Times
Economia

Copom: entenda como é definida a taxa de juros da economia brasileira

O Copom é o responsável por definir a Selic taxa básica de juros da economia brasileira. Entenda melhor o que faz o Copom e como suas reuniões funcionam.

Por Equipe Empiricus

10 de outubro de 2022, 22:46

Imagem representando o COPOM, mostrando uma sala de reunião executiva.

O COPOM é um órgão de extrema importância para a economia brasileira, por isso ouvimos falar dele às vezes nos noticiários da televisão. Mas, será que temos consciência do que o COPOM faz, e de como ele impacta a vida de todos os brasileiros?

Desde os grandes investidores até a pessoa mais humilde do país, todos somos afetados pela regulamentação do COPOM, a respeito da taxa Selic. Taxa essa que representa tanto a alta quanto a queda de preços de empréstimos, mercadorias e serviços nacionais.

O que é COPOM?

COPOM é a abreviação de Comitê de Política Monetária, um órgão composto pelo presidente do Banco Central e seus diretores. Nesse sentido, a cada 45 dias são realizadas reuniões para definir a taxa básica de juros da economia, e demais assuntos ligados à situação monetária do país.

As decisões tomadas pelo Comitê de Política Monetária impactam diretamente no dia a dia das pessoas, por meio do preço de produtos ou serviços e das taxas de investimentos, já que a SELIC é a responsável por proporcionar maior ou menor rendimento, no caso dos investimentos de renda fixa.

Inspirado em comitês de outros países, o órgão foi instaurado em julho de 1996 e está intrinsecamente ligado ao Banco Central.

Quais os objetivos do COPOM?

O principal objetivo do Comitê de Política Monetária é avaliar a situação macroeconômica do Brasil, e identificar as ameaças relacionadas a ela. Assim, por meio da análise desses dados, decisões importantes sobre a política monetária do país são tomadas.

Nesse sentido, a Selic é definida pelo órgão desde 1999, e o mesmo garante o cumprimento das metas de inflação definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Se a meta de inflação não é atingida, é responsabilidade do COPOM informar o Ministro da Economia. Nesse caso, o presidente do Banco Central envia uma carta aberta ao Ministério, ressaltando os motivos do descumprimento e sinalizando as providências e devidos prazos para que a taxa de juros seja restabelecida.

A última vez em que uma carta aberta foi enviada ao Ministro da Economia, foi no ano de 2018, devido à inflação de 2017 ter se mostrado ligeiramente abaixo do piso.

De forma geral, as metas do Comitê de Política Monetária giram em torno da definição da Selic e da divulgação do relatório trimestral de inflação.

A responsabilidade de definir a Selic é muito grande, e o Comitê não pode realizá-la como bem entender. Para isso, precisa avaliar o cenário econômico mundial e nacional. Sob esse ponto de vista, o índice IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) é o aliado para entender a base de inflação no país.

Qual a formação do COPOM?

A formação do COPOM engloba o presidente e os diretores do Banco Central. As reuniões se restringem a 8 encontros por ano.

No caso dos diretores, os cargos ocupados estão relacionados a:

  • Diretoria de Política Monetária;
  • Diretoria de Política Econômica;
  • Diretoria de Assuntos Internacionais e Gestão de Riscos Corporativos;
  • Diretoria de Organização do Sistema Financeiro e Controle de Operações do Crédito Rural;
  • Diretoria de Fiscalização;
  • Diretoria de Regulação;
  • Diretoria de Relacionamento Institucional e Cidadania;
  • Diretoria de Administração.

Tais reuniões, pré-definidas, acontecem em duas sessões, levando dois dias para serem finalizadas.

Durante o primeiro dia, o Comitê realiza apresentações técnicas da situação econômica. Nesse momento, alguns profissionais de departamentos relacionados podem estar presentes.

Veja a lista com os principais departamentos correlacionados abaixo:

  • Departamento de Assuntos Internacionais (Derin);
  • Departamento Econômico (Depec);
  • Departamento de Estudos e Pesquisas (Depep);
  • Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos (Deban);
  • Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab);
  • Departamento das Reservas Internacionais (Depin).

Por fim, o segundo dia de reunião do Comitê é utilizado para a definição da Selic. Contudo, apenas os membros do comitê e o chefe do Departamento de Estudos e Pesquisas se reúnem para tomar a decisão.

Decisões do COPOM

As decisões tomadas pelo COPOM influenciam a economia de forma substancial, por isso as reuniões contam com profissionais capacitados e dispostos a analisar, de forma completa, dados a respeito da economia e política, que irão definir o futuro do país.

Entenda como são realizadas as reuniões e tomadas as decisões, no tópico a seguir!

Como é uma reunião do COPOM?

Primeiro dia

O período da manhã é reservado para o levantamento de dados junto a alguns departamentos correlacionados. Assim, o Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos (Deban) tem apenas 30 minutos para resumir como anda a liquidez e o funcionamento do sistema bancário naquele período.

Logo em seguida, o Departamento das Reservas Internacionais (Depin) faz uma breve apresentação sobre a perspectiva dos mercados internacionais e de câmbio.

Então, o Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab) assume a frente para expor a perspectiva do mercado monetário e operações de mercado aberto.

Ao retornar no período da tarde, a reunião do COPOM tem início, e passa a analisar a conjuntura da economia doméstica, que foi apresentada pelo Departamento Econômico.

