Investimentos

Não só ações, conheça outra forma de investir em Vale: as debêntures participativas da mineradora

Pouca gente sabe, mas esses papéis podem ser comprados por investidores do varejo e pagam rendimentos semestrais baseados na receita em dólar da gigante da mineração

Compartilhar artigo
Data de publicação
1 de fevereiro de 2022
Categoria
Investimentos
Mina de minério de ferro da Vale, em Carajás, no Pará, é a maior do mundo

Mina de minério de ferro da Vale, em Carajás, no Pará, é a maior do mundo – Imagem: Shutterstock

As ações da Vale (VALE3) seguem indicadas por diversos analistas da Empiricus, incluindo Felipe Miranda, CIO e estrategista-chefe da casa, que lidera a carteira Oportunidades de Uma Vida.

A ação está descontada e a companhia é boa pagadora de dividendos. 

No geral, a visão sobre a mineradora é positiva. A gestão da empresa vem sendo assertiva ao tocar uma estratégia competitiva, com aumento da produtividade e redução de custos. 

A companhia está alterando gradativamente a forma de produzir minério de ferro, diminuindo o processamento a úmido e migrando para o método a seco, sem precisar utilizar água. 

Assim, a companhia está dispensando a necessidade de barragens a montante, que representam riscos ambientais. 

Outro ponto é que a companhia está trabalhando para aumentar a qualidade da commodity, buscando margens maiores. Quanto maior o teor de ferro do minério, maior o prêmio em comparação à cotação média internacional. 

Se a Vale mantiver sua eficiência e alta produtividade  em um ano normal, já será muito bom, segundo analistas. 

Para 2022, não é esperada nenhuma alta exacerbada do minério de ferro como em meados do ano passado, quando chegou ao pico de US$ 230 por tonelada, mas também não há sinais de nenhuma queda abrupta. O preço do minério está hoje na faixa de US$ 137. 

Então, vale a pena ter Vale na carteira…Mas não só ações. 

O que muita gente não sabe é que existe uma forma diferente de investir na companhia, que é por meio das debêntures participativas perpétuas da Vale (CVRDA6), que estão disponíveis aos investidores do varejo como você.  

Essas debêntures são, nada mais nada menos, do que títulos de crédito privado que pagam prêmios (rendimentos semestrais), quando as receitas da empresa atingem certos limites. 

Por dentro do papel

Vou dar uma breve explicação do contexto desse ativo. É muito interessante você ficar por dentro. 

Essas debêntures foram emitidas pela Vale no final dos anos 90, antes da sua privatização. Na época, a empresa emitiu e distribuiu a todos os seus acionistas 388,6 milhões de títulos – um para cada participação acionária.  

A maior parte ficou com a União e com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), na verdade, 55% do total em circulação. A intenção do governo federal era participar dos ganhos da produção da mineradora, mesmo depois da companhia passar para o controle privado, sem incorrer nos riscos e na volatilidade associados às suas atividades.

Ao longo de mais de 20 anos, poucos deram atenção a esses papéis, com preços estagnados e poucas negociações no mercado secundário, ou seja, vigorou um quadro de baixa liquidez.

Mas em abril do ano passado, essas debêntures voltaram aos holofotes. Isso porque a União e o BNDES venderam todos os papéis que detinham, dentro de uma série de iniciativas para aliviar as contas públicas e reduzir o déficit fiscal.

Assim, houve aumento da liquidez dessas debêntures e foram abertas oportunidades para novos investidores

As características das debêntures participativas

De bate e pronto, pode parecer que é algo complicado, mas aqui você vai entender de forma bastante clara. 

Essa debênture da Vale é participativa, pois quem compra passa a ter participação em resultados específicos da companhia

E é perpétua, por se tratar de um título sem prazo de vencimento.

Importante você saber também que esse título têm cotação diária no mercado

Essa debênture paga prêmios semestrais (também costumam ser chamados de cupons, rendimentos ou até proventos por agentes de mercado). 

Esses pagamentos são variáveis – não há uma taxa específica. O motivo disso é que esses prêmios estão vinculados às receitas de determinadas minas – o Sistema Norte, em Carajás, no Pará, e o Sistema Sudeste.

Segundo a escritura da debênture, que é seu documento oficial, equivalem a 1,8% da receita líquida de minério de ferro, 1,25% da receita líquida de cobre, ouro e subprodutos e 1% dos demais minerais.

Um ponto relevante é que as receitas são em dólares e, depois, convertidas em reais para a distribuição dos prêmios/cupons.

Como a Vale exporta grande parte da produção, tem sua receita quase 100% dolarizada. Como o dólar segue valorizado frente ao real, isso se configura em benefício adicional para a companhia – e, claro, para seus investidores.

Portanto, essa é uma oportunidade de ter renda extra, dinheiro pingando na sua conta a cada seis meses. Significa ainda ter uma moeda forte no portfólio.

Veja abaixo os prêmios estimados por debênture:

Imagem de gráficos os quais representam ações da Vale

Desde a recomendação de Felipe Miranda em abril de 2021, os investidores que compraram o papel já conquistaram um yield bastante interessante, o qual deve aumentar tendo em vista a distribuição de rendimentos referentes ao período de produção do segundo semestre de 2021 e o patamar de preços atual, que ele considera bastante atrativo. 

O Felipe reitera sua indicação: CVRDA6 é uma oportunidade para comprar agora.  

Nos últimos meses, pressionado pela volatilidade do minério de ferro no exterior, o título atingiu preço em torno de R$ 53 (no final de janeiro), praticamente o mesmo de quando o governo anunciou a oferta no ano passado. 

Como investir

Como eu comentei, as debêntures participativas Vale (CVRDA6) estão ao alcance dos investidores do varejo.

Na plataforma da Vitreo, é possível fazer esse investimento a partir de R$15 mil, sempre no horário de funcionamento do mercado.

Devo destacar aqui que esse tíquete é muito menor do que o de outros bancos e corretoras, onde temos visto um valor inicial mínimo de investimento acima de R$ 100 mil.

Outra vantagem é que, na Vitreo, a taxa é zero para qualquer operação relacionada às debêntures participativas da Vale. 

Além disso, a plataforma permite a compra direta pelo investidor, de forma prática e totalmente online, sem precisar do intermédio de um assessor.

Em relação à tributação, as debêntures seguem a regra comum dos ativos de renda fixa. As alíquotas de Imposto de Renda (IR) observam a tabela regressiva, conforme o tempo da aplicação. A alíquota começa em 22,5% para investimentos até seis meses, chegando a 15%, quando o período for superior a dois anos.

Neste caso, o IR incide nos ganhos de capital auferidos no momento da venda dos títulos, assim como nos pagamentos dos prêmios semestrais.

Agora você tem informações sobre as debêntures participativas da Vale (CVRDA6), pode começar a buscar lucros com a produtora de minério de ferro, recebendo renda extra semestral.