Vai ficar torcendo por mais um 0 x 0?

O mercado tem mania de contar suas próprias narrativas esportivas, sem necessariamente respeitar o placar. Na semana passada, o Ibovespa acumulou queda de -4,50 por […]

O mercado tem mania de contar suas próprias narrativas esportivas, sem necessariamente respeitar o placar.

Na semana passada, o Ibovespa acumulou queda de -4,50 por cento. A culpa atribuída foi da fraqueza do Governo Bolsonaro em avançar com a reforma da previdência.

Ontem, o Ibovespa subiu +2,17 por cento, graças à fraqueza do Governo Bolsonaro, que passa a encorajar os parlamentares a auto-aprovarem uma bela reforma, para assinarem embaixo com seus próprios louros.

Uma mesma fraqueza, então, é motivo tanto para cair quanto para subir…

Se você tivesse ouvido sua alma caiçara e descido para a praia na última terça à noite, aos 92.092 pontos, voltando nesta terça de manhã, aos 91.946 pontos, estaria mais saudável e menos preocupado.

Matematicamente, somaríamos a fraqueza da queda com a fraqueza da alta e terminaríamos, bronzeados, no zero a zero.

Ou seja, no dia a dia, não tem a ver com fraquezas em si, mas sim com os humores do mercado e com os valores extrinsecamente atribuídos aos ativos financeiros.

Investidores humanos como eu e você – individuais ou profissionais – são programados desde o nascimento para pesar, com muito mais ênfase, a fraqueza da queda, subestimando a fraqueza da alta.

É por isso que muita gente vendeu ações na sexta-feira e está coçando a mão para recomprar hoje; sempre saindo nas baixas e retornando nas altas.

São pessoas que fogem da Bolsa com medo de torcer o dedão do pé e, em meio a essa fuga atabalhoada, acabam rompendo os ligamentos do joelho.

Para evitar as ilusões de derrota nesses empates de zero a zero, precisamos exercitar continuamente nossa percepção de mercado, de forma a não perder o sentido de contexto.

Como?

Fazemos isso trabalhando cenários extremos, como aquele apresentado pelo Felipe no criativo Day One de sexta-feira passada.

Quão crível é um 2019 no qual NENHUMA reforma da previdência é aprovada?

Quão crível é um impeachment de Bolsonaro?

As fraquezas de uma parte podem ser compensadas pelo fortalecimento de outrem?

Frequentemente, somos considerados loucos, palhaços, terroristas ou utópicos por imaginarmos esses cenários extremos.

Isso é normal, não nos afeta. Significa apenas que estamos fazendo o nosso trabalho, cumprindo com a nossa missão de contextualizar o investidor pessoa física num sentido mais amplo.

Quando o Felipe fala sobre a Oportunidade de uma Vida, ele definitivamente não está falando sobre vender Bolsa numa terça para recomprar noutra.

Nossos focos de interesse se direcionam àqueles raros movimentos de mercado que realmente valem a pena:

Em 2014, o Fim do Brasil.

Em 2015, a Virada de Mão.

Em 2019, o Primeiro Milhão de CPFs na Bolsa.

Não temos tempo a perder, não temos curto prazo para mais um zero a zero.

A oportunidade da vez está dada para todo aquele que deseja aproveitá-la.

PS. Se você vem procurando estratégias para alcançar uma previdência precoce (entre 40 e 50 anos), acompanhe minha série de orientações sobre o tema inscrevendo-se gratuitamente nesta lista da Aposentadoria FIRE.

Inscreva-se em nossa newsletter