Investimentos

Por que bitcoin está caindo? Entenda os motivos e veja como se aproveitar dessa queda

Aparentemente, o mercado das criptomoedas também entrou em clima de “Black Friday”. Enquanto a duas semanas atrás o Bitcoin (BTC) alcançava a sua máxima histórica de US$ 68.789,63, nesta quarta-feira (24) a moeda opera em queda, no patamar dos US$56 mil, segundo o portal Coin Market Cap.  Para você ter uma ideia, isso representa uma […]

Compartilhar artigo
Data de publicação
25 de novembro de 2021
Categoria
Investimentos

Aparentemente, o mercado das criptomoedas também entrou em clima de “Black Friday”. Enquanto a duas semanas atrás o Bitcoin (BTC) alcançava a sua máxima histórica de US$ 68.789,63, nesta quarta-feira (24) a moeda opera em queda, no patamar dos US$56 mil, segundo o portal Coin Market Cap. 

Para você ter uma ideia, isso representa uma liquidação de +18% em relação à máxima. Mas por que a principal criptomoeda do mundo está caindo tanto após se manter por quase dois meses acima dos US$ 60 mil?

Vamos por partes: desde outubro, o Bitcoin vinha em um forte movimento de alta. Segundo analistas da Empiricus, uma das maiores casas de análise independente do Brasil, essa conjuntura se dava pelo anúncio, criação e negociação do primeiro ETF de Bitcoin nos Estados Unidos (BITO), aliado a preocupações inflacionárias. “Isso incentivou grandes investidores institucionais a se exporem à cripto, em especial ao bitcoin”, explica a Empiricus em relatório.

No entantoJoe Biden, presidente dos EUA, anunciou um plano trilionário de infraestrutura no país. E nesse pacote de US$ 1 trilhão, cerca de US$ 550 bilhões devem vir da taxação de criptoativos, de acordo com o documento.

Obviamente, isso desagradou ao mercado. Convenhamos, ninguém reage bem à notícia de que pagará mais imposto. Não por acaso, toda essa história fulminou com a queda de mais de 18% do Bitcoin que estamos vendo nos últimos dias… E quando a principal criptomoeda do mundo cai, a maioria das criptos também são arrastadas junto com ela. Veja:

Tabela de performance dos 10 maiores criptoativos do mercado referente ao dia 23/11 – Fonte: Seu Dinheiro

Bitcoin caiu, hora de se desesperar?

Segundo especialistas, essa pode ser uma oportunidade de compra de criptoativos por um preço bastante descontado (obrigada, Joe Biden). É o famoso ditado, que se aplica tanto para o mercado de ações, quando para o de cripto:

“Compre ao som dos canhões e venda ao som dos violinos”. 

Enquanto muitos se desesperam com essa queda, especialistas e investidores experientes estão confiantes de que isso não vai mudar em nada a perspectiva de crescimento do Bitcoin e de outras criptos a longo prazo

Alguns deles até aproveitam o timing para comprar criptoativos mais baratos e assim ter a chance de lucrar mais com a valorização. Veja só o exemplo do terceiro maior investidor e detentor de BTC do mundo (apelidado nesse mercado como “baleia”): 

Fonte: Live Coins

‘Tudo é bullish, dado um prazo razoável’: compre na queda e aumente seu potencial de lucro

Faço até questão de abrir o que foi dito no relatório exclusivo para assinantes da Empiricus sobre o panorama de mercado de criptomoedas: 

“Independentemente de uma nova informação ser boa ou ruim, chegamos sempre à conclusão de que tudo aponta para uma grande valorização do mercado – tudo é bullish, dado um prazo razoável”. 

No mercado financeiro, a expressão “bullish” caracteriza a valorização de preços. Em outras palavras, o fato é que o mercado cripto é extremamente volátil e sensível às notícias divulgadas. Então, é normal que existam quedas a depender da manchete dos jornais. Quer uma prova? 

