Em vez de comprar preço, compre renda

De 16 de maio a 26 de junho, o Ibovespa despencou quase -20%, de 86 mil pontos para 70 mil pontos. Você se sente arrependido […]

Compartilhe:
Em vez de comprar preço, compre renda

De 16 de maio a 26 de junho, o Ibovespa despencou quase -20%, de 86 mil pontos para 70 mil pontos.

Você se sente arrependido de ter surfado essa queda?

Ou se sente sortudo por encontrar, mais uma vez, algumas das melhores Vacas Leiteiras negociando a preço de barganha?

A maioria dos arrependimentos não diz respeito a uma decisão tomada, mas sim à sua aparência – aos olhares dos outros -, após ter tomado aquela decisão.

E então, você se arrependeu de ter comprado a ação?

Ou se arrependeu de ter perdido dinheiro com ela?

São coisas bem diferentes. E os grandes investidores sabem separá-las rigorosamente.

Como regra geral, um investimento não deve ser julgado por seu resultado de curto prazo.

Posso lhe garantir que todas as cotações que se multiplicaram por 10x a 100x registraram, em algum momento de suas vidas, quedas de -20% ou ainda piores.

Se você se arrependeu de ter comprado a ação, zere sua posição e parta para outra. Sem problemas. Todos cometemos erros graves de escolha de vez em quando.

Mas se você se arrependeu de ter perdido dinheiro, isso quer dizer apenas que você é humano. Diz respeito a você, à dor que um prejuízo lhe provoca. Não diz respeito, necessariamente, ao ativo investido.

Não é fácil separar essas duas coisas, pois elas vêm amarradas por um sentimento tolo de culpa.

E então você pode atribuir essa culpa ao ativo financeiro, ao mercado, à aleatoriedade ou a você mesmo.

Culpar a aleatoriedade soa como covardia, pois tendemos a subestimá-la.

E culpar a si mesmo exige uma coragem excepcional.

Logo, por eliminação, os dois primeiros candidatos (ativo e mercado) são mais populares. Por conseguinte, despertam julgamentos mais equivocados.

Como eu disse, nenhum investimento – e nem mesmo o mercado – deve ser julgado por seu resultado de curto prazo.

Mora aí um dos motivos de eu ser fascinado por ativos que geram renda. Mesmo que suas cotações caiam no chão, a renda distribuída continua em pé ou sentada, pois os fluxos de caixa são sempre menos voláteis do que os preços marcados a mercado.

Na próxima edição, de domingo, aprofundarei o assunto, demonstrando com um argumento técnico por que é mais vantajoso comprar renda do que comprar preço.