Você é um investidor rentista ou ativista?

A taxa Selic deve sofrer mais uma queda. Há dois perfis de investidores que lidam de formas diferentes com esse cenário. Descubra aqui que perfil é esse, qual a diferença entre eles e em qual você se enquadra.

Compartilhe:
Você é um investidor rentista ou ativista?

A previsão da Selic é para baixo.

É o que o mercado pensa hoje.

Na próxima reunião do Copom, agendada para 21 de março, os juros básicos devem recuar uma vez mais, de 6,75% para 6,5% ao ano.

Isso gera um sentimento ambíguo em nós, investidores.

Por um lado, lemos nos jornais que a queda da Selic ajuda a estimular a economia brasileira. Isso é uma coisa boa.

Por outro lado, nossas aplicações financeiras em poupança e fundos DI passam a render menos. Isso é uma coisa ruim.

Afinal, a queda dos juros é boa ou ruim para o seu bolso?

Antes de chegar à verdadeira resposta, temos que interpretar a Selic com um pouco mais de imaginação.

A Selic é um termômetro do quanto você, investidor, precisa se mexer para ficar rico.

Quando ela está alta, o investidor assume um perfil rentista.

Mesmo parado, sem fazer nada inteligente, seu saldo bruto aplicado em fundos DI cresce +14,50% ao ano.

Você consegue enriquecer assim por algum tempo, mas nunca vai enriquecer muito, pois seu retorno está vindo às custas da economia como um todo.

Cenários de juros a +14,50% são, tipicamente, cenários também de alta inflação e baixo crescimento econômico.

Já quando a Selic está baixa, o investidor assume um perfil ativista.

Quem dorme no ponto ganha apenas +6,50% ao ano.

Mas quem resolve se mexer pode ganhar muito mais do que isso.

No ano passado, por exemplo, o Ibovespa subiu +26,86%, e algumas das Melhores Ações da Bolsa saltaram mais de +50%.

Quando a Selic cai, conseguimos enriquecer por mais tempo e em maior magnitude.

Isso acontece pois nosso retorno agora está vindo em prol da economia como um todo.

Trata-se, portanto, de um mecanismo de compensação bastante justo.

Você pode enriquecer muito num contexto de juros baixos, desde que esteja disposto a se mexer.

Eu vejo justiça aí, pois entendo que a economia deve recompensar generosamente as pessoas que têm energia para se mexer, e fazer algo diferente do que faziam antes.

Esse é o estado natural da economia, e ele só acontece quando os juros caem.

Se você reclama do DI menor, pense outra vez.

Talvez haja uma preguiça aí dentro, que precisa ser expulsa.

Ou talvez você ainda não tenha notado que o contexto mudou, para melhor.

QUERO CONHECER AS AÇÕES QUE PODEM SUBIR MAIS DE +50%