Puro Malte

Como votam as metrópoles; polêmicas no metrô de Londres e investimentos são temas do Puro Malte

Mais uma semana e com ela um novo episódio do Puro Malte. Política no Brasil; mobilidade urbana na Inglaterra; crise nos EUA. Esses são apenas alguns dos assuntos abordados. Confira os destaques do último episódio

Compartilhar artigo
Data de publicação
9 de maio de 2022
Categoria
Puro Malte

Foi ao ar o episódio #92 do Puro Malte, apresentado por Felipe Miranda e Rodolfo Amstalden, fundadores da Empiricus, juntamente com Bia Nantes, COO da casa, e a jornalista Roberta Scrivano. 

Dentre os assuntos abordados, as tendências eleitorais da população brasileira, a campanha contra encaradas sexuais no metrô de Londres e onde investir diante da queda da bolsa americana.

O primeiro tópico abordado são as inclinações políticas da população brasileira no processo de eleições. Roberta traz dados das eleições de 2018 e faz uma comparação com outros países, corroborando a teoria de que a população brasileira, em geral, opta por votar em uma posição de direita e nacionalista.

“Acredito que a falta de opção influencia bastante. Nas grandes metrópoles, existe um sentimento antipetista muito forte e o antagonista é o Bolsonaro”. Ela comenta, também, que o atual presidente capturou o voto de pessoas mais moderadas sob sua perspectiva de liberalismo, impulsionada pelo ministro da Economia Paulo Guedes.

O próximo tópico é mobilidade urbana e Roberta fala sobre uma nova iniciativa do metrô de Londres: “Olhar fixamente de maneira invasiva e sexual é assédio e não é tolerável”, estampa o cartaz da campanha. 

A iniciativa divide opiniões. Bia Nantes comenta: “Como uma lei, não sei como isso pode dar certo. Não sei até que ponto proibir olhadas vai impedir que aconteçam assédios sexuais e que as mulheres fiquem expostas a isso”.

Segundo Rodolfo, a aplicabilidade dessa norma é difícil. “Às vezes ao deixar a mensagem, de alguma forma isso gera um impacto”, comenta. Ele afirma que, mesmo que o problema não seja totalmente resolvido, a medida pode colaborar com sua diminuição.

A pergunta do ouvinte foi sobre crise econômica, questionando como é possível se posicionar diante de uma possível queda da bolsa americana e qual o portfólio ideal no momento. Rodolfo responde: 

“É preciso ter uma parte da carteira muito segura e outra parcela pode ser alocada em ações de empresas no Brasil”. Ele fala que não faz sentido ter investimentos só em dólar e desconsiderar a bolsa brasileira, já que não se sabe até onde vai o ciclo de aperto monetário americano.

Por fim, como não poderia faltar, as dicas culturais:

Para ver:

  • Mano a Mano com Sidarta Ribeiro
  • Morte e Vida Severina, no teatro
  • Site Razão Inadequada
  • Slow Horses, disponível na Apple TV
  • A Lista, no teatro
  • Drive My Car, disponível no Apple TV
  • Licorice Pizza, disponível no Apple TV
  • Belfast, nos cinemas
  • Fungos Fantásticos, disponível na Netflix

Para ler:

  • O Enigma de Espinosa, de Irvin D. Yalom
  • Estação Onze, de John Mandel Emily
  • O Filho Rico, de Felipe Miranda e Ricardo Mioto