Você conhece o monge da Cidade de Deus?

Descubra porque Lázaro de Mello Brandão, presidente do conselho do Brasdesco, não pode ser chamado de monge.
Compartilhe:

Estou aqui com um e-mail da leitora Silvia, e ela escreve assim: “adorei a Empiricus!”

Um beijão para você, Silva! Nós também te adoramos.

E a Silvia fala: “com a ajuda de vocês, eu consigo finalmente debater com a minha gerente do banco. Apenas lendo o jornal, eu não conseguia.”

Poxa, a Silvia está certa!

Realmente, você abre o jornal para buscar uma visão de mundo minimamente diferente, e se depara lá com uma reportagem “venerando” o Lázaro de Mello Brandão, que é o presidente do conselho do Bradesco, como o Monge da Cidade de Deus.

O MONGE DA CIDADE DE DEUS?

Bom, talvez o jornal tenha se empolgado com o Lázaro de Betânia, do Evangelho segundo João. Ou talvez, seja uma alusão à Cidade de Deus, sede do Bradesco em Osasco. Ou até, aquele livro O Monge e o Executivo. Eu não li, mas talvez seja um bestseller. Não sei de onde eles tiraram isso.

O Lázaro, que acabou de se aposentar do Bradesco, de fato tem muitos méritos. Ele começou do zero, aos 16 anos, em Marília, no interior de São Paulo. E ajudou, de fato, a criar um dos maiores bancos do mundo.

Então, parabéns para o Lázaro! De coração.

Mas, daí chamá-lo de MONGE?

Posso até estar errado, mas eu acho que nem o próprio Lázaro queria ser chamado de monge.

Deixa eu te fazer uma pergunta: você investiria em ações de um banco cujo presidente é um monge?

Cara, não vai dar certo isso! Imagina um monge tocando um banco no Brasil? Não vai dar lucro, nunca! Usura é pecado, não é?

Já o Bradescão dá muito lucro e é bem melhor para o acionista do que é para o correntista.

Então, fica aqui o meu abraço para o Brandão e também para o pessoal de Marília. E também para o Daniel Malheiros, que nasceu em Marília.

Puts, deu quase um trava línguas aqui!

Você não conhece ainda o Malheiros de Marília?

Se você gosta de estratégias de geração de renda, você tem que conhecer o Malheiros de Marília. Ele é o nosso monge dos fundos imobiliários.

Saiba mais: Setor Imobiliário: Não diga que não te avisamos

Valeu?

Um abração.

Conteúdo recomendado