Diga Trinta e Dois

Apostar em produtos com retornos tentadores ou em mercados desconhecidos só com pouco dinheiro. Fique atento às pegadinhas!

Compartilhe:
Diga Trinta e Dois

Meu avô era um homem sério e disciplinado. Construiu uma carreira sólida na medicina, com muita dedicação e trabalho.

Mas, por trás dos seus olhos azuis e do sorriso doce, tinha um lado da vida recheado de histórias engraçadas e pérolas completamente inusitadas.

Como no dia quando sentiu os tremores de um terremoto e se arrumou pacientemente… Vestiu-se, provavelmente passou até gel no cabelo, e desceu até o lobby do hotel (pasme!) de elevador, como se nada de grave estivesse ocorrendo.

Ou quando bateu o carro e o abandonou no meio da rua, sem ter tempo para resolver a situação, alegando que precisava correr para não se atrasar para uma cirurgia, deixando o outro motorista injuriado.

Ou quando, às vésperas do Natal, ganhou de um paciente um peru (vivo!) como sinal de agradecimento, e, sem coragem para servi-lo à ceia, transformou o bicho no mais novo membro da casa. O pequeno Análio teve uma vida e tanto…

Posso ficar horas aqui lembrando os “causos” do meu avô, mas o fato é que uma das minhas histórias preferidas tem muito a ver com o que discutimos aqui na Empiricus.

Recém-formado, meu avô recebeu de seu pai, um libanês que chegara ao Brasil no início do século passado, determinada quantia para abrir um consultório e começar sua carreira como cirurgião de aparelho digestivo.

Mas o ser humano tem uma propensão natural a se desviar de caminhos que parecem muito retos e meu avô não escapou da tentação. Ele assumiu uma tentativa para multiplicar seu dinheiro antes mesmo de começar a trabalhar. Em vez do consultório, meu avô foi a um casino (na época, legal no Brasil), mais especificamente à roleta.

Ainda que fosse uma pessoa iluminada — que os digam os “anjos” que os salvaram dos inúmeros quase-acidentes de trânsito, em tempos de distração em que sequer contava com o celular —, meu avô não era Deus.

Logo, depois de algumas rodadas mal-sucedidas e como 99% das pessoas, o dedicado médico ficou a um passo de perder todo o seu dinheiro. Até que, como uma fênix, deu uma última “cartada” e apostou as últimas fichas em um só número: o 32.

Nem preciso dizer que a história conta que meu avô foi o homem mais sortudo daquele casino, ao conseguir recuperar todo o dinheiro perdido anteriormente e se livrar da pior bronca que um filho poderia ter recebido de seu pai, que sequer deve ter ficado sabendo das peripécias do meu querido vovô.

Lenda ou verdade, o fato é que todas as placas dos carros dos meus avós tinham os números 3232 e que todos os Cutait que já escutaram essa história apostam as fichas no 32 quando visitam tentadores casinos.

Eu me considero uma pessoa igualmente de sorte. Até já ganhei na quadra da Mega-Sena uma vez, o que me rendeu uns 700 reais (quando nem tinha idade suficiente para retirar o prêmio da lotérica).

Mas não brinco com meu dinheiro.

Por mais tentada que eu esteja em fazer algumas “apostas”, definitivamente não pretendo ousar além da conta em um ano como o de 2018. É para ficar parado? Claro que não! Mas há algumas conceitos básicos a serem lembrados para que você não tenha que recorrer à sorte do 32.

A ilusão do CDI gordo

Em tempos de juros baixos, têm pipocado ofertas de produtos de renda fixa com taxas elevadas, criando a ilusão de que é possível garantir um retorno interessante, com a Selic a míseros 6,75%. Hoje mesmo recebi uma proposta de um banco de um grupo que ficou bastante em evidência por questões políticas no ano passado, para eu comprar um CDB pagando 117% do CDI. Furada!

Correndo atrás do lucro

As ações do Magazine Luiza dispararam em 2016 e 2017 e você ficou de fora. Logo, qual sua primeira decisão em 2018? Colocar TODO o dinheiro nos papéis. Errado! Ainda que as ações sigam como “queridinhas” do mercado, inclusive em algumas carteiras aqui da Empiricus, não faça como o meu avô. Você pode não ter a mesma sorte…

Melhor do que concentrar as posições é diversificar a carteira ou, então, escolher um bom fundo de ações — que fará o trabalho por você. Um dos fundos que mais ganhou com Magazine Luiza segue aberto para captações, com exigência de 5 mil reais de investimento. Que tal?

O mesmo vale para as moedas digitais, que não são uma coisa só, acredite! Não é porque o ano começou difícil para o bitcoin que você precisa se desesperar. Como não entendo nada desse mercado, estou olhando de perto as sugestões do André e do Vinícius no Exponential Coins para saber quais são as moedas mais promissoras neste momento. Vale a pena conferir!

Contas digitais sem custo. Só que não…

Há pouco tempo, voltei a falar das contas digitais gratuitas para mostrar as diferenças entre as principais opções do mercado. E ontem mesmo li sobre a iniciativa do Bradesco de participar dessa alternativa, por meio do Next.

Acho verdadeiramente louvável a iniciativa do banco e torço para haver cada vez mais opções para que todos nós possamos desfrutar de serviços básicos de graça. Só não entendo por que tanta gente se animou com uma conta que garante a gratuidade de apenas UMA transferência para outros bancos e tem isenção TEMPORÁRIA para o cartão de crédito Visa Internacional. Prefiro ficar com certo do que apostar no duvidoso…

Por isso, recomendo para quem ainda não assistiu ao vídeo relembrar algumas alternativas do mercado.

É isso, pessoal. Apostar no 32 só com pouco dinheiro. Garanta seu sono com decisões assertivas!