Times
Investimentos

Mudança na tributação dos FIIs e Fiagros e mais: veja as notícias da semana sobre os fundos imobiliários

MP publicada na segunda (28) altera parcialmente a tributação dos fundos imobiliários e Fiagros; BTLG11, RBRR11 e RCRB11 também apresentam novidades

Por Caio Araújo

29 de agosto de 2023, 09:45

Imagem para representar os fundos de tijolo, uma categoria de fundos imobiliários que têm como objetivo principal investir os recursos dos cotistas na construção. fiis

A seguir, apresentamos as últimas notícias referente aos fundos imobiliários (FIIs) recomendados na Empiricus.

#Tributação (FIIs e Fiagros): nesta segunda (28), foi publicada a MP 1.184/2023, que altera parcialmente a tributação de fundos de investimento no Brasil (a partir de 2024). Entre as mudanças propostas, foi estipulada a quantidade mínima de 500 cotistas para concessão de isenção tributária nos rendimentos de FIIs e Fiagros. Atualmente, a régua mínima é de 50 cotistas.

De forma geral, interpretamos que a medida provisória tem como “alvo” os grandes investidores (family offices, holdings, entre outros).

Ressaltamos que nenhum dos FIIs recomendados na Empiricus possui quantidade de cotistas menor do que 500. Portanto, não haverá impacto imediato em suas distribuições.

#BTLG11: o BTG Pactual Logística comunicou o encerramento do período para exercício do direito de preferência no âmbito da sua 12ª emissão de cotas, no qual foram subscritas 1,8 milhão de cotas, equivalente a R$ 182 milhões.

#RBRR11: o RBR Rendimento High Grade (RBRR11) comunicou a venda de 6 CRIs do seu portfólio, totalizando uma movimentação de R$ 26,3 milhões, o que gerou um resultado positivo de R$ 640,1 mil (cerca de R$ 0,05 por cota). Com os recursos levantados pelo giro dos ativos, juntamente com parte do seu caixa, o fundo imobiliário alocou R$ 55,5 milhões em CRIs do BTLG11 a uma taxa de IPCA + 7,3% ao ano, superior à taxa de emissão de IPCA + 5,9%.

#RCRB11: o fundo celebrou dois novos contratos de locação, sendo um para a unidade 84 (343,7 metros quadrados) do Jatobá Green Building e o outro para o conjunto 54 (536,6 metros quadrados) do Continental Square. Ambos os espaços serão ocupados por escritórios de agentes autônomos, sendo que a segunda locação será apenas uma troca de inquilino, portanto, não terá efeito na taxa de ocupação do FII. Com as novas locações, a taxa de vacância do portfólio do RCRB11 cai para 11,97%.

Os contratos foram celebrados na modalidade típica com duração de 60 meses (5 anos) cada, contados a partir do dia 1º de setembro e 1º de outubro, respectivamente, e reajustados pelo IPCA. As negociações preveem até 3 meses de carência e cláusula de aviso prévio de 180 dias. Após o término das carências, a gestão estima um incremento de R$ 0,01 por cota no resultado mensal do fundo.

Sobre o autor

Caio Araújo

Administrador de empresas formado pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV) e profissional da Empiricus Research desde 2016. Com certificação CNPI, é o analista de Real Estate e responsável pela série Renda Imobiliária, que atua no mercado de fundos de investimento imobiliários.