O impacto da inflação nas suas aplicações

Com a inflação sob controle, o ciclo de queda de taxa da Selic continua. Como esse processo afeta suas aplicações? Saiba aqui.
Compartilhe:

Para quem está acostumado a ver os preços só subirem no Brasil, o cenário anda um pouco mais atípico nos últimos tempos.

A inflação está mais sob controle e nós chegamos, inclusive, a ver uma deflação de 0,23% no mês de junho.

Nesta semana, o IPCA mostrou uma alta de 0,24% em julho.

O resultado foi um pouco pior do que o esperado, mas ele foi bastante simbólico.

Porque a inflação acumulada nos últimos 12 meses foi a mais baixa desde 1999, quase há 20 anos.

E aí você me pergunta: Bia, o que isso tem a ver com os meus investimentos?

De um lado, uma inflação, mais sob controle, dá gás para o Banco Central continuar fazendo o trabalho que ele tem feito. Ou seja, continuar com o ciclo de queda da taxa Selic.

Com isso, é de se esperar que a atratividade da Renda Fixa fique ainda menor. Um problema aí para as suas aplicações mais conservadoras.

Entenda mais: Inflação como indexador de títulos

Mas, de outro lado, uma notícia não tão negativa.

Uma inflação menor pode garantir um retorno um pouquinho mais alto nos seus investimentos.

Pensa comigo nos títulos prefixados, esses papéis têm um retorno nominal, ou seja, eles embutem a inflação. Se a inflação diminui, sobra um espaço maior para o seu lucro.

Gostou do vídeo? Então, se inscreva no nosso canal do YouTube.

Conteúdo recomendado