Dezembro de 2018
12/2018

FGTS – Onde investir o seu saldo?

Em 2017, a Caixa Econômica Federal pagou R$ 41,8 bilhões para 24,8 milhões de trabalhadores referentes às contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do tempo de Serviço). A medida fez parte de uma iniciativa do governo federal para reaquecer a economia. Muitos usaram o dinheiro para pagar dívidas, outros gastaram a renda extra com consumo.

Porém, se você é uma daquelas pessoas que sacou e colocou o montante na poupança, saiba que pode estar perdendo dinheiro. Muitos ainda acreditam que a caderneta é um ótimo investimento, pois ela conta com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Créditos), no valor de até R$ 250 mil por CPF, de modo que se o banco quebrar, você pode receber seu dinheiro de volta. Além, do forte apelo da isenção do Imposto de Renda.

Apesar disso, é importante lembrar que mesmo podendo depositar e sacar dinheiro a qualquer dia, nem sempre você vai receber alguma remuneração pelo investimento. Isso porque você precisa respeitar a data de aniversário da poupança, o que ocorre a cada 30 dias. Isto é, o rendimento é mensal e não diário, como ocorre com a maioria dos demais investimentos.

Outro ponto negativo é a rentabilidade. A poupança nunca foi um bom investimento, mas em época de juros baixos fica ainda pior. Desde maio de 2012, o retorno da caderneta varia conforme a taxa Selic.

Toda vez que a Selic está maior do que 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% ao mês mais TR (Taxa Referencial). Quando os juros básicos estão em 8,5% ou abaixo desse patamar ao ano, a rentabilidade da caderneta também diminui, e passa a ser de 70% da taxa Selic anualizada mais a TR.

Logo, mesmo considerando o Imposto de Renda, outras aplicações de renda fixa podem ser muito mais rentáveis do que a poupança. Você verá mais a frente!

Ainda dá tempo de sacar o FGTS?

Há ainda outra possibilidade para sacar o saldo do seu Fundo de Garantia. Se você possui uma conta inativa há três anos ou mais, e, nesse período, você ficou fora do regime do FGTS, é possível retirar o dinheiro. Não há limite para saques.

Se você se encaixa no perfil, basta ir até a Caixa Econômica Federal no mês do seu aniversário, ou nos meses seguintes, levando carteira de trabalho, documento de identidade e solicitação de saque do FGTS. Esse formulário, disponível em qualquer agência da CEF, deve ser preenchido e assinado pelo solicitante.

Mesmo que você não tenha dívidas, resgate o seu fundo, pois é uma excelente oportunidade para aplicá-lo em bons investimentos.

A atual rentabilidade do FGTS é tão ruim que os especialistas nem o consideram uma opção de investimento. Em 2016, com seus míseros 3% ao ano mais TR (que rende um adicional aproximado de 1% ao ano), o FGTS perdeu até para a poupança.

Antes de falar sobre os melhores investimentos para se aplicar seu FGTS, tire todas as suas dúvidas sobre o Fundo de Garantia.

O que é FGTS?

O FGTS ou Fundo de Garantia do Tempo de Serviço foi criado em 1967 para proteger o trabalhador demitido sem justa causa. Trata-se de uma conta/um fundo administrado pela Caixa Econômica Federal, em que a empresa contratante deposita todos os meses 8% do salário bruto do colaborador, enquanto o trabalhador estiver empregado.

Quem paga o FGTS?

O empregador ou o tomador de serviços faz o depósito na conta vinculada ao FGTS do trabalhador. O depósito pode ser feito até o dia 7 de cada mês e é equivalente a 8% do total das verbas salariais brutas recebidas pelo empregado (salário, horas extras, adicional noturno, entre outras).

Quem tem direito ao FGTS?

Na prática, todo brasileiro com contrato de trabalho formal (CLT) tem direito ao FGTS. Além de trabalhadores rurais, temporários e avulsos (quem presta serviço a inúmeras empresas, mas é contratado por um sindicato e, por isso, não tem vínculo empregatício), safreiros, atletas profissionais e autônomos (que podem recolher por conta própria), diretores de empresas não empregados e empregados domésticos (de forma obrigatória desde 30 de setembro de 2015).

Onde ficam os recursos?

