Para você que acabou de votar na Poupança

“Brasileiros que investem na Poupança se aposentam mais cedo”. Você, como e-leitor assíduo da Empiricus, deve achar que eu estou louco, né? Louco de elogiar […]

Compartilhe:
Para você que acabou de votar na Poupança

“Brasileiros que investem na Poupança se aposentam mais cedo”.

Você, como e-leitor assíduo da Empiricus, deve achar que eu estou louco, né?

Louco de elogiar a Poupança.

Talvez sim, talvez eu esteja vestindo um chapéu de louco no momento.

Vamos checar?

Pegue uma amostra dos brasileiros que NÃO investem na Poupança e coloque numa vasilha.

Agora pegue outra amostra, dos brasileiros que investem SIM na Poupança, e coloque noutra vasilha.

Por fim, rodamos um modelo estatístico que cuspirá qual dos dois grupos se aposenta mais rápido, com mais segurança financeira e mais qualidade de vida.

Quem é o vencedor?

É claro que daí nasce a manchete “Brasileiros que investem na Poupança se aposentam mais cedo”.

Esse é um tipo de fake news mais nobre do que montagem de suruba, mas continua sendo a boa & velha fake news.

O que aconteceu aí? Onde se esconde a falácia?

Antes de respondermos, breve pausa para outra fake news da semana, alertada pelos especialistas em saúde da Jolivi.

Saiu na capa da CNN, segunda-feira:

“Alimentos orgânicos reduzem o risco de câncer, diz estudo”.


Quem se der ao trabalho de pular a reportagem e ir direto para o estudo vai perceber que as amostras de populações com baixa frequência de câncer têm uma série de hábitos: elas fumam menos, bebem menos álcool, têm menos gordura no corpo, possuem maior renda média, maior nível educacional, fazem esportes regularmente e comem alimentos orgânicos.

Percebe a nuance?

Nada contra o alimento orgânico, mas ele não é a causa em si por trás da redução do risco de câncer. Ele é apenas um marcador das outras verdadeiras causas.

Por exemplo: se você ganha bem, você tem mais dinheiro sobrando para comprar os alimentos orgânicos, que são tipicamente mais caros; e você tem também dinheiro sobrando para se aposentar numa boa.

Da mesma forma, se você gasta menos do que ganha e se interessa minimamente por investimentos (mesmo que sejam na triste Poupança), melhoram muito suas chances de uma vida financeira ordeira, depois coroada por aposentadoria tranquila.

No entanto, isso não quer dizer que os 4,5% ao ano obtidos na Poupança, que mal cobrem a inflação, representam uma aplicação saudável para o futuro.

Mais justo seria comparar a Poupança com nossas Estratégias de Renda.

Pegue o caso de Banrisul, por exemplo, que introduzimos na Carteira de Vacas Leiteiras em 24 de julho de 2015.

Desde então, a ação subiu +154,10%.

Isso mesmo, estou falando de um retorno extraordinário de +154,10%, que equivale a 34x o retorno obtido com a Poupança.

Enquanto outros tentam atrair cliques em cima de fake news, nós nos contentamos com a verdade dos fatos.