Dados recentes a respeito da atividade econômica no país, como a inflação, agregados monetário, crédito, política fiscal e balanço de pagamentos são levantados.

O funcionamento e previsões a respeito da situação monetária internacional é apresentado pelo Derin, já o Gerin (Departamento de Relacionamento com Investidores e Estudos Especiais) fica responsável por apresentar ao Comitê as métricas e expectativas do mercado, a respeito da inflação e demais macro variáveis da economia.

Segundo dia

A reunião do segundo dia começa apenas no período da tarde. Nesse momento, se reúnem apenas os membros do COPOM e o chefe do Departamento de Estudos e Pesquisas.

Assim, é iniciada uma avaliação prospectiva, na qual os profissionais aplicam hipóteses para as variações macroeconômicas, levando em consideração a inflação.

Após a deliberação, na qual cada componente do grupo irá apresentar seu ponto de vista, é realizada uma votação para que o texto único do Comitê seja redigido. Nesse sentido, o texto apresenta o posicionamento de cada um e demonstra qual a decisão colegiada, contando com as devidas explicações acerca da decisão tomada.

Ao final da reunião, a decisão do COPOM é comunicada por meio da página do BCB na internet.

Qual a relação do COPOM com a taxa Selic?

A principal definição realizada pelo COPOM é a taxa Selic. Por isso, esses dois assuntos estão intimamente relacionados.

Ao definir a taxa Selic, o Comitê interfere no mercado de investimentos, valor da moeda brasileira, preço de produtos, serviços e mercadorias que circulam no país.

Assim, quando a taxa Selic está alta, é sinal de que a inflação também está alta no país. O que, para os investidores, representa maior porcentagem de ganhos, e para a população em geral significa a perda do poder de compra.

Nesse sentido, a taxa Selic pode impactar de forma positiva ou negativa na economia, e serve para controlar a inflação dentro do país.

O Comitê de Política Monetária observa o comportamento de compra dos Brasileiros, e quando os juros estão altos e as pessoas reduzem o gasto “apertando o cinto”, a moeda nacional tem redução na circulação. Então, o órgão pode considerar baixar a taxa Selic.

Dessa maneira, podemos compreender quão importante são as reuniões do COPOM e como suas decisões impactam a economia, chegando ao bolso de todas as classes sociais e repercutindo no poder de compra das pessoas.

Para os investidores, é importante ficar de olho nas flutuações da Selic, e aproveitar os melhores momentos para investir em renda fixa. Isso porque, é nos momentos de crise econômica que a taxa varia, podendo apresentar perspectivas muito atraentes para quem identifica as oportunidades.

  • Você pode ganhar até 16% a.a. com a renda fixa, investindo nos títulos certos. Caso queira ser avisado sobre as ofertas mais rentáveis, entre na comunidade gratuita da Empiricus Investimentos e receba os alertas diretamente no seu WhatsApp. Clique aqui para liberar seu acesso. 

Qual a importância do COPOM?

O Comitê de Política Monetária é muito importante para o cenário econômico do país, pois tem a função de controlar a inflação e entender os direcionamentos macroeconômicos, levando em consideração o cenário global.

Dessa forma, a ata de reunião do COPOM, publicada pelo comitê a cada três meses, influencia a economia em diversos aspectos.

Desde a classe alta à classe mais baixa da população, é possível sentir o efeito da flutuação da taxa Selic e ver seu poder de compra aumentar e diminuir, de acordo com a inflação no país.

Nesse sentido, quando a Selic está alta, a taxa de contratação de empréstimos cai bruscamente, já que as pessoas evitam contratar empréstimos com juros altos.

No caso da alta de juros, as pessoas também evitam gastar dinheiro e assumem uma postura poupadora, diminuindo a circulação na economia. Fato que interfere nos índices de inflação do Brasil.

Nesses exemplos já podemos notar como a Selic é importante, e quão difícil é a missão do Comitê em defini-la, a fim de controlar um mercado gigantesco como o brasileiro.

Calendário de reuniões do COPOM

O calendário de reuniões é definido até o final de junho do ano anterior, e as datas podem sofrer alterações até o final daquele ano. O comunicado das datas é feito pelo diretor de política monetária.

Confira o calendário do COPOM do ano de 2022, logo abaixo:

  • 1º e 2 de fevereiro (realizada);
  • 15 e 16 de março (realizada);
  • 3 e 4 de maio (realizada);
  • 14 e 15 de junho (realizada);
  • 2 e 3 de agosto (realizada);
  • 20 e 21 de setembro (realizada);
  • 25 e 26 de outubro;
  • 6 e 7 de dezembro.

Reuniões do Comitê de Política Monetária em 2023:

  • 31 de janeiro e 1º de fevereiro;
  • 21 e 22 de março;
  • 2 e 3 de maio;
  • 20 e 21 junho;
  • 1º e 2 de agosto;
  • 19 e 20 de setembro;
  • 31 de outubro e 1º de novembro;
  • 12 e 13 de dezembro.

As datas das reuniões do COPOM apresentadas acima, foram retiradas do site oficial do Banco Central, e estão sujeitas a alterações.

Sobre o autor

Equipe Empiricus

A maior equipe de análise de investimentos do Brasil, 100% dedicada a te ajudar a encontrar as melhores oportunidades de investimento.