Abril de 2018
23/03/2018

A ação que não pode ficar fora da sua carteira em 2018

Quanto antes você se posicionar, maior será seu retorno potencial

Caro leitor,

O momento de preparar sua carteira de investimentos para potencializar os ganhos em 2018 é agora. Quanto antes você se posicionar, maior será sua chance de fechar o ano com retornos de dois dígitos.

Em 2018, poderemos:

  • Ver a economia crescendo 3% (ou mais);
  • Ter os menores juros da história do país;
  • Ver os investimentos voltando a movimentar a economia e gerando empregos;
  • Voltar a ter a confiança de que o Brasil dá certo — e reencontrar o orgulho de deixar um país melhor para os nossos filhos.

Mas tudo isso vai depender de quem vencerá as eleições deste ano.

Um presidente pró-mercado e a favor das reformas certamente dará continuidade ao esforço de colocar a economia nos trilhos.

A eleição de um candidato populista ou contrário às atuais medidas pode levar o país a estagnar ou, até mesmo, retroceder.

O que importa diante desses possíveis cenários é como preparar o portfólio para capturar os melhores retornos.

Portanto, fique atento às próximas linhas desse documento.

Identificamos TRÊS AÇÕES com alto potencial de valorização em 2018. Uma delas você vai conhecer aqui.

Antes de revelar qual é a ação que sugerimos para a sua carteira, entenda nossos critérios de escolha.

Como escolher uma ação para investir

Existem diferentes estratégias de investimento em ações no mercado. Algumas focam no longo prazo, outras em um horizonte mais curto.

Nosso pensamento privilegia períodos longos de investimentos. Nós procuramos por:

  • Negócios simples, de fácil entendimento, que não estejam sujeitos a grandes mudanças;
  • Empresas que tenham bons retornos sobre o patrimônio investido (ROE), com pouca ou nenhuma alavancagem;
  • Companhias com geração de lucros interessante;
  • Preços interessantes.

Em resumo, empresas sólidas, cujas ações estejam baratas e tenham alto potencial de valorização.

Na Empiricus, gostamos muito das ideias de investimentos de Nassim Taleb.

Taleb é um grande investidor e autor de livros que são referências no mercado financeiro: A Lógica do Cisne Negro e Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos.

Em resumo, a estratégia consiste em encontrar ativos que possam te proteger de crises e tenham alto potencial de valorização.

Uma ação barata é antifrágil porque:

  • Notícias RUINS impactam POUCO;
  • Notícias BOAS impactam MUITO.

Foi com base nesses fatores que fizemos a seleção das ações que, pelo nosso ponto de vista, podem trazer bons retornos para o potencial investidor em 2018.

Sugestão #1 – Sanepar (SAPR11)

Sanepar é a companhia de saneamento do Paraná, que abastece 345 municípios do estado e um de Santa Catarina com água tratada. Uma população de 10,8 milhões de pessoas recebe água fornecida pela empresa; e cerca de 7,1 milhões de habitantes em 174 municípios têm seus esgotos tratados.

Além dos critérios já mencionados acima, outros elementos nos levam a acreditar que SAPR11 possa ser um ativo de destaque em 2018.

#1 Previsibilidade de lucro e baixa volatilidade

O setor de atuação da empresa é tradicionalmente associado à alta previsibilidade de resultados e à baixa volatilidade de margens, por isso, costuma ser fácil estimar volumes.

O negócio é basicamente um monopólio natural, com contratos de longo prazo – o término do acordo de mais de 88,7% das cidades cobertas ocorrerá depois de 2020 e seu prazo médio é de 20 anos – e base de clientes diversificada e pulverizada, com 636 localidades independentes.

A companhia tem apresentado resiliência interessante de resultados, mesmo em um contexto adverso da economia. Em 2016, a receita líquida marcou R$ 3,478 bilhões, alta de 17% sobre o ano anterior. Ebitda ajustado subiu 36%, a R$ 1,313 bilhão, enquanto lucro líquido anotou R$ 627 milhões, 43% maior na comparação com 2015.

#2 Valuation extremamente convidativo

Um importante pilar do racional da empresa está na atratividade do valuation, muito descontado sobre o valor dos ativos e também na comparação com seus pares. Ela negocia a 7x lucros para 2017 e a 6x lucros para 2018.

Ademais, o preço atual corresponde a 0,7x o valor do ativo regulatório e representa uma TIR (Taxa Interna de Retorno) bem interessante da ordem de 17% ao ano, a maior do seu setor.

