O que são LCIs e LCAs?

Entenda o que são e porque elas se tornaram as "queridinhas" do mercado de investimentos.
Compartilhe:

Renda Fixa é fazer um empréstimo para alguém.

Em troca desse empréstimo, você recebe, no final do período combinado, o seu dinheiro mais um juro.

Esse juro poderá ser pago de três modos: prefixado, pós-fixado e títulos indexados à inflação.

Outra informação extremamente importante em Renda Fixa é para quem você vai emprestar o seu dinheiro.

O governo é tido como o emissor mais seguro da economia, pois, em uma situação de crise, ainda conseguiria honrar os pagamentos dos juros com emissão de moeda ou empréstimos com entidades internacionais, como o FMI.

Mas, além do governo, as dívidas podem ser emitidas por bancos ou empresas. As principais emissões dos bancos incluem CBDs, LCIs, LCAs e poupança.

As principais emissões de empresas incluem CRIs, CRAs e debêntures.

Hoje, vamos falar sobre as LCIs e LCAs.

Esses títulos são emitidos por bancos e funcionam igual a um CDB. A única diferença é que os bancos só podem emitir esses títulos se os empréstimos forem lastreados em créditos imobiliários ou do agronegócio.

Por exemplo: se um banco emprestou dinheiro para um trabalhador comprar um carro, esse empréstimo não pode ser usado para lastrear uma LCA ou uma LCI. Mas, se o banco emprestou para uma fazenda, para que ela pudesse viabilizar a sua plantação, o volume de dinheiro emprestado pode ser utilizado para que o banco emita uma LCA para o investidor.

Assim, indiretamente, o investidor financia as atividades do agronegócio. E o banco fica só com a diferença entre os juros cobrados no empréstimo da fazenda e os juros pagos na LCA.

É importante lembrar que o risco de inadimplência da fazenda fica com o banco, não com o investidor da LCA. Mesmo se a fazenda não pagar o empréstimo, o banco tem que pagar a LCA do investidor.

A LCI funciona exatamente igual. Mas os empréstimos têm que ter lastro em operações imobiliárias, como, por exemplo, de aquisição da casa própria.

As LCIs e LCAs, assim como os CDBs, não sofrem marcação a mercado. Ou seja: não é possível ter uma alteração do seu investimento para cima ou para baixo devido a oscilações na taxa de mercado.

As LCIs e LCAs são isentas de Imposto de Renda e de IOF. Então, elas passam a ser uma excelente alternativa aos CDBs e ao LFT. Porém, por lei, o prazo mínimo de uma LCI ou LCA é três meses. O que significa que esse investimento não serve como reserva de liquidez.

As LCIs e LCAs, por serem títulos de bancos, são garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito –  FGC. Mas, lembre-se: o FGC não é um seguro! Ele só te paga o seu investimento e os juros se ele tiver dinheiro disponível.

Conteúdo recomendado