Personalidades

Infraestrutura: Tarcísio se diz confiante para leilões de concessões

Em evento promovido por Empiricus e Arko Advice, Ministro da infraestrutura comenta rumos da pasta em 2021; previsão é de 54 leilões

Compartilhar artigo
Data de publicação
12 de março de 2021
Categoria
Personalidades

Tarcísio de Freitas diz estar confiante para leilões de concessões que serão realizados neste ano. Durante o evento Cenários Brasil 2021, promovido por Empiricus e Arko Advice, o ministro da infraestrutura, que planejou 54 leilões para o período, afirmou que já há interessados nos ativos brasileiros.

“Vai ter player [interessados nos leilões], sim. Essa confiança é concreta. Esses players estão todos os dias aqui, conversando conosco, buscando informações”, afirmou Tarcísio.

O ministro ainda atribuiu o otimismo a outros dois fatores. Primeiro, ao fato de o Brasil ser reconhecido mundialmente como “um país que respeita contratos”. Segundo, ao extenso portfólio da pasta. “Quem quer ficar de fora [do leilão] de uma [Rodovia] Presidente Dutra, de uma Rodovia Rio-São Paulo, de um Porto de Santos, Aeroporto de Congonhas, Santos Dumont? Então os ativos são muito interessantes”, pontuou.

Motivos para o otimismo

O cronograma de leilões, programado para ter início no dia 7 de abril, abarca 11 lotes de rodovias, 22 aeroportos e outros ativos. A CODESA (Companhia Docas do Espírito Santo), por exemplo, será a primeira desestatização portuária, e a condução desse tipo de operação específica — de acordo com Tarcísio — vem chamando a atenção de diversos players do mercado. 

Tarscisio em leilão de área portuária do Porto de Santos (Foto: Rovena Rosa/Fotos Públicas)

Essa diversidade de portfólio é outro motivo que deixa o governo otimista quanto aos leilões. Segundo o ministro, esse fator atrai os investidores, visto que os players “não se preparam para participar de um leilão só, quando vão a um país. Esse esforço [de participar dos leilões] é feito para disputar ativos combinados, o que alavanca a taxa de retorno”. 

Tarcísio também considera o cenário geral do país atraente: “Temos uma inflação civilizada, juros negativos, reservas altas, uma pauta de reformas encaminhada ao congresso, com um congresso que está muito disposto a fazer reformas. Tivemos o marco do saneamento aprovado, independência do banco central, uma balança comercial forte…”, ele enumera.

Os rumos da infraestrutura 

No ano de 2020, um dos avanços mais comemorados pelo governo em termos de infraestrutura foi a aprovação do marco do saneamento. Agora que ambas as casas legislativas são presididas por parlamentares alinhados com o Executivo, a esperança da pasta é de que haja ainda mais conquistas em 2021

Uma das propostas que estão “em estágio avançado”, segundo Tarcísio, é a de extensão da Ferronorte, que liga Rondonópolis até Lucas do Rio Verde. “Para nós, um projeto da maior importância, com 8,5 bilhões de investimento. Isso é emprego na veia. É fundamental para o Mato Grosso. Vai dar, por exemplo, o tão sonhado ramal de Cuiabá”, comenta o ministro.

O Governo Federal aguarda a aprovação do novo marco legal para as ferrovias (PLS 261/2018) no senado e na câmara para avançar esse e outros projetos. O ministro ressalta que o Executivo, no momento, foca em “formar convicção e dar confiança aos senadores para votarem”. “O marco das autorizações pode trazer uma avalanche de recursos privados para esse setor ferroviário”, ele completa.

O marco da cabotagem é outra prioridade. Tarcísio, que assegura já ter sido procurado por investidores interessados nesse mercado, diz que a aprovação do marco seria muito importante, visto que um dos principais objetivos do Ministério da Infraestrutura é o reequilíbrio da matriz de transporte”.