Além da atratividade em termos de múltiplos, a companhia atende adequadamente aos interesses de investidores voltados à captura de yield, podendo oferecer dividend yield próximo a 10% neste ano, sem nenhuma premissa agressiva sobre crescimento ou melhora de margens.

#3 Preço ótimo

A oportunidade de investimento criada com essas ações decorre basicamente de penalização recente sobre os papéis, catalisada a partir de decisão do órgão regulador, que elevou dramaticamente a percepção de risco político e regulatório em relação à companhia.

Os papéis foram duramente castigados por isso. Mas a tempestade regulatória parece, ao menos, parcialmente, estar superada.

Aos preços atuais, as ações oferecem um baixo downside, associado a um potencial de valorização muito significativo.

No cenário positivo, e ele não sugere nenhuma premissa muito agressiva, os papéis gozam de upside da ordem de 110%.

E, mesmo sob premissas altamente conservadoras, ainda chegam a um preço justo em torno de +40% acima do valor atual.

Além desses três itens, no Brasil, há uma particularidade, associada ao potencial de crescimento na coleta e tratamento de esgoto. Estamos muito abaixo da média internacional de países com renda semelhante, com grande espaço para evolução em saneamento básico, apesar de termos uma oferta de água sem precedentes.

A Sanepar (SAPR11) é um benchmark no país em eficiência operacional e tem evoluído neste quesito.

É o nome mais barato do setor, que, por sua vez, já negocia com desconto significativo sobre os demais players de utilities.

O controlador estatal e a governança corporativa são os principais riscos associados a esse investimento. Porém, recentemente, o governo do estado do Paraná entrou em acordo com o grupo de investidores privados da empresa e se comprometeu a não atrasar o repasse tarifário nem se intrometer no cálculo das revisões tarifárias.

Riscos do investimento

É importante destacar que o investimento em ações sempre envolve riscos.

Lembre-se: rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.

Como o papel envolve um perfil de risco mais elevado, é importante que o investidor não comprometa parte relevante de seu capital. Caso decida investir, o ideal seria aplicar o equivalente a apenas 5% de seu patrimônio.

Como comprar ações

As ações são negociadas na B3 (fusão entre BM&F Bovespa e Cetip), que é a Bolsa de Valores do Brasil.

Quando se fala em Bolsa de Valores, muitos imaginam aquela cena clássica de filme, na qual corretores falam em vários telefones ao mesmo tempo e gritam ordens de compra ou venda.

Esqueça isso!

Hoje, tudo é feito de maneira online. O investidor pode operar, por si próprio, de onde quiser, por meio do home broker da corretora de valores.

Portanto, o primeiro passo para comprar ações é escolher uma corretora.

Como escolher uma corretora

Não existe a “melhor” corretora. Mas existem alguns pontos para analisar antes de escolher por qual investir.

Primeiro, é importante saber que existem taxas para investir na Bolsa.

A taxa de corretagem é paga toda vez que você comprar ou vender uma ação. Ela pode variar entre R$ 2,90 e R$ 20, enquanto a taxa de custódia é cobrada mensalmente para armazenar seus papéis. Algumas corretoras não a cobram, outras pedem mais de R$ 30.

As corretoras independentes, aquelas que não são vinculadas a nenhum banco, em geral, costumam cobrar taxas mais baixas, podendo inclusive isentar o cliente em alguns casos. Além disso, oferecem uma boa usabilidade do home broker.

Este é exatamente o segundo ponto a ser considerado na sua escolha: interface do home broker.

É por meio dessa plataforma que você dará ordens de venda ou compra de ações. Por isso, escolha uma corretora que tenha um sistema fácil de operar e que, de preferência, ofereça aplicativo para smartphone.

 

Verifique ainda se a corretora tem os selos Retail Broker ou Execution Broker, da BM&F Bovespa, e se ela oferece um bom atendimento ao cliente.

Quais são os custos do mercado de ações?

Além do preço do papel em si, para investir na Bolsa, como já dito, há algumas taxas a pagar: a de corretagem e a de custódia, mais os emolumentos – ou taxa de negociação e liquidação – cobrados pela B3 a cada compra ou venda de ações. E, por último, o Imposto de Renda.

Tipos de ações

Existem dois tipos de ações: as ON e as PN.

Se sua ideia é ser um sócio ativo nas decisões da empresa, então você precisa comprar ações ordinárias (ON). Elas dão aos acionistas o direito de voto nas assembleias.

Já se você está mais preocupado em ter um retorno mensal, as ações chamadas preferenciais (PN) são as mais adequadas. Elas oferecem distribuição de dividendos (resultados), que no Brasil equivalem ao menos a 25% do lucro das empresas.

Além desses dois tipos, há ainda as units (ou certificado de depósito de ações) que oferecem vários tipos de ações no mesmo pacote. Ou seja, ações ordinárias e preferenciais em um único ativo.

O que ainda está por vir…

Não sabemos o que acontecerá com o mercado, mas sabemos que boas empresas e boas ações são coisas completamente diferentes e que é muito mais fácil comprar ações quando elas estão extremamente baratas.

Comprando boas empresas a preços baixos, não precisamos saber o que vai acontecer.

A primeira das três ações que devem despontar em 2018 você acabou de conhecer.

Daqui para frente, basta analisar se ela faz sentido dentro da sua estratégia de investimentos e tomar a decisão de inseri-la ou não em sua carteira.

Acreditamos que no médio e longo prazos, com os fundamentos econômicos estabilizados e com tendência positiva, haverá um cenário mais favorável para a valorização da Bolsa, beneficiando diversas empresas.

Para escrever a série As Melhores Ações da Bolsa, estudamos minuciosamente as companhias listadas na B3.

Esse trabalho de detetive nos levou a encontrar três papéis com alto potencial de alta em 2018, sendo SAPR11 um deles.

Se você tiver interesse em conhecer as outras duas ações, faça parte do As Melhores Ações da Bolsa.

Esta é uma das assinaturas de maior sucesso da Empiricus.

Nela, você vai encontrar conteúdos simples e didáticos, capazes de auxiliar tanto quem nunca investiu quanto o investidor mais experiente.

Os estudos realizados e as ideias de investimento são exclusivos, com a chancela que só a Empiricus tem no mercado: independência de pensamento.

Não estamos ligados a nenhuma instituição ou empresa, seja pública ou privada.

Nosso compromisso é com você, nosso assinante. É de onde vem a nossa única fonte de receita, o que nos permite falar, sem medo, sobre o que realmente pode fazer a diferença nos seus investimentos.

Assinando As Melhores Ações da Bolsa, você terá:

  • Acesso à série As Melhores Ações da Bolsa;
  • Newsletter diária Day One PRO, escrita por toda a equipe de editores-analistas da Empiricus;
  • Guias e vídeos mostrando como abrir conta em corretora e como comprar suas ações.

Tudo isso por apenas 12x de R$ 14,90.

E mais! Caso o conteúdo não seja aquilo que esperava, você ainda tem 20 dias para cancelá-lo e receber 100% do valor pago de volta.

Você não tem nada a perder em conhecer a assinatura.

Faça parte da nova geração de potenciais investidores brasileiros e mude a sua vida.

Quero assinar a série As Melhores Ações da Bolsa

Um abraço,

Ruy Hungria

 

Sobre a Empiricus Research

A Empiricus é hoje a maior publicadora de educação financeira do Brasil. Nossas publicações técnica-opinativas sobre investimentos e proteção do patrimônio têm mais de 2 milhões de leitores e nossos conteúdos pagos são assinados por mais de 180 mil pessoas físicas.

História

Desde 2009, ajudamos a esclarecer pessoas comuns a potencializarem os seus ganhos e conquistarem a sua independência financeira. Não somos um banco, tão pouco uma corretora, mas sim uma publicadora de ideias focada em fornecer sugestões de investimentos para toda e qualquer pessoa física que queira investir ou simplesmente se resguardar com conhecimento.

Nossos editores-analistas falam o que pensam, sem censura, de forma didática e simples. Nosso propósito é democratizar a informação sobre finanças para os brasileiros por meio dos planos de assinaturas que oferecemos. A única fonte de receita da Empiricus é proveniente da comercialização de suas assinaturas, ou seja, não administramos o patrimônio de nenhum assinante, o que nos dá o conforto de atuar livremente e sem qualquer conflito de interesses.

Produtos

A Empiricus publica ideias de investimentos, embasadas em estudos econômicos, financeiros e estatísticos.

Saiba mais sobre a Empiricus em nosso site: www.empiricus.com.br

Não tem tempo para ler agora?

Envie o conteúdo A ação que não pode ficar fora da sua carteira em 2018 para seu e-mail e leia mais tarde.

*Importante: O endereço de e-mail informado deve ser válido para que você possa receber o artigo em sua caixa de e-mail, bem como nossos conteúdos gratuitos sobre investimentos.