Times
Investimentos

Como a alta dos Treasuries nos EUA impacta o Ibovespa e os investimentos no Brasil?

Analista explica como o Treasury de 10 anos, que está na máxima dos últimos 16 anos, impacta os investimentos em âmbito global

Compartilhar artigo
Autor
Juan Rey
Data de publicação
22 de setembro de 2023
Categoria
Investimentos
Bandeira dos Estados Unidos com um cifrão em alusão ao S&P 500 treasury treasuries tesouro eua
Reprodução: Shutterstock

Na última quinta-feira (21), o rendimento do título do tesouro norte-americano de 10 anos (Treasury de 10 anos) chegou a 4,5%, máxima dos últimos 16 anos. O movimento tem impacto em âmbito global e explica a queda dos ativos de risco nos últimos dias.

A alta dos yields dos treasuries veio após o comunicado do Fed na quarta-feira (20), que indicou mais um aumento de 25 pontos-base no juro em 2023 e que a taxa deve permanecer alta por mais tempo que o esperado pelo mercado.

O analista Enzo Pacheco explica que com as perspectivas de juro alto por mais tempo, os investidores passaram a demandar mais rentabilidade para os títulos longos. Como consequência, o Treasury de 10 anos chegou ao patamar histórico.

Isso reprecifica não só o mercado de renda fixa, mas todos os ativos de risco. Com um juro a 0%, você topa correr o risco em ativos de risco como ações, porque o ganho na renda fixa vai ser pequeno. Mas com a taxa no nível atual, essa competição fica cada vez mais difícil. É basicamente isso que vimos nesses últimos dias”, afirmou.

Treasuries dos EUA têm forte influência sobre o mercado global

Mas o impacto não é só nos Estados Unidos. O analista explica que os treasuries servem como arbitragem para o mundo todo

Primeiro porque, com a renda fixa norte-americana em níveis elevados, muitos investidores preferem alocar capital em dólar ao invés das moedas de países emergentes.

“Apesar do diferencial ser relevante em comparação com a taxa de juro e a inflação no Brasil, temos que lembrar que há pouco tempo o diferencial nos EUA era negativo, porque a inflação era muito maior que a taxa básica. Agora, com essa diferença no positivo, os investidores talvez prefiram correr o risco da moeda americana e não da brasileira”, explica.

Isso tem impacto direto no câmbio, já que a fuga de capital do mercado doméstico para os EUA desvaloriza o real frente ao dólar. Não por acaso, a moeda norte-americana subiu nos últimos dias.

No caso da renda variável, o cálculo de valuation de ativos do mundo inteiro tem como base a taxa do treasury de 10 anos.

“Quando a taxa aumenta, consequentemente os valores dos fluxos de caixa lá na frente vão valer menos hoje. É uma relação inversa, quanto maior as taxas de juros, menor vai valer o dinheiro do futuro hoje. Por isso vimos esse ajuste no Ibovespa, que caiu mais de 2% ontem”.

  • VEJA MAIS: Agora você pode acessar gratuitamente +100 recomendações dos analistas da Empiricus Research em ações, renda fixa, fundos imobiliários e muito mais. Saiba como aqui

Por que os juros devem permanecer mais altos nos Estados Unidos?

A percepção higher for longer (mais alto por mais tempo) do juro tem base nas projeções divulgadas pelo Fed. 

A autoridade aumentou as estimativas para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA de 1% para 2,1% em 2023 e de 1,1% para 1,5% em 2024. 

“Ou seja, a economia está bem e eles tiveram que rever a projeção da taxa básica de juros. Qualquer corte agora parece precipitado, porque você poderia ter uma reaceleração da inflação”, explica Enzo.

Com isso, a projeção para a taxa de juro terminal em 2023 foi mantida em 5,6%, o que indica mais uma alta de 0,25%, para o intervalo de 5,5% e 5,75%. 

Para 2024, a autoridade elevou a projeção da taxa de juro dos 4,6% para 5,1%, e para 2025, de 3,4% para 3,9%.

Foi exatamente este movimento que indicou ao mercado a manutenção da taxa de juro alta por mais tempo que o previsto anteriormente e, consequentemente, a alta nos treasuries.

“Na projeção passada tinha uma estimativa de até 1% de corte em 2024, que agora diminuiu para 0,5%. A mesma coisa vale para o ano seguinte. Com isso, você teve toda essa reprecificação na curva de juros, já que se o Fed pretende ter menos cortes, significa uma taxa alta por mais tempo para combater a inflação”, explica Enzo Pacheco.