Tente depositar sem agora para sacar mil depois

Os piores motivos para se investir são os motivos práticos. “Comprei XPTO porque protege da inflação”. “Comprei XPTO por causa do incentivo tributário”. Ou, dentre […]

Os piores motivos para se investir são os motivos práticos.

“Comprei XPTO porque protege da inflação”.

“Comprei XPTO por causa do incentivo tributário”.

Ou, dentre os piores casos: “Comprei XPTO pois tenho chance de ser sorteado”.

E Bolsa?

“Ah, Bolsa não, é muito perigoso, sujeito pode até perder dinheiro, sabe?”.

Sim, eu sei. O que eu não sei é se existe uma diferença epistemológica entre perder dinheiro e deixar de ganhar. Meu bolso certamente nota a diferença, embora negada pelos financistas do Olimpo.

Arre, estou também farto de semideuses. Onde é que há gente neste mundo?

Gente que aprecie o bom e velho arroz com feijão sem mistura, e que tome decisões de investimento baseadas em risco e retorno, ponto final.

Como bem disse a Tati Bernardi: “Quem tem muitos motivos práticos para estar com alguém sente por esse alguém uma coisa chamada ‘motivos práticos’, e não amor”.


Leitura recomendada

Luciana Seabra mostra como lucrou (e ajudou os leitores a lucrarem) muito com ações sem precisar comprar ações. Ela ensina os assinantes da sua séria a investirem da mesma forma que os maiores investidores profissionais do mercado financeiro. E tudo depende de uma simples atitude, que pode te mostrar esse novo mundo de rentabilidade em menos de 24 horas. Veja aqui o recado que ela gravou.


Nas Finanças, os motivos práticos são muitos, doce ilusão.

Em tempos de idolatria à UX, uma experiência hype de usuário vale mil vezes mais (!?) do que risco versus retorno.

Cheira bem o aplicativo fintech perfumado que leva para investimentos de merda.

E agora eu aprendi por que a poupança atrai tantas pessoas: a simplicidade da aplicação.

Ora, é tudo tão óbvio!

Deposita-se o dinheiro e pronto, ele começa a render. Quando se precisa do dinheiro, é só sacar.

Excelente!

Às favas com o rendimento em si. Às favas com poder de compra, construção de patrimônio. Se eu puder depositar e sacar facilmente, já estou felicíssimo.

Afinal, investir é sobre isso, não é? Depositar e sacar! Nada a ver com segurar uma participação em empresa por longo prazo. Nada a ver com risco e retorno, meras notas do rodapé financeiro.

Eu sou da época em que o usuário vinha antes da UX, e experiência significava pelo menos 10 anos suados de tentativa e erro.

Assistir a um Fla-Flu apertado na geral do Maraca era melhor do que contemplar Catar x Panamá na abertura da próxima Copa, enquanto se aprecia um bom espumante.

Depositamos nosso dinheiro na espuma.

A sorte é que é fácil de sacar, para então aplicar nas coisas que realmente importam.

Inscreva-se em nossa newsletter