O dinheiro do Fundo de Garantia fica depositado em um fundo administrado pela Caixa Econômica Federal.

Como verificar se a empresa está pagando corretamente o FGTS?

Existem várias formas de você acompanhar os depósitos e saques, sendo o uso de SMS (mensagem de texto enviada pelo celular) o mais prático e rápido. Nessa opção, é possível receber diretamente em seu celular uma mensagem todas as vezes que a empresa realizar o depósito em sua conta do FGTS. Um aviso também é enviado toda vez que houver alguma atualização ou saque de sua conta.

Outra forma de receber o extrato do FGTS é em seu endereço residencial, a cada dois meses, via Correios. No documento, vêm descritas todas as informações da conta, inclusive seu saldo atualizado. Para isso, basta informar seu endereço em uma agência da Caixa, pelo telefone 0800 726 0101 ou via site da Caixa, no qual também é possível fazer a consulta online, mas neste caso, é preciso informar o Número de Identificação Social –NIS (PIS, Pasep ou NIT).

Também é possível acompanhar a conta do FGTS pelos caixas eletrônicos instalados nas agências da Caixa. Todos os terminais de atendimento possuem a opção “Consultar saldo ou extrato do FGTS”. Para tal, é preciso ter em mãos o Cartão Cidadão ou número do PIS. Para fazer o cartão, é necessário ir a uma agência da Caixa e levar carteira de trabalho, RG e comprovante de residência.

Ainda é possível baixar o aplicativo gratuito da Caixa e acompanhar a movimentação da sua conta do FGTS. O app “FGTS Caixa Econômica Federal” está disponível para sistema operacional Android (na Play Store), iOS (na App Store) e Windows Phone (na Microsoft Store).

Caso o empregador não esteja depositando o FGTS, o trabalhador deve procurar a DRT (Delegacia Regional do Trabalho), já que o responsável pela fiscalização das empresas é o Ministério do Trabalho e Emprego.

 

Quem pode sacar o FGTS?

Não é apenas em casos de demissão que o FGTS pode ser sacado pelo trabalhador. Veja em quais outras situações o saque é liberado:

• Aposentadoria;
• Compra da casa própria, liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte de prestações de financiamento habitacional;
• Na rescisão por acordo (a partir de 11 de novembro de 2017, por causa da Reforma Trabalhista – Lei n°13. 467/2017);
• Morte do patrão e fechamento da empresa;
• Término do contrato de trabalho de um trabalhador temporário;
• Falta de atividade remunerada para trabalhador avulso por 90 dias ou mais;
• Ter idade igual ou superior a 70 anos;
• Portadores de HIV ou de doenças graves, como câncer, do trabalhador, cônjuge (esposa ou esposo) ou filho, ou ainda em caso de estágio terminal em qualquer doença;
• Morte do trabalhador;
• Rescisão por culpa recíproca ou força maior;
• Em caso de necessidade pessoal urgente e grave, decorrente de chuvas e inundações que tenham atingido a residência do trabalhador, quando a situação for reconhecida como calamidade pública por portaria do governo federal;
• Quando a conta permanecer sem depósito por três anos ininterruptos.

Como sacar o FGTS?

O FGTS pode ser sacado em qualquer agência da Caixa Econômica Federal. Além de documentos de identificação com foto, carteira de trabalho e número de inscrição no PIS/Pasep, são exigidos documentos específicos, dependendo da circunstância em que você vai solicitar o saque do FGTS.

Quando há rescisão de contrato, por exemplo, o trabalhador deve ir até o banco com carteira de trabalho, RG e o Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho (TRCT). Porém, para que você consiga sacar o dinheiro, o empregador precisa comunicar o ocorrido à Caixa, por meio do canal eletrônico Conectividade Social. A partir daí, em até cinco dias úteis, o trabalhador poderá sacar o seu benefício.

Nos demais casos, a solicitação de saque é feita pelo trabalhador ou seu representante, que deve comparecer a uma agência da Caixa portando os documentos. Veja aqui quais são necessários em cada caso.

