Investimentos

Pauta de privatização da Eletrobras (ELET3) no TCU e seus desafios; prévia operacional da Cyrela (CYRE3) é positiva e Grupo GPS (GGPS3) faz nova aquisição

Felipe Miranda comenta assuntos corporativos em seu grupo Ideias Antifrágeis no Telegram; vale a pena conferir

Compartilhar artigo
Data de publicação
14 de abril de 2022
Categoria
Investimentos

O Tribunal de Contas da União (TCU) agendou para a próxima quarta-feira (20/04) o julgamento final sobre a privatização da Petrobras. 

Felipe Miranda, co-CEO não duvida que algumas dificuldades possam surgir no caminho até o processo ser finalmente destravado. 

“A pauta da Eletrobras vai ao plenário do TCU, o que poderia pavimentar a via para efetivação de sua privatização, embora muita gente esteja falando sobre possível pedido de vista adicional, o que arrastaria o processo. É aquela novela, acho que vai dar certo, mas é sempre sofrido”, destacou o analista, nesta quinta-feira (14/04), em seu grupo Ideias Antifrágeis no Telegram, um canal que mantém com os assinantes da Empiricus. 

Ele tem destacado que a privatização da Eletrobras contribui para um possível fechamento de capital da Coelce (COCE5), destravando seu valor. 

Números excelentes de Cyrela (CYRE3) provam diferenciação no setor

A incorporadora Cyrela (CYRE3) revelou a prévia de seus resultados operacionais no primeiro trimestre deste ano. As vendas líquidas contratadas somaram R$ 1,3 bilhão, um avanço de 27% em relação a igual período de 2021. 

Nos três primeiros meses de 2022, a companhia lançou seis empreendimentos, totalizando volume de R$ 1 bilhão, 146% a mais do que os realizados no 1T21 (R$ 421 milhões). 

Conforme Felipe Miranda, os números bastante positivos demonstram que empresas do setor que possuem bons produtos, gestão de qualidade e que atuam em boas praças, estão conseguindo vender mesmo em cenário macro desafiador. 

“A Cyrela mostra que no setor existe diferenciação. Por ser líder, esse resultado deve reverberar no mercado”, disse. 

No setor de construção e incorporação residencial, suas preferidas são Mitre (MTRE3) e Direcional (DIRR3), cujas ações fazem parte da carteira que ele lidera, a Oportunidades de Uma Vida.

Grupo GPS (GGPS3) faz nova aquisição: uma operação redonda

O Grupo GPS (GGPS3), especializado em soluções de facilities, segurança, logística, bem como em serviços industriais e de alimentação, anunciou a compra de 55% das sociedades Evertical Tecnologia e Evertical Comércio de Máquinas e Equipamentos de Informática. O valor da transação não foi revelado.

A Evertical, prestadora de serviços e sistemas de automação predial, segurança eletrônica e monitoramento remoto, teve receita bruta de R$ 87 milhões no período de 12 meses até 31 de março de 2022. 

De acordo com Felipe, o Grupo GPS,  que fez 5 aquisições neste ano, é promissor. “A GPS está entregando, tem uma operação redonda e está barata na Bolsa. Foi positiva essa nova aquisição, gosto muito da companhia”. GGPS3 consta no portfólio Oportunidades de Uma Vida desde junho do ano passado.