Times
Investimentos

Mercado de opções: saiba como o segmento funciona e como você pode começar a investir com 1 real ou menos

Embora as opções tenham se popularizado no mercado financeiro, ainda existem investidores que enxergam o tema como um ‘bicho de sete cabeças’

Compartilhar artigo
Data de publicação
3 de novembro de 2023
Categoria
Investimentos
Imagem representando o mercado de opções, mostrando o gráfico financeiro de uma opção.

Apesar do mercado de opções ter se popularizado entre os investidores do segmento de ações nos últimos tempos, ainda sim existe muito desconhecimento sobre essa classe de ativos.

Embora ela faça parte das rodas de conversas entre os conhecedores do mercado, ainda é difícil para alguns investidores entender como funciona o mercado de opções e como é possível obter lucros rápidos dentro dele.

Por isso, se você quiser entender de uma vez sobre o tema, continue lendo esse texto.  

O que são opções?

Partindo do princípio, opções nada mais são do que um instrumento financeiro  que concede ao investidor o direito de comprar ou vender um ativo no futuro por um valor pré-estabelecido em contrato.

Embora as opções sejam bastante conhecidas dentro do mercado de ações, elas podem ser de diversos tipos de ativos, tais como moedas, commodities, ETFs, criptoativos, taxas de câmbio e juros

Como funciona o mercado de opções?

A princípio, a negociação de opções pode ser feita de duas formas diferentes:

  1. Por meio da Bolsa de Valores Brasileira (B3);
  2. Ou por meio do Balcão, ambiente que permite a realização de operações que não estão registradas na Bolsa de Valores.

Quando a negociação é feita pela B3, o contrato possui características padronizadas e prazos definidos pela própria bolsa. E isso também inclui as garantias exigidas por quem negocia, como cobertura e margem de opção.

Já quando são negociadas pelo balcão, a operação é feita diretamente entre o vendedor e o comprador. Neste caso, são eles que definem a “regra do jogo”, ou seja, as características do contrato. 

Após isso, o acordo é registrado na B3, sendo a única responsabilidade da bolsa nesse processo a de assegurar que os envolvidos na compra e venda da opção cumpram suas partes no acordo.

Conceitos comuns no mercado de opções

Existem alguns termos utilizados dentro desse mercado que para quem não está habituado pode soar como algo de difícil compreensão.

Durante as transações, existem termos usuais, tais como:

  • Ativo-objeto: o ativo que está sendo negociado na operação;
  • Titular: quem está comprando o ativo-objeto;
  • Lançador: quem está vendendo seu direito de compra ou venda do ativo;
  • Prêmio: o valor pago na negociação desse direito;
  • Strike: valor prefixado pelo qual o ativo poderá ser negociado no exercício da opção, ou seja, na data de vencimento do contrato.

Outros dois conceitos muito comuns nesse mercado são a call (opção de compra) e o put (opção de venda). 

A diferença entre esses dois conceitos é que, enquanto a call é uma opção que confere ao titular o direito de compra do ativo-objeto, o put dá o direito de venda.

No caso da opção de compra, o titular pode deixar seu direito simplesmente expirar caso o preço do ativo em questão não seja favorável dentro do prazo da opção, nesse caso o investidor perderia o valor do prêmio pago pelo direito. 

Já no caso da opção de venda, o titular também possui a escolha de não vender seu ativo-objeto, mas pode vender seu direito e ganhar um prêmio por isso.

Importante destacar que o titular não é obrigado a comprar ou vender o ativo-objeto, ele pode fazer isso no momento mais conveniente em relação ao preço do ativo.

Leia mais: treinamento ensina como investir no mercado de opções com 1 real ou menos

O que são os ‘famosos’ códigos das opções 

O código de uma opção é formado por 5 letras e dois números, sendo que as 4 primeiras letras indicam qual é o ativo-objeto da opção. Por exemplo, imagine que a opção é de uma ação da Petrobrás, seu código começará com PETR.

A 5 letra ajuda a identificar se o ativo trata-se de uma opção de compra ou venda, sendo todas as opções de compra representadas pelas letras de A a L, sendo A correspondente a janeiro, B fevereiro e assim por diante. 

E as opções de venda com letras que vão de M a X, sendo M correspondente a janeiro e assim por diante.

Por que muitos investidores compram opções?

O investimento de opções pode ser usado como uma forma de proteção à carteira em operações financeiras de grande risco, em que há grande variação no preço do ativo em questão.

Uma das estratégias desse tipo conhecida no mercado se chama Hedge. O seu principal objetivo junto às opções é reduzir o risco com a variação de preços indesejados.

Para ilustrar melhor, imagine que você é um investidor que tinha ações cotadas a R$ 50 e comprou opções de venda com o preço de exercício de R$ 49. 

Se, na época do exercício, as ações estiverem cotadas a R$ 45, você ainda teria o direito de vendê-las a R$ 49. 

Ou seja, caso optasse por se desfazer das ações, sua perda financeira neste caso seria de apenas 2%, diferentemente se tivesse que vender as ações a preço de mercado, o prejuízo poderia chegar até 10%.

Leia mais: treinamento ensina investidores a como se exporem a opções com 1 real ou menos

Pouca exposição no portfólio e lucros gigantescos

Embora as opções sejam conhecidas pelos ganhos rápidos e lucros estratosféricos, o investimento não exige do investidor que ele aporte uma grande fortuna. Pelo contrário.

Por se tratar de um segmento arrojado, onde o risco e a oscilação são características marcantes do investimento, uma pequena exposição já poderia render altos ganhos.

Inclusive, atualmente existem investidores que estão lucrando dentro desse mercado com apenas poucos centavos de reais, sendo surpreendidos por altas valorizações.

Um dos assinantes da série Flash Trader, da Empiricus Research, conseguiu transformar 2 centavos em R$ 3,14, o que inicialmente pode parecer pouco, mas se trata de uma multiplicação de 157x sobre o valor investido. Veja:

Fonte: Empiricus

E caso você esteja achando essa valorização baixa, esse outro investidor pode provar que pouca exposição ao mercado de opções pode gerar uma enorme multiplicação sobre o dinheiro investido. Veja:

Fonte: E-mail enviado por leitor da Empiricus

É claro que retornos passados não são garantia de retornos futuros, afinal, estamos falando de um mercado de risco. 

Contudo, esse e outros exemplos ajudam a mostrar que o investimento pode ser rentável ao portfólio do investidor, se feito de forma correta e na medida certa. 

Leia mais: treinamento ensina como investir no mercado de opções e ‘agarrar’ as melhores oportunidades

Como investir em opções com risco controlado?

Se você se considera um investidor com desejo de investir em opções, mas não sabe a melhor maneira de investir, com risco controlado e acompanhamento profissional, essa proposta pode te interessar.

A maior casa de análise financeira independente do Brasil, a Empiricus Research, está lançando um treinamento junto ao analista especializado em opções, Ruy Hungria.

O objetivo do treinamento é ensinar investidores interessados em como aprender a buscar lucros no mercado de opções com risco controlado.

Para quem não sabe, Hungria é o mesmo mentor do investidor que conseguiu lucrar R$ 55 mil com um investimento de apenas R$ 400 reais.

A boa notícia é que na próxima segunda-feira, dia 06/11, o treinamento será apresentado para todos os investidores interessados em uma transmissão online e gratuita. Para participar é muito simples, basta se inscrever neste link aqui ou no botão abaixo.