Conteúdo publicitário
Conteúdo publicitário

Escolha duas entre as três portas

Na chatíssima macroeconomia moderna, chamamos de “trilema impossível” a combinação entre (i) câmbio fixo, (ii) livre fluxo de capitais e (iii) controle sobre a política […]

Escolha duas entre as três portas

Na chatíssima macroeconomia moderna, chamamos de “trilema impossível” a combinação entre (i) câmbio fixo, (ii) livre fluxo de capitais e (iii) controle sobre a política monetária.

Como quase ninguém quer abrir mão da política monetária hoje em dia, a escolha acaba sendo entre câmbio fixo e livre fluxo de capitais.

Os EUA, de forma muito confortável (pois o dólar é a moeda global), praticam um câmbio flutuante com livre fluxo de divisas.

Já a China segue o regime de fixação do renminbi dentro de uma banda estreita, sustentado por um fluxo de capitais controlado.

Você já deve ter percebido que eu não sou um cara muito macro. Sempre achei macroeconomia meio que um porre, desde os tempos da faculdade.

Mesmo assim, acabo gostando do trilema impossível pois ele comunica precisamente aquele que é o princípio mais fundamental das Ciências Econômicas: saber que a vida é feita de escolhas, porque sujeita a vários tipos de restrições.

Em um mundo sem restrições naturais, sociais ou econômicas, as pessoas não aprenderiam a fazer escolhas, e não entenderiam o significado de abrir mão de algo precioso para ficar com outro algo ainda maior (às vezes, apenas marginalmente maior).

Percebemos isso em certa medida ao observar filhos de milionários (ou bilionários) cuja restrição orçamentária é praticamente nula. Se soltos no mundo, sem limites éticos impostos pelos pais, esses guris tornar-se-iam mimados, egoístas e, em última instância, pobres. É de fato o que acontece com muitos deles.

 

Leitura recomendada

Luciana Seabra mostra como lucrou (e ajudou os leitores a lucrarem) muito com ações sem precisar comprar ações. Ela ensina os assinantes da sua séria a investirem da mesma forma que os maiores investidores profissionais do mercado financeiro. E tudo depende de uma simples atitude, que pode te mostrar esse novo mundo de rentabilidade em menos de 24 horas. Veja aqui o recado que ela gravou.
 

No contexto financeiro, há também um trilema impossível ditando todas as nossas decisões de investimento.

Ele se pauta na combinação entre (i) rentabilidade, (ii) segurança e (iii) liquidez.

Em condições normais, não existe um único investimento capaz de reunir todas as três virtudes.

Como investir de acordo com o trilema?

Versão #1: Para aplicações acionáveis com urgência, priorizamos segurança e liquidez, abrindo mão de rentabilidade.

Versão #2: Para aplicações visando grande multiplicação de capital, focamos em rentabilidade e liquidez, abrindo mão da segurança.

Versão #3: Para aplicações com foco em acúmulo de patrimônio em longo prazo, unimos rentabilidade e segurança, abrindo mão da liquidez.

Não existe versão melhor ou pior. Existem diferentes necessidades, atendidas por cada uma das versões.

Minha preferência pessoal vai pela terceira versão do trilema, na qual abdico de rotinas de trading para poder carregar posições lucrativas e seguras ao longo de cinco, dez ou vinte anos.

Se esse é também o objetivo que casa com o seu planejamento financeiro de 2019 em diante, convido-lhe a conhecer o meu Programa de Riqueza Permanente®.