Times
Economia

Curva de juros: o que é, como funciona e qual o seu efeito sobre os investimentos?

A curva de juros é uma indicação das condições econômicas atuais e das expectativas futuras do mercado. Saiba como a curva de juros atua.

Por Equipe Empiricus

2 de março de 2023, 06:00

Imagem representando a curva de juros, mostrando um gráfico financeiro com tendência ascendente.

Quem deseja iniciar no mundo dos investimentos precisa estar atento a alguns fatores econômicos, sendo um dos mais importantes, a curva de juros.

Afinal, ao compreender o que é a curva de juros e como ela está, fica mais fácil tomar decisões acertadas no momento de investir.

O que é a curva de juros?

A curva de juros é uma representação gráfica da relação entre a taxa de juros e o prazo de uma dívida. Em geral, ela mostra como a taxa de juros cresce à medida que o prazo de uma dívida aumenta.

O seu formato pode diferenciar economias saudáveis de outras menos saudáveis, e é usada para avaliar as expectativas do mercado em relação à inflação, crescimento econômico e políticas monetárias.

Como funciona o movimento da curva de juros?

A curva de juros é vista como uma indicação das condições econômicas atuais e das expectativas futuras. Ela reflete as perspectivas dos investidores sobre o crescimento econômico, a inflação e a política monetária.

De uma forma geral, quando ela está inclinada para cima indica expectativas de crescimento econômico forte, baixa inflação e políticas monetárias restritivas.

Já a curva plana ou invertida indica expectativas de baixo crescimento econômico, elevada inflação ou políticas monetárias acomodatícias.

Além disso, ela também pode ser influenciada por outros fatores, como a demanda por empréstimos, a disponibilidade de crédito e a percepção do risco pelos investidores.

O resultado é uma representação visual da relação entre a taxa de juros e o prazo de um empréstimo, que fornece informações valiosas sobre as condições econômicas atuais e futuras.

Principais tipos de curva de juros

Há vários tipos de curva de juros que é necessário entender para quem pretende investir ou até mesmo tomar um empréstimo. Dentre as mais comuns estão:

  • Curva normal
  • Fortemente inclinada
  • Curva flat
  • Plana
  • Curva invertida

Curva normal

É a forma mais comum, onde a taxa de juros cresce à medida que o prazo de uma dívida aumenta. Essa forma indica expectativas de crescimento econômico saudável, baixa inflação e políticas monetárias restritivas.

Curva fortemente inclinada

Essa é uma variação da curva normal, onde a inclinação é muito acentuada. Isso indica expectativas de crescimento econômico muito forte, o que pode levar a crer que o governo esteja com dificuldades em financiar seu déficit em longo prazo.

Curva flat

Nesse tipo de curva a taxa de juros varia pouco com o prazo da dívida, ou seja, as taxas de longo prazo estão muito próximas das taxas de curto prazo.

Essa forma pode indicar incertezas econômicas ou expectativas de inflação elevada, visto que os agentes não sabem se a economia será inflacionária ou recessiva em um cenário futuro.

Curva plana

A curva plana é uma variação da curva flat, onde a taxa de juros é praticamente a mesma em todos os prazos. Ela indica expectativas de inflação elevada ou problemas econômicos.

Curva invertida

A curva invertida é um indicador financeiro que ocorre quando as taxas de juros a curto prazo são maiores do que as taxas de juros a longo prazo.

Isso é considerado incomum e pode ser um sinal de uma economia fraca ou uma expectativa de inflação futura. Ela também é vista como um indicador precursor de recessão econômica, embora não ocorra em todas as recessões.

É importante notar que as curvas de juros podem inverter e depois retornar ao normal, e que uma curva invertida não é uma previsão precisa de uma recessão iminente.

O que impacta a curva de juros?

Há muitos fatores que impactam a curva. No entanto, a lógica simples é que quanto maior for o prazo, maior será a incerteza em relação à sua evolução. Dentre os principais pontos de impacto, estão:

  • Política monetária: as decisões da autoridade monetária, como aumentar ou diminuir as taxas de juros, afetam a curva.
  • Expectativas de inflação: se as expectativas de inflação aumentarem, as taxas de juros a longo prazo também tendem a aumentar, resultando em uma curva mais inclinada.
  • Demanda por ativos: a demanda por ativos de longo prazo, como títulos do governo, pode afetar as taxas de juros a longo prazo.
  • Risco de mercado: o risco de mercado pode fazer com que as taxas de juros aumentem, especialmente para ativos de maior risco.
  • condições econômicas gerais: a saúde geral da economia, incluindo o crescimento econômico e o desemprego, podem afetá-la.
  • expectativas do mercado: as expectativas do mercado sobre as condições futuras da economia também a afetam.

Em resumo, ela é influenciada por uma combinação de fatores econômicos, políticos e financeiros.

Sobre o autor

Equipe Empiricus

A maior equipe de análise de investimentos do Brasil, 100% dedicada a te ajudar a encontrar as melhores oportunidades de investimento.