O saque de valor igual ou inferior a R$ 1,5 mil pode ser feito nas unidades lotéricas, nos Correspondentes Caixa Aqui, nos postos de atendimento eletrônico e nas salas de autoatendimento para trabalhadores que possuem Cartão Cidadão e senha. Para valores acima disso, o saque dos recursos pode ser realizado em qualquer agência da Caixa.

FGTS pode ser transferido para outras instituições financeiras?

Quem for sacar o dinheiro do FGTS não precisa, necessariamente, sair da Caixa carregando todo o dinheiro no bolso (o que, inclusive, pode ser muito perigoso!). É possível transferir esses recursos para uma conta em outra instituição financeira.

Os melhores investimentos para aplicar o FGTS

Não faça loucuras com seu dinheiro e, por favor, não o deixe na poupança, onde ele pode ter rendimento muito inferior a outras aplicações.

A caderneta de poupança é ideal apenas para os bancos, que captam dinheiro barato e podem repassar mais tarde esse recurso para terceiros cobrando juros muito mais salgados. Por isso, é importante buscar aplicações que paguem mais e, ao mesmo tempo, sejam seguras.

Com essas características, uma ótima opção são os títulos do Tesouro Direto.

Conforme o site do próprio Tesouro Direto, até 30 de novembro, a rentabilidade dos títulos públicos, justamente pela taxa Selic baixa, foi de dois dígitos. Variou entre 17% (Tesouro Prefixado 2023) e 12% (Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2035).

Os títulos do Tesouro podem ser vendidos todos os dias, mas, até o vencimento, o preço dos indexados à inflação oscila conforme marcação a mercado, podendo ter variações maiores ou menores que a taxa contratada.

Mantendo o título até o vencimento, você receberá exatamente a taxa de retorno contratada. Há várias opções com vencimentos distintos que atendem a diferentes perfis de investidores. Basta escolher a que melhor se adequa aos seus objetivos.

Importante lembrar que, quanto mais longo o vencimento, maior o potencial de retorno, mas também maior o risco.

Uma das grandes vantagens dessa aplicação é que você pode comprar frações de um título, a partir de R$ 30. Além disso, os títulos do Tesouro Direto possuem garantia de recompra pelo Tesouro Nacional, com liquidez no dia útil seguinte.

A aplicação possui Imposto de Renda regressivo e, a partir de dois anos investidos, a alíquota passa a ser de 15%.

Os títulos do Tesouro Nacional são considerados as aplicações financeiras mais seguras no mercado. Investir no Tesouro Direto é muito simples. O problema é que os bancos não ganham muito dinheiro com essa operação, por isso, não incentivam. Sugerimos utilizar uma corretora de valores independentes.

Algumas corretoras nem cobram taxa. Você apenas paga 0,3% ao ano, que é a taxa de custódia da B3. Já nos bancos, além da taxa de custódia, também há uma taxa adicional de 0,5%. Preste atenção nesses detalhes para não perder dinheiro.

O FGTS funciona como uma “poupança forçada” para muitos brasileiros que não têm o hábito de investir. Com o Tesouro Direto também é possível fazer aplicações programadas. Essa praticidade é muito útil para quem não tem muito tempo ou não deseja fazer as aplicações periódicas.

O poder dos juros compostos

O Tesouro Direto é apenas um tipo de renda fixa, aplicação que no mercado é conhecido por tudo aquilo que representa uma dívida. No caso do Tesouro Direto, estamos falando de títulos públicos, o que significa emprestar dinheiro para o governo federal.

Neste tipo de investimento, os juros possuem uma característica importantíssima que faz dos títulos de renda fixa seu maior aliado na construção de patrimônio: os juros compostos.

O que é isso?

Nos juros compostos, os juros de cada período são somados ao valor inicial para o cálculo dos juros do próximo período.

Simplificando, digamos que você faça um investimento inicial de R$ 100 à taxa de 10% ao ano. Em um ano, você terá R$ 110, mas por causa dos juros compostos, em dois anos você terá R$ 121 e não apenas R$ 120 como seria o esperado.

Ou seja, o valor de R$ 1 a mais é resultado dos juros do segundo período sobre os juros do primeiro. E esse efeito de composição faz com que seu patrimônio cresça de forma exponencial. Em outras palavras, por conta dos juros compostos, esses R$ 100 podem se transformar em R$ 670 em 20 anos, sem você precisar investir nada mais por isso.

