A Petrobras atraiu os holofotes do Ibovespa com dividendos, mas investir nela tem risco

O lucro líquido obtido foi de R$ 54,3 bilhões, alta de 28,6% em comparação ao mesmo período do ano passado.

A Petrobras divulgou, na última quinta-feira (28), os resultados referentes ao 2T22.

O Ebitda também chamou a atenção:

Foram 58,6% de crescimento na comparação anual e 26,4% em relação ao 1T22.

Em resumo, foram resultados fortes e acima do consenso do mercado, motivados principalmente pela alta do dólar.

Mas o que realmente alegrou os acionistas foram os dividendos anunciados pela petroleira.

A companhia aprovou o pagamento de R$ 87,8 bilhões em dividendos, o equivalente a R$ 6,73 por ação. 

A notícia faz da Petrobras uma das maiores “vacas leiteiras” da bolsa brasileira.

Além dos dividendos “gordos”, a companhia também teve outros pontos positivos, como a redução do nível de endividamento, que caiu consideravelmente desde 2014.

E a principal razão disso é o governo.

Mas, apesar do bom desempenho, Rodolfo Amstalden, analista e sócio-fundador da Empiricus, alerta que há risco em investir na Petrobras.

Sobretudo em ano de eleições presenciais, como o que estamos agora. Com isso, os papéis da empresa podem ter volatilidade.

Como você deve saber, o governo federal é o seu maior acionista. Assim, com frequência a empresa sofre com intervenções políticas.

Vale a pena investir na Petrobras mesmo correndo esse risco?

Para os acionistas, é preciso refletir:

Em um relatório gratuito, Rodolfo esmiuçou o momento da companhia e deu o seu veredito para a ação:

RELATÓRIO GRATUITO SOBRE A PETROBRAS AQUI

Vale a pena ler o conteúdo.

E diz se é uma boa ideia investir seu dinheiro:

No relatório, o analista pondera os pontos positivos e negativos que jogam com a Petrobras neste momento.

RELATÓRIO GRATUITO SOBRE A PETROBRAS AQUI