Times
Investimentos

Estapar (ALPK3) entrega receita recorde pelo sétimo trimestre consecutivo no 4T23

A receita da administradora de estacionamentos foi ajudada principalmente pelo aumento de vagas, baixo cancelamento e capacidade de reajuste de preços.

Por Ruy Hungria

7 de março de 2024, 10:57

estapar alpk3
Imagem: Divulgação/Estapar

A Estapar (ALPK3) divulgou os resultados referentes ao 4T23 com mais um bom crescimento. 

Aumento de vagas, baixo cancelamento e reajuste de preços impulsionaram receita

Assim como já havia sido adiantado na prévia operacional, a companhia apresentou receita recorde pelo sétimo trimestre consecutivo, ajudada principalmente pelo aumento de vagas (+28%), baixo cancelamento (churn) e capacidade de reajuste de preços também. 

Com isso, a Receita Líquida atingiu R$ 365 milhões, aumento de +21,7% na comparação com o 4T22, com destaque para o segmento Alugadas (+29% vs 4T22). 

Margem bruta de Estapar cresceu graças à diluição de custos e menor alavancagem

Também vimos um incremento de margem no período, resultado da alavancagem operacional e diluição de custos, que tendem a crescer menos do que a receita dada a relevância dos custos fixos no negócio. 

A margem bruta de Estapar saltou de 22,1% no 4T22 para 26,6% no último trimestre. Além da alavancagem operacional, vimos uma melhora de R$ 13 milhões no lucro bruto das novas iniciativas, como auto tech, que ainda estão no negativo, mas em ritmo constante de melhora assim como indicado pela gestão em nossas últimas interações. 

Ajudada pelos mesmos efeitos, as despesas também foram diluídas em -1,9 p.p. da receita, e permitiram ganhos ainda maiores para o resultado operacional. O Ebitda saltou +98%, para R$ 65 milhões, com ganho de 6,9 p.p. de margem. 

Como sempre gostamos de lembrar, como as despesas com juros ainda consomem parcela relevante dos resultados, preferimos olhar para o Funds From Operations (FFO), que já considera esses impactos. Na comparação anual, o FFO saiu de -R$ 5,2 milhões, para +R$ 36,7 milhões, o  maior desde o 3T19 quando os juros eram muito menores, deixando clara a recuperação dos resultados e a assertividade na estratégia da companhia. 

Despesas com juros levaram a prejuízo, mas estão em tendência de queda

Apesar desse ótimo desempenho, as despesas com juros atrapalharam a linha final, que mostrou um prejuízo de -R$ 4,8 milhões. Mas é importante notar a evolução, já que no 4T22 o resultado foi um prejuízo de -R$ 43 milhões e, além disso, as despesas com juros também estão em tendência de queda, o que nos deixa mais confiantes em uma virada para lucro ainda em 2024. 

Também vimos uma melhora na alavancagem, que caiu de 3,4x no 3T23 para 3,0x dívida líquida/Ebitda neste trimestre. 

O que achamos dos resultados de Estapar?

A companhia mostrou mais uma vez que está no caminho certo, com melhora em praticamente todas as linhas de seus resultados. Além da evolução interna, também esperamos que o macro comece a ajudar, à medida que a Selic caia ainda mais ao longo do ano, o que beneficiará também seu resultado financeiro. 

Por 6x Valor da Firma/Ebitda esperados para 2024, a Estapar segue nas recomendações da Empiricus Research.

Se quiser receber análises gratuitas como essa dos próximos balanços corporativos divulgados, é só se cadastrar aqui.

Sobre o autor

Ruy Hungria

Bacharel em Física formado na Universidade de São Paulo (USP), possui MBA de Finanças na Fipe e iniciou a carreira no mercado financeiro em 2011, na própria Empiricus Research. Está à frente da série da casa focada em opções desde 2018, além de contribuir na elaboração e decisões de investimentos nas séries da Empiricus focadas em microcaps e dividendos, além de fazer o acompanhamento de companhias de diversos setores, com mais foco em Utilities e Oil & Gas. Desde o início de 2020 é colunista do portal Seu Dinheiro.