Oportunidades – Bolsa: comprar ou vender?

Não sabe o que fazer com as ações na bolsa? Veja as recomendações de Sergio Oba e Bruce Barbosa.

Sergio Oba: E aí, Bruce. Tá confortável aí?

Bruce Barbosa: Puts cara, tô procurando alguma coisa pra fazer no jornal, mas jornal não te fala nada mesmo hoje em dia.

Oba: E essa cadeira aí?

Barbosa: Nossa, tá dureza essa Empiricus, né? Economizando dinheiro até em cadeira.

Oba: Pedir um chazinho ali.

Bruce, então, estava pensando aqui.

Imagina que eu estou com uma arma na sua cabeça agora. Você tem que escolher uma das duas opções: Bolsa a 71.000 pontos. Você compra ou vende?

Barbosa: Quantas balas você tem?

Oba: Uma.

Barbosa: Puts, não sei cara. Agora, está dolorido mesmo.

Mas eu compraria, acho que eu compraria.

Oba: Tipo, algum tema, algum nome em específico? Algum setor?

Barbosa: É porque a bolsa não é o Ibovespa, né? Eu até quebrei a mão de tanto brigar com o mercado.

A bolsa não é o Ibovespa, tem muita coisa dentro do mercado que tem resultados melhorando drasticamente.

As empresas fizeram um mega trabalho interno na crise e tem muita coisa melhorando bastante.

Você não pode olhar Petro, Vale, Eletrobras e sei lá mais quem, e os bancos, para falar “nossa, esse é o Brasil”. O Brasil é muito mais do que isso.

Leia Mais: Qual a sua expectativa para a Bolsa?

Oba: Concordo 100%. E agora, eu, ao contrário de você, acho que com uma arma na minha cabeça agora eu venderia.

Mas ok, eu tenho alguns temas legais, eu acho, que me interessam agora…

Barbosa: Mas long&short?

Oba: No limite, eu reduziria minha exposição e compraria umas proteções.

Barbosa: Mas você está demorando para abrir um short agora, hein? Tá dando medinho?

Oba: Comprei PUTs agora pouco.

Mas tem uns temas interessantes, por exemplo, dividendos.

Agora, com os juros caindo, eu acho que uma empresa que pagava 7%, quando os juros eram 12% era uma coisa, agora com os juros vindo para um dígito, 7% ou 8% que é a estimativa do mercado, uma empresa que paga 7% ou 8% de dividendo, eu acho que fica mais atrativa.

Barbosa: Ó, o Sérgio já está aproveitando o vídeo para vender produtos dele. Coloca uma plaquinha.

Eu concordo cara.

Eu acho que tem uma empresa que é boa pagadora de dividendos, com um preço razoável, é sempre boa. Não tem como ser ruim.

Leia Mais: Como Investir na Bolsa de Valores: O Que Você Precisa Saber

Oba: Tem setores também que eu acho que vale a pena a gente olhar bastante, setores que já têm crescimento contratado.

Por exemplo, concessão de energia e de infraestrutura é uma coisa que vai ter um grande de crescimento de agora em diante, principalmente na segunda metade do ano, no ano que vem.

Eu acho que são preços razoáveis. O que você acha disso?

Barbosa: Cara, eu não gosto muito de concessão.

Sinceramente, tem muito investimento que você precisa fazer.

E você sempre depende do governo, né?

Depender do governo no Brasil, já viu… Depende de crédito, depende de tudo mais.

Mas eu acho a mesma coisa, acho que tem muita empresa com crescimento contratado, muita empresa que veio como primeiro tri (trimestre) bom. Segundo tri melhor ainda.

Talvez o terceiro tri virá ainda melhor e puts, são várias oportunidades.

Uma é Guararapes, que eu até comentei ontem no Day One, né?

Muito boa, voando. Inclusive é meio do caminho.

Varejo que eu gosto e shopping que você gosta.

Veja também: É uma boa investir em Shopping Centers?

A empresa está andando muito bem, queria até olhar com um pouco mais de afinco.

Oba: É, esses temas específicos, já puxando um pouco para os específicos, têm muitas empresas, mesmo havendo uma dependência regulatória.

A Alupar é uma empresa que agora o leilão de construção, em novembro de transmissão…o modelo regulatório já está bem estabelecido. A empresa está muito bem cotada, tem uma experiência de capital grande, acho que também pode ser uma boa alternativa aí para o ano, dado que as ações ainda estão para trás do mercado em geral.

A gente tem ainda uma boa assimetria de risco/retorno.

Barbosa: Mas eu sei de um setor que você gosta para cacete: educação, hein?

Oba: Adoro.

Barbosa: Educação é sensacional. Você tem que acreditar no Brasil, cara. O Brasil precisa se educar.

Oba: Eu acredito. Lógico que dentro de educação, a gente tem que separar nomes e nomes.

Tem nomes muito bons e nomes muito ruins.

Mas assim, na média, eu olho com um olhar um pouquinho mais cético, principalmente, das maiores.

Olhando a história do setor de educação lá fora, a gente teve vários problemas de solvência mesmo no modelo de negócios, principalmente nos Estados Unidos, que é um mercado que deveria ser referência mundial.

Barbosa: É, para mim, é isso aí também.

A pegada é que o financiamento mudou.

Então, a gente precisa estudar isso mais a fundo e tentar entender como esse negócio vai ser daqui para frente.

Oba: E o que a gente pode esperar no segundo semestre de maneira geral?

Barbosa: Bolsa para cima.

Oba: Expansão de múltiplos, aumento de lucro, fluxo?

Barbosa: Putz, cara, então, de novo, você fica olhando o Ibovespa, você não entende o que tem lá dentro, né?

Oba: Vamos olhar o IBX 100.

Barbosa: Nossa, pior ainda. Tem mais empresas.

É, mas é que tem poucas empresas que têm uma grande participação no nosso índice.

Não é igual ao S&P 500, que tem 500 empresas, que é muito mais diversificada.

Mas acho que sim, tem muita oportunidade dentro da bolsa ainda.

Tem muita coisa barata, tem muita coisa com múltiplo baixo, tem muita coisa com crescimento contratado.

Mas o índice em si, eu acho que já foi.

Eu não iria atrás de uma Vale, de uma Petrobras, de uma Eletrobras.

Oba: E não te preocupa ver os mercados lá fora, no S&P, por exemplo, Dow Jones, todas as máximas históricas, subindo como se não houvesse amanhã?

Se vir uma realização de 10% lá fora, o que acontece com o Brasil?

Barbosa: Espirro lá é tempestade no Brasil, né?

Mas sabe o que mais me preocupa lá fora?

É o Warren Buffet com 100 bilhões de caixa e não sabe onde alocar esse dinheiro.

Oba: Essa história é cabeluda mesmo.

Barbosa: Se o velhinho tem caixa, tenha caixa também. Sempre bom escutar o velhinho.

Oba: Sempre bom, com certeza.

Conteúdo relacionado