Você deve se lembrar que a proibição chinesa do Bitcoin massacrou o preço da moeda este ano. De US$  64 mil, o BTC passou para US$ 30 mil… 

O período dentro do quadro vermelho destaca os meses em que o preço do Bitcoin patinou na faixa dos US$ 30.000 – Fonte: Coin Market Cap (Acesso 24/11/21)

Ainda assim, quatro meses depois, a moeda conseguiu renovar sua máxima histórica

E quem a comprou na queda, pôde ver seu investimento render mais de 50% no momento da alta. Essa é a mágica de comprar na baixa e vender na alta

A qualquer momento, a ‘black friday’ das criptomoedas pode acabar

Se eu fosse você, seria ágil para aproveitar essa promoção. Como eu te disse, o mercado de criptomoedas é extremamente volátil. O Bitcoin cai e sobe de valor a cada segundo. Para você ter uma ideia, comecei escrevendo esse texto com o BTC a US$ 56 mil. Agora, ele já se encontra nos US$ 58 mil.  

E pode ser que ele abaixe mais e fique ainda mais descontado nos próximos dias. Ou então o contrário: o preço da moeda pode subir e voltar aos US$ 60 mil… 

De qualquer maneira, segundo os analistas da Empiricus, se você investir a longo prazo, a expectativa é de lucro. Eles miram que o BTC alcance a nova máxima de US$ 100 mil no ano que vem. Então, quanto mais barato você comprar o ativo, mais você pode lucrar. 

E trago outra boa notícia para você. Como falei acima, quando o bitcoin cai, é normal outras criptos caírem com ele. E é aí que se encontra a oportunidade. As maiores chances de lucro, segundo a equipe de análise da Empiricus, não estão no bitcoin. Mas sim em criptos fora do radar, de segmentos alternativos às criptomoedas. 

Quero te contar mais sobre isso:

As maiores oportunidades de lucros não estão no Bitcoin, mas sim nas criptos fora do radar; entenda

Engana-se quem pensa que a única e melhor forma de ganhar dinheiro no criptomercado é investindo no Bitcoin. Farei uma analogia aqui.

Olhemos para a Vale: uma empresa grande, estruturada, bilionária, e com um alto grau de relevância na Bolsa. Quando a Vale cai, a Bolsa sente e geralmente várias ações menores caem “por tabela”. Agora veja: a Vale ainda tem muito para crescer, e quem investir nela pode lucrar. 

Mas se compararmos a Vale com uma small cap, isto é, uma empresa pequena, com menor valor de mercado mas com alto potencial de crescimento, como era Magalu 10 anos atrás… As chances da small cap crescer, se multiplicar e ter uma valorização exponencial é bem maior. 

No caso do universo cripto, fazendo essa analogia bem simplista, o Bitcoin é como se fosse uma blue chip como a Vale. Ele ainda tem muito a crescer a longo prazo… No entanto, as valorizações esperadas de criptoativos menos capitalizados, mas com elevado potencial de crescimento, são explosivas – e ultrapassam a de grandes criptomoedas como o Bitcoin, de acordo com a equipe de análise da Empiricus. 

Um exemplo recente:

AXS: mais de 27.000% de valorização em apenas 10 meses

Em janeiro de 2021, o departamento de cripto da Empiricus indicou a compra da criptomoeda AXS para quem acompanha o seu trabalho.

  • Essa cripto é proveniente do jogo Axie Infinity, que se utiliza da tecnologia blockchain para seu funcionamento.   

Sabe o que aconteceu? O jogo bombou e seu ativo explodiu meses depois. Veja você mesmo:

Valorização do ativo digital AXS – Fonte: Coin Market Cap, acesso em 12/11/2021

O criptoativo saiu da casa dos centavos para ser cotado em mais de US$ 150. Trata-se de uma multiplicação de mais de 29.000%, transformando cada:

  • R$ 100 em R$ 29.000;
  • R$ 1.000 em R$ 291.000; e
  • R$ 5.000 em mais de R$1.455.000. 

Um valor que muitos demorariam a vida inteira para conseguir ter na conta… Em apenas 10 meses.

Essa é outra vantagem de investir em criptos menores. Com menos dinheiro, você consegue comprar uma parcela maior do ativo e alcançar uma maior exposição ao retorno potencial. 

E é por conta dessa assimetria entre custo e retorno que a Empiricus está empenhada em montar uma carteira com os criptoativos fora do radar mais promissores, que podem entregar um retorno expressivo no curto prazo (saiba mais informações aqui). A perspectiva dos especialistas da Empiricus é de um upside de no mínimo 200 vezes. 

