R$ 50 mil ou R$ 100 mil para investir

Onde investir o dinheiro do FGTS?

No início da semana passada, em uma das reuniões do Criando Riqueza, a nossa editora Camila leu um e-mail de uma leitora – que recebemos naquele exato momento:

“Bom dia,
Meu caso deve ser parecido com o de muitos brasileiros neste ano de 2015.
Fui demitida. A empresa na qual trabalhei por 15 anos estava em dificuldade e se viu obrigada a demitir muitos funcionários. A minha questão é a seguinte: Tenho minha casa própria e tenho uma reserva de dinheiro que fiz para casos como esse, mas meu dinheiro não vai durar muito tempo. Queria pegar o FGTS e fazer uma boa aplicação, para ter uma renda. O que eu faço com esse dinheiro?
Abraços.  Vania S.”

Estávamos justamente falando de notícias de demissões em diversos setores. Eu, que  antes de vir para a Empiricus trabalhava como jornalista, cansei de ver nos últimos meses colegas sendo demitidos em diversas redações pelo Brasil.  Os cortes não terminam e não há boas perspectivas. Naquele dia, um pouco mais cedo nós tínhamos comentado sobre os programas de demissão em montadoras de veículos.

Buscamos alguns dados no Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apenas para provar o que já imaginávamos: Vânia está longe de estar sozinha nessa situação.

Para sermos mais precisos, foram fechados nada menos do que 97.828 postos de trabalho no país em abril deste ano, segundo o Caged.

unnamed-8

O número é preocupante. A taxa de desemprego vem subindo no Brasil nos últimos meses. De 4,9% em dezembro do ano passado, já chegamos em 6,2% atualmente (para o conjunto as regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre). Em abril, o contingente de desempregados foi estimado em 1,6 milhão de pessoas pelo IBGE para essas regiões.

As perspectivas não estão ruins apenas nos mercados jornalístico e automobilístico. Os sinais dos institutos de pesquisa são de que as empresas estão menos dispostas a contratar.

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que apenas 9% dos micro e pequenos empresários varejistas e prestadores de serviços (MPE) pretendem contratar mão-de-obra nos próximos três meses.

Para 32% dos entrevistados, a principal dificuldade enfrentada para a manutenção e o crescimento de suas empresas é o cenário político-econômico.

Há um agravante: a inflação tem crescido mais do que o salário do brasileiro. Um número que mostra isso é a soma dos salários dos brasileiros empregados, que foi de R$ 49,3 bilhões em abril, 0,5% abaixo do valor de março e 3,8% abaixo da soma em abril de 2014.

Esse número é calculado pelo IBGE, que faz determinadas ponderações e mostra que, na verdade, o poder de compra dos brasileiros está caindo.

Fizemos toda essa introdução não apenas para contextualizar melhor o tema dessa newsletter, mas também para dar mais força a uma mensagem importante a para quem acabou de resgatar o dinheiro do FGTS:

Não faça loucuras com seu dinheiro e, por favor, não deixe na poupança, onde ele será corroído pela inflação.

Você pode investir o seu dinheiro com segurança, em aplicações que te garantam liquidez para o caso de você precisar de dinheiro. Ainda que seu gerente de banco diga o contrário, é importante você buscar aplicações que paguem mais do que a poupança.

Digo isso pois nessa semana recebemos um depoimento de um leitor dizendo que seu gerente tentou convencê-lo a deixar seu dinheiro na poupança. O argumento foi o de que outras aplicações, como LCI, estavam com o mesmo rendimento da caderneta.

Postamos na página do Criando Riqueza no Facebook o depoimento do leitor com a nossa resposta. Caso você tenha vivido alguma situação semelhante em seu banco, ou tenha ficado com a sensação de que o seu gerente não foi transparente com você, coloque seu depoimento na nossa página e nós responderemos ali mesmo.

Fazemos questão de repetir que a poupança tem retorno inferior ao de aplicações extremamente simples, como o Tesouro Direto, o CDB ou mesmo os fundos DI.

Você deve ter ouvido falar, nas últimas semanas, que o saldo da poupança está minguando. De janeiro a abril, o saldo foi negativo em R$ 29 bilhões. Ou seja, as pessoas estão resgatando mais do que aplicando.

Eu gostaria muito que isso fosse um sinal de que os brasileiros estão aprendendo a investir, e não mais uma evidência da piora da economia.

Mas você, leitor do Criando Riqueza e da Empiricus, certamente está contribuindo para a confirmação do meu desejo e está aprendendo a investir melhor. Já falamos em nossas newsletters e relatórios anteriores as vantagens de outras aplicações em detrimento da poupança.

Somente o FGTS, que tem uma rentabilidade sofrível de tão baixa, consegue perder para a poupança com seus míseros 3% ao ano mais TR (taxa referencial, que dá mais 1% ao ano, mais ou menos).

Captura de Tela 2015-06-08 às 12.29.44

Você não quer tirar seu dinheiro de uma aplicação sofrível para colocar em outra um pouco menos sofrível com tantas opções melhores no país, não é mesmo?

Então, procure para o dinheiro do FGTS uma aplicação que renda mais do que a inflação, que atualmente é superior a 8% ao ano, e que tenha retorno pelo menos igual ao da taxa Selic, atualmente na casa dos 13% ao ano.

É importante ressaltar que o dinheiro resgatado através do FGTS não deve ser gasto com bens de consumo, como: carros, máquinas de lavar, computadores, entre outros produtos.

 

Conteúdo PRO 1 – Para assinantes: Como investir o dinheiro do FGTS se você tem R$ 20 mil, R$ 100 mil ou outro valor? (Por Renato Breia)

imageedit_1_7590855184-2

Conteúdo PRO 2 – Para assinantes:  Fundo DI ou CDB? (Por Olivia Alonso)

imageedit_3_8528031274-2

Conteúdo PRO 3 – Para assinantes:  Todos os casos em que você pode resgatar o FGTS. (Por Camila Passucci)

imageedit_5_3796890575-2

 

Um abraço

 

Conteúdo relacionado