Prepare-se para ter ganhos reais e lucrar com o seu saldo

Agora que você já sabe que seu Fundo de Garantia estava parado todo esse tempo rendendo muito menos do que a inflação, está na hora de investir em ativos que possam lhe proporcionar bons lucros.

Mas qual é o investimento mais adequado para fazer no momento?

Vimos que os Títulos do Tesouro são uma ótima oportunidade e, inclusive, foram os investimentos mais rentáveis dos últimos 10 anos. Entretanto, isso não quer dizer que você deve sair comprando qualquer título. Ou ainda, que deve investir todo o seu Fundo de Garantia somente em um tipo de aplicação.

O melhor a fazer é escolher as melhores opções de investimento com a ajuda de profissionais que prezem pelos SEUS interesses. Diferente das aplicações recomendadas por um gerente de banco, que busca bater as metas internas do próprio banco…

Foi com esse intuito que a Empiricus foi criada em 2009. Somos a maior casa independente de análises financeiras do Brasil. Isso significa que temos liberdade de recomendar o que acharmos melhor para nossos assinantes, sem qualquer relação com bancos, corretoras ou outras instituições.

Nosso único interesse é fazer VOCÊ lucrar e aumentar SEU patrimônio com segurança. Mas que fique claro: não investimos seu dinheiro. Quem escolhe as aplicações é você, e não ganhamos nada se você investir em um ativo A ou B.

O que fazemos é enviar recomendações para que você invista melhor, ganhe mais dinheiro e, assim, permaneça conosco por muito tempo.

Para ajudá-lo a tomar as melhores decisões para suas finanças, criamos a série Tesouro Empiricus. Quem tem acesso à série recebe relatórios exclusivos, em linguagem simples e acessível, nada do “economês” que só quem está no ramo consegue entender.

Além disso, só o assinante do Tesouro Empiricus tem à sua disposição cursos completos em vídeo, acesso ao livro “Renda Fixa Não É Fixa” e relatórios que explicam em detalhes como começar a investir em Tesouro Direto.

Contam ainda com monitorias online semanais para tirar dúvidas.

Gostou? Tudo isso custa bem menos do que você imagina.

Por apenas R$ 14,90 por mês, você terá acesso completo ao conteúdo da assinatura e receberá orientações para aplicar seu dinheiro e potencializar seus rendimentos.

E mais, se você estiver em dúvida sobre confirmar ou não este convite, segue a informação que fará você perceber que não há por que desistir.

A Empiricus não se tornou a maior publicadora de informações financeiras do Brasil fazendo ofertas que não atendessem 100% as expectativas de seus assinantes. Por isso, se em até 20 dias você perceber que o conteúdo não é o que o você esperava, devolveremos integralmente o valor pago na assinatura.

Isso mesmo, você tem 20 dias de acesso completo a todo o conteúdo e, se não quiser permanecer com a gente, devolvemos 100% do valor pago.

Você não tem nada a perder.

Comece agora mesmo a investir e a ter lucros excepcionais.

Quero receber as recomendações da série Tesouro Empiricus

Sobre a Empiricus Research

A Empiricus Research foi fundada em 2009 pelos sócios Caio Mesquita, Felipe Miranda e Rodolfo Amstalden, com o propósito de democratizar a informação financeira, para que pessoas comuns também fossem capazes de multiplicar seus ganhos e conquistar a independência financeira.

Por meio de relatórios e newsletters periódicas, levamos aos nossos leitores e assinantes informações relevantes sobre o mercado financeiro e a economia, para que eles sejam capazes de tomar decisões mais inteligentes em relação aos próprios investimentos.

Mais de 180 mil assinantes pagos e 1,7 milhão de leitores recebem diariamente as melhores recomendações de aplicações que os ajudarão a multiplicar o patrimônio e realizar sonhos.

Saiba mais sobre a Empiricus em nosso site: www.empiricus.com.br

Não tem tempo para ler agora?

Envie o conteúdo FGTS – Onde investir o seu saldo? para seu e-mail e leia mais tarde.

*Importante: O endereço de e-mail informado deve ser válido para que você possa receber o artigo em sua caixa de e-mail, bem como nossos conteúdos gratuitos sobre investimentos.