Não pautamos nossa relação em ciúmes

“Por que a Empiricus oferece tantas publicações financeiras diferentes?” “Eu devo assinar todas elas?”. Essas duas perguntas chegam com certa frequência até minha caixa de […]

Compartilhe:
Não pautamos nossa relação em ciúmes

“Por que a Empiricus oferece tantas publicações financeiras diferentes?”

“Eu devo assinar todas elas?”.

Essas duas perguntas chegam com certa frequência até minha caixa de emails.

Antes que este texto possa ser confundido com uma peça de marketing, cabe a mais importante ressalva, de antemão:

Não, você não deve acompanhar todas as nossas publicações.

Há sim um grupo específico de pessoas que é largamente beneficiado pela assinatura do Reserva Empiricus, mas não funciona para a maioria dos investidores, e definitivamente não funciona para aqueles que estão começando agora.

Se você possui mais de R$ 100 mil para investir e cultiva um interesse por temas financeiros que transborda o pragmatismo, faz sentido assinar várias ou mesmo todas as séries.

Caso contrário, duas ou três assinaturas podem ser perfeitamente suficientes para o seu perfil.

Do nosso ponto de vista, fazemos questão de oferecer este leque de publicações diferentes por um motivo muito simples: ideias de investimento não têm ciúmes.

Se você seguiu à risca a sugestão do Felipe e comprou Petrobras meses atrás, hoje está ganhando bastante dinheiro nessa posição, talvez mais de +60 por cento.

Parabéns por isso.

Imagine então que você queira seguir a próxima sugestão do Felipe para surfar o rali pós-eleições.

Tem alguma chance de Petrobras ficar com ciúmes desta nova ideia financeira?

É claro que ambas estão competindo pela sua atenção e pelo seu capital, mas uma ideia não tem ciúmes da outra.

Portanto, desde que você tenha o dinheiro disponível para replicar – com disciplina – diferentes teses de investimento, nada o impede de assim fazê-lo.

Nossa obrigação sempre será a de gerar o maior número possível de sugestões, sem encher linguiça e sem qualquer compromisso com formalidades idiotas (se não houver ideias, diremos simplesmente: desculpe, hoje não há ideias!).

Cabe ao leitor avaliar esse amplo ecossistema e escolher os especialistas e as especialidades que mais bem se adaptam aos seus próprios objetivos financeiros.

Vamos sempre ajudá-lo nessa escolha, e para isso temos uma equipe de atendimento totalmente fora da curva em termos de conhecimento e atenção ao leitor.

No entanto, jamais faremos qualquer seleção por você, nem vamos empurrar assinaturas goela abaixo de ninguém.

Seu dinheiro é seu, suas preferências são suas.

Só iremos ajudar se você pedir, se realmente precisar.

Nascemos para desafiar uma indústria financeira que sempre parte da premissa de que o investidor é infantil, ingênuo, e não tem condições de fazer suas próprias escolhas.

Essa indústria passou tanto tempo pregando ingenuidade que agora passa a beber do próprio veneno.

Calhou que a indústria financeira – que não é uma ideia – anda morrendo de ciúmes deste novo investidor que você se tornou.