E quais criptos são essas? 

De mais de 8.000 criptos existentes, a Empiricus encontrou  a maior oportunidade do mercado para buscar dinheiro  

Posso te dizer que elas fazem parte de uma das classes de criptoativos que mais crescem no mercado. Me refiro às finanças descentralizadas, ou DeFi

Você sabe o que é isso? 

A sigla em inglês “DeFi” faz referência às finanças descentralizadas, que foram criadas para substituir as transações financeiras tradicionais da forma como estamos acostumados a ver. 

Nesta modalidade, os empréstimos, transferências, pagamentos e todos os demais serviços bancários podem ser efetuados sem a intervenção de terceiros, através de plataformas blockchain, como o Ethereum. 

E não pense que esse é um negócio que está longe da realidade. Até mesmo alguns dos mais influentes bilionários já estão apostando nessa nova tecnologia, como o CEO da Tesla, Elon Musk, e o empreendedor e estrela do Shark Tank, Mark Cuban:

 

Imagem: Cripto Fácil

O próprio presidente do Banco Central brasileiro, Roberto Campos Neto, reconhece como a tecnologia mais promissora que o próprio bitcoin, que pode revolucionar o sistema financeiro global da forma como conhecemos:

Imagem: CoinTelegraph

E para você ter uma ideia, a Nasdaq (uma das bolsas de valores americanas mais imponentes do mundo) está se referindo a criptomoedas ligadas ao DeFI como o próximo bitcoin”. 

E não para por aí:

Dados também mostram que as DeFi são uma tendência para o futuro

A oportunidade que a Empiricus encontrou vai ao encontro com o que há de mais promissor no mercado cripto. 

Segundo um estudo da Binance Research, o crescimento dessa tecnologia foi de 2.300% no ano passado, totalizando um milhão de usuários. Além disso, o valor investido nesta modalidade passou de US$ 697 milhões no fim de 2019 para US$ 16 bilhões em 2020. Hoje, esse número já passa dos US$ 50 bilhões.

Ativos da classe DeFi também tiveram as maiores valorizações do mercado no período entre janeiro e novembro deste ano. Veja:

Principais valorizações de criptomoedas DeFi no período entre janeiro e novembro deste ano. Imagem: Reprodução Empiricus

É claro que retorno passado não é garantia de retorno futuro. Mas até agora, os dados mostram que esse mercado está aquecido, e não podemos negar que diversos criptoativos DeFi já fizeram novos milionários. Isso é um fato.

Mas não fique chateado se você perdeu esse bonde. Os estudos em criptomoedas da Empiricus indicam que ainda oportunidades de buscar seu primeiro milhão com investimento pequeno, algo como R$ 5 mil… 

Contra números, não há argumentos. 

E por isso, a Empiricus se empenhou em estudar o mercado DeFi e encontrou os melhores ativos para indicar para seus seguidores. 

Eles atuam no campo das finanças descentralizadas e possuem um menor valor de mercado que o Bitcoin. Mas o seu potencial de valorização… É enorme. Todos estarão em uma lista exclusiva presente na série Exponencial Coins, que já entregou mais de 4.000% de lucro para aqueles que seguem as recomendações desde o início.  

E como já falei aqui, a equipe de análise enxerga uma projeção de mais de 200 vezes de multiplicação para os criptoativos recomendados nessa lista. 

Sabe o que é isso? Um pouco mais de 19.900% de valorização. É transformar 5 mil em 1 milhão de reais. 

Um dinheiro que muitos passam a vida inteira trabalhando duro para conseguir e acabam conquistando nem metade disso…

Justamente por isso a Empiricus vai abrir a primeira recomendação da lista para qualquer pessoa que comparecer ao evento online e gratuito que eles farão no dia 29 de novembro, excepcionalmente para explicar um pouco mais do potencial do DeFi. 

Para você conhecer o nome da recomendação, basta se inscrever e participar do evento do dia 29. 

QUERO CONHECER A PRIMEIRA CRYPTO DEFI DA LISTA DA EMPIRICUS COM POTENCIAL DE TRANSFORMAR 5 MIL EM 1